Toda vez que você lê algo sobre o piloto brasileiro Roberto Pupo Moreno (bom piloto, mas não teve grandes oportunidades), você tem a chance de encontrar histórias interessantes e bizarras sobre os aventureiros que entraram na Fórmula Um no final da década de 80 e início da década de 90. Ele simplesmente tinha o dedo podre, porque aonde ele tentava se firmar não dava certo. E nesse caso de hoje não poderia ser diferente.

Tudo começou no final de 1987. O  milionário suíço Walter Brun era dono de uma equipe de carros protótipos (Porsche) e já havia conseguido grande sucesso. Ele contava com os serviços do piloto argentino Oscar Larrauri, que havia sido campeão de F3 européia com a equipe Euroracing em 1982. Inclusive, a Euroracing teve uma pequena participação na equipe Alfa Romeo na F1, quando esta regressou à categoria. Tendo o piloto Oscar como ponto em comum, não sei ao certo de quem foi a “grande” idéia de  juntar as duas equipes, formando assim a Euro Brun ou EuroBrun (tudo junto), sei lá, era tão ruim que nem o nome as pessoas sabem mais direito.

oscar larrauri - 1988

Oscar Larrauri em 88: era protegido por Juan Manoel Fangio!

O outro piloto era Stefano Modena.

stefano modena - 1988

Stefano Modena em 1988: carro com pintura nova e alguns patrocínios

No papel me parece muito com a história de algumas equipes que irão entrar no ano que vem, equipes de categorias inferiores que tem o sonho de participar da F1.

Como sempre, a equipe não tinha grandes recursos financeiros, e sua participação no campeonato de 88 foi péssima. Oscar Larrauri conseguiu se classificar  somente para oito provas e completou apenas uma. Já Stefano Modena largou em dez e abandonando a metade. E isso não foi nada.

Já em 1989, a Euroracing queria sair e  Walter Brun se viu obrigado a continuar sozinho na F1. Trocou Stefano Modena por Gregor Foitek – que na F3000 tinha fama de batedor –  e manteve Oscar Larrauri no outro carro. O nome da equipe permaneceu o mesmo.

Gregor Foitek - 1989

O péssimo Gregor Foitek em 1989: pintura laranja para um carro horroroso

Se 88 foi ruim, a temporada de 89 foi bizarra. Dizem as más e boas línguas que o carro usava peças velhas, causando problemas de confiabilidade. Além disso, faltava recursos financeiros para desenvolverem o novo carro. Com todos esses problemas, eles começaram a temporada de 89 com os carros do ano anterior, que já eram horríveis em 88, imagina no ano posterior.

Somente na parte final do campeonato apresentaram o novo carro, que padecia dos mesmos problemas de confiabilidade. E tinham somente um carro novo, o outro continuava a correr com o antigo.

Foi um dos maiores  fiascos da história. Os dois carros não se classificaram para nenhuma corrida, num campeonato que tinha 39 carros para 26 vagas no grid. Simplesmente terrível.

Mas eles queriam mais e em 1990 a equipe passou a contar com dois novos pilotos: o brasileiro Roberto Moreno e um tal de Claudio Langes, tido como um dos piores pilotos da história da Formula Um.

teste roberto moreno - 1990

Roberto Moreno testando o carro em 1990

Num ano que a F1 contava com equipes horíveis como Coloni e Life (a pior de todas da história), a EuroBrun não queria ficar para trás e se esforçou para ser a pior do grid. Moreno ainda conseguia passar em algumas pré-qualificações, já Langes, mal conseguia ficar a frente da Life, e, as vezes, fazia um tempo melhor que a Coloni de Gachot.

No início do ano, mesmo contando com o carro antigo, Moreno vinha mostrando serviço e fez milagre logo na primeira etapa, quando conseguiu chegar em 13º no Grande Prêmio de Phoenix. Competente, Moreno quase sempre classificou o carro no início da temporada, enquanto seu companheiro de equipe simplesmente era um dos piores do grid.

roberto moreno - 1990 - GP Phoenix

Roberto Moreno em 90: como gostava de sofrer

Só para você ter uma idéia de como Langes era horroroso, em Montreal, a 5ª etapa, Langes tomou 15 segundos de Gabriele Tarquini, com a ridícula AGS, e olha que nem Tarquini conseguiu a pré-qualificação. No México, Langes mais uma fez foi terrível ao ficar mais de 12 segundos atrás de Gachot (com a sofrível Coloni) e somente a frente da Life. Foi nesta prova que Moreno conseguiu sua última pré-qualificação.

Deste ponto em diante a EuroBrun foi direto para o fundo do poço. A verba ficou ainda mais reduzida, ao ponto do brasileiro falar que teve de correr certa vez com o chassi remendado com fita adesiva a fim de baratear os custos do conserto. Os pilotos (só tinha um, o outro era café com leite) não podiam mais passar da pré-classificação porque os custos seriam maiores e a equipe fechou as portas antes do final da temporada, no GP de Jerez de La Frontera.

Leia uma parte da entrevista concedida por Moreno para o site Grande Prêmio:

“(…) A Eurobrun foi assim: tinha um amigo italiano que conseguia patrocínios. E ele resolveu me patrocinar lá. Com isso, ganhava dele para me sustentar e corria de graça por essa equipe. Era só uma maneira de ficar na Europa e ter um salário, praticamente isso que eu fazia ali. Nessa equipe, descobri no meio do ano que era melhor para eles não correr. Havia a pré-classificação de uma hora. Se eu passasse, eu ia usar mais oito jogos de pneus e dois motores até a corrida, então custava muito mais. Eles não tinham interesse para que isso acontecesse. Eles recebiam do patrocinador e não queriam se classificar porque o orçamento era suficiente só para isso. Descobri isso em Monza, no fim do ano. Eu me classifiquei em duas corridas, e quando eu não me classificava, eles ficavam mais felizes. Aí um dia eu perguntei o que estava acontecendo, e me explicaram.(…)”

Langes - 1990 - EuroBrun

Claudio Langes e EuroBrun em 90: combinação “perfeita”

Langes tem como recorde de 14 tentativas de passar da pré-qualificação e não conseguir nenhuma, isso numa mesma temporada. Só não foi pior que Aguri Suzuki (16 tentativas) em 89. Um feito em tanto.

Analisando os fatos aqui contidos e a declaração de Moreno fiquei com uma grande dúvida: será que a EuroBrun (e as outras equipes ridículas) tinha interesse em correr durante sua passagem pela F1, ou era apenas um golpe para tirar dinheiro dos patrocinadores?

Espero que tenham gostado.

Anúncios