Barrichello comemorando a pole

O assunto é realmente nulo. Não, eu não quero falar sobre a mão f….. de Kimi Raikkonen. E como a temporada acabou, e NÓS blogueiros que se lascam falando sobre F1 todo o santo dia, temos que resgatar do fundo das catacumbas um assunto. E foi ISSO que eu fiz.

E o assunto que escolhi foi o GP Brasil de 2003. Vamos direto ao assunto. Barrichello levou o público presente ao delírio ao conseguir a pole-position e levantar as esperanças de vermos uma vitória tupiniquim em casa. Mas no domingo, São Pedro falou que o domingo seria muito louco para os pilotos.

E começou a chover (não, começou a cair água do céu) . A intensidade da chuva variava com o passar das horas, deixando as equipes indecisas sobre quais compostos utilizar. Minutos antes da largada, a chuva para e começa a chover canivetes na pista. Nove voltas se passaram com os carros atrás do Safety-car. Até que os pilotos foram liberados para acelerar. Todos começaram a acelerar menos Nick Heidfeld que abandonou com problemas no motor. E 8 voltas depois, Justin Wilson também abandonou.

Os carros atrás do Safety-Car

Na volta 19, o inglês Ralph Firman, da Jordan, teve problemas na suspensão dianteira, rodou no meio da reta e acertou o Toyota do francês Olivier Panis. Pedaços dos carros ficaram espalhados, e o Safety Car entrou na pista.

Firman indo ao encontro com Olivier Panis

Coulthard pula na frente para a tristeza da torcida. E para tristeza maior ainda, Raikkonen e Montoya também conseguiram passar Barrichello. Mas depois, Michael Schumacher abandona para a alegria total da torcida brasileira.

Michael Schumacher abandonando

Cinco pilotos abandonaram na Curva do Sol que mais se parecia com a Curva do Rio. Foram exatamente, M.Schumacher, Pizzonia, Montoya, Verstappen e Button que abandonaram na Curva do Rio. E de quebra, o alemão acertou alguns fiscais que estavam retirando os carros de Antonio Pizzonia e Juan Pablo Montoya. As seguidas bandeiras amarelas fizeram com que Barrichello assumisse a liderança na volta 45, após um erro de Coulthard durante o miolo. Para delírio da torcida brasileira.

Talvez seja o último registro de Barrichello pilotando em Interlagos em 2003

Barrichello começa a abrir. Exatamente duas voltas depois, o carro de Barrichello para. O carro para por causa de uma pane seca. E a torcida começa a ir embora.

Barrichello assistindo a corrida de camarote após abandonar

Enquanto Coulthard faz sua parada nos boxes. Raikkonen assume a liderança com Fisichella arrastando pelo pescoço sua caquética Jordan. Naquela altura da corrida, a pista já estava começando a secar. E Fisichella faz a ultrapassagem sobre Raikkonen, após um erro do finlandês no miolo na volta 55. Na mesma volta, Webber bate na subida do Café e espalha vários destroços na pista. Bandeira amarela. Fisichella e Raikkonen passam por ali sem maiores problemas, mas Alonso não teve a mesma sorte. Ele acerta em cheio um dos pneus do carro de Webber e acaba batendo forte.

 

O Jaguar de Webber depois da batida na Curva do Café

A Renault de Fernando Alonso após o acidente

Bandeira vermelha. A equipe Jordan começa a comemorar, mas no maior estilo da equipe de Massa no Brasil em 2003, eles começam a ficar tristes pois a FIA tinha considerado a volta 53 que tinha sido liderada por Kimi Raikkonen e durante a volta 54, Fisichella tinha passado Raikkonen e chegou a abrir a volta 55. A Jordan recorreu e finalmente pode comemorar. Giancarlo Fisichella foi considerado o vencedor do GP Brasil de 2003 e acabou com o jejum de 11 anos sem uma vitória italiana na F1 quando Riccardo Patrese venceu o GP do Japão de 1992.

Outro que foi beneficiado com a revolta da Jordan foi o alemão Ralf Schumacher que ganhou a posição de Jarno Trulli na última volta.

Fisichella enfim pode comemorar, mas só em Imola

Fisichella recebeu a taça da vitória de Kimi Raikkonen antes do GP de San Marino que era o GP que vinha depois da etapa tupiniquim.

1 – Giancarlo Fisichella – Jordan-Ford
2 – Kimi Raikkonen – McLaren-Mercedes
3 – Fernando Alonso – Renault (Fernando Alonso não recebeu o seu troféu porque estava indo para o hospital)
4 – David Coulthard – McLaren-Mercedes
5 – Heinz-Harald Frentzen – Sauber-Petronas
6 – Jacques Villeneuve – BAR-Honda
7 – Ralf Schumacher – Williams-BMW
8 – Jarno Trulli – Renault
Pole-position – Rubens Barrichello – Ferrari. Volta mais rápida- Rubens Barrichello 1’22.032.

Notas:

Primeira vitória de Giancarlo Fisichella.

Última vitória da equipe Jordan na categoria.

Foi também a última vitória de um carro com motor Ford Cosworth na F1.

Única corrida que Michael Schumacher não completou na temporada de 2002.

E uma coisa interessante aconteceu naquele domingo. Bernd Maylander liderou 21 voltas da corrida. Maylander era o piloto do Safety-Car naquele domingo. Mais informações no post que virá amanhã.

Anúncios