Continuando com os carros da temporada de 2006,vamos agora com o Midland/Spyker M16.

Após a venda da tradicional equipe Jordan, em meados de 2005, um grupo chamado Midland agora comandava a equipe sob o novo nome de MF1 Racing. Para 2006, muitas coisas mudaram além dos novos donos do time, como exemplo as novas regras para motores, e tudo isto acaba por influenciar toda a concepção dos novos bólidos.

O M16, era o carro do time para a temporada, e muitos suspeitaram ser apenas uma mera evolução de seu antecessor, o Jordan EJ15B. Porém James Key, o diretor técnico do time, afirmava que o projeto era inteiramente novo. As novas regras acabaram por influenciar a construção dos novos carros, e com o M16 não foi diferente, por exemplo, neste modelo, podiam ser encontradas uma nova caixa de marchas, e uma suspensão traseira modificada.

A aerodinâmica também mudara em consequência das novas regras, e isto podia ser notado pela ênfase em downforce que a parte traseira do carro mostrava, além da tentativa das equipes em recuperar a velocidade que fora perdida em linha reta com os novos motores V8. O nariz do carro, o bico, fora a área onde era mais possível ver mudanças em termos de design no carro, o que mostra que o M16 foi realmente construído com a base de seu antecessor, apesar de ser na teoria um carro novo, e com certas mudanças. Um certo cuidado também fora depositado na questão da refrigeração do bólido, mais uma vez, por conta dos novos V8.

O novo carro também ganhou alguns updates ao longo da temporada, para assim melhorar e desenvolver mais o desempenho do M16, e um exemplo disto foi uma nova asa dianteira, que apresentava um design mais agressivo, e um tanto similar com a asa da BMW. As laterais também sofreram mudanças, pois a nova asa não possuía o mesmo apêndice aerodinâmico como na versão antiga.

Entretanto o carro, mesmo com estas mudanças e avanços não conseguiu ir muito além do que seu antecessor conseguiu. O M16 frequentava as últimas posições, e em termos de desempenho era fraco, somente capaz de superar a Super Aguri, e de talvez brigar com o Toro Rosso. E com este desempenho fraco, o time foi vendido e passou para outros donos ainda antes do final da temporada.

A MF1 agora era chamada de Spyker, ainda que tudo continuasse a mesma coisa, incluindo o desempenho, a pintura fora modificada. E assim terminava a jornada do M16 na F1, com um desempenho fraco e garantindo o status de equipe pequena para sua equipe, que agora estava focada na próxima temporada, e no desenvolvimento de um novo carro.

Dados:

Equipe: MF1 Racing

Designers: James Key
———————-
Dados técnicos:

Chassis: Monocoque moldado em fibra de carbono

Suspensão: Independente, operada por sistema push rod, molas de torção e amortecedores, barra estabilizadora, barra de torção(suspensões dianteira e traseira)

Motor: Toyota RVX-06, V8, 2.4 litros, 90° de inclinação, 95 kg de peso, aspirado naturalmente, montado longitudinalmente

Transmissão: Midland, 7 velocidades e uma marcha reversa, montado longitudinalmente, semi automática, sequencial

Combustível: Esso

Pneus: Bridgestone, com rodas BBS

Comrpimento total: 4610 mm

Altura total: 1000 mm

Largura total: 1800 mm

Distância entre eixos: 3000 mm
——————————-
Pilotos:
18 Tiago Monteiro

19 Christijan Albers
———————
Pontos: 0

Corridas: 18

Vitórias: 0

Poles: 0

Voltas mais rápidas: 0

Classificação no Mundial de Construtores: 10° lugar

MIDLAND M16 ONBOARD

SPYKER M16 ONBOARD

Anúncios