Lembram do post de ontem. A de que eu sofria o Mal de Barrichello. Pois é, ele me deu sorte. Eu nunca tinha me dado bem em Interlagos. Estava bolado, mas disse que não ia desistir. Ontem a noite, resolvi correr em Interlagos. Escolhi como piloto Damon Hill e sua Jordan amarelada. Nível: Semiprofissional.

Larguei na posição 10. Acende a primeira luz. Ouço o ronco dos motores. Acende a segunda luz. Depois a terceira e a quarta. Finalmente a quinta luz se acende. Clima de nervosismo dentro de mim. As luzes se apagam. Os carros largam. Aí vem o “S” do Senna. Freio forte. Acabo acertando David Coulthard e Mika Hakkinen. Rapidamente, penso que o Mal de Barrichello não ia sair hoje.

– CARRO VAI RODAR!!!!!!!

Seguro o carro rapidamente e acelero para a segunda perna do “S” do Senna e para a Curva do Sol. Coulthard abandona e Hakkinen fica com a asa quebrada. Olho rapidamente no retrovisor e vejo duas Ferraris atrás de mim continuo acelerando. Mas não estou seguido pela ordem Schumacher-Irvine, é o contrário: Irvine-Schumacher. Vem a temida curva do Bico do Pato. Dou aquela básica saída de traseira. E acelero de novo.

Completo a primeira volta. Olho para o volante para ver a diferença entre mim e Eddie Irvine. A diferença é de 1 segundo. Continuo focado, mas sempre olhando no retrovisor para ver onde estava o Irvine. Quase saio na pista no Laranjinha, mas seguro o carro. Completo o Bico do Pato, mas com dificuldades. Enquanto isso, Mika Hakkinen que havia quebrado sua asa dianteira no começo do post, entra nos boxes. Mas consegue voltar a tempo de não sofrer uma volta. Completo a segunda volta e marco a melhor volta com 1.19.8 . Olho no volante para ver a diferença. A diferença é de 0,8 décimos de segundo. Uma diferença boa para uma corrida tão importante para mim.

Estava na terceira volta. Estava com medo de acontecer algo com o carro como aconteceu no post passado. Mika Hakkinen marca a melhor volta com 1.19.2 . Completo o Bico do Pato, sempre dando a saída de traseira. Enquanto isso, atrás de mim. Eddie Irvine deixa Michael Schumacher passar. É isso acontece também nos videogames. Brincadeira, só tô zoando. Michael Schumacher sequer ameaçava Eddie Irvine. Irvine sempre focado atrás de mim.

Olivier Panis abandona. Quero saber o que aconteceu com ele botando o replay para ver o que aconteceu. Mas quando vou apertar o “R” , percebo que o jogo pode trapacear e botar outro piloto sem ser eu na tela (perdi várias corridas por causa disso) . Resisto a tentação e continuo a corrida normalmente.

Abro a última volta. A diferença para Irvine é de 1,3 segundos. Não acredito que aquilo está acontecendo mesmo. Mas continuo focado em se manter na pista. Só duas coisas podiam me tirar a vitória. Uma: um problema qualquer no carro. Duas: eu dar uma escapada e perder a primeira posição.

Faltavam algumas curvas. Passo pelo Laranjinha. Passo pela Curva do “S” . Passei pelo Pinheirinho e acelero com tudo. Mas aí vem o Bico do Pato. Freio bruscamente, esterço para a direita, travo os pneus, saio de traseira, esterço rapidamente para a esquerda para corrigir o carro e acelero tudo de novo. Passo pelo Mergulho e vou adiante para a Junção. Junção já me custou uma corrida e ela não ia acabar com essa corrida. Freio, travo os pneus, esterço para a esquerda e acelero o mais rápido possível.

A partir daí é só acelerar com tudo. Imagino Galvão Bueno falando:

-Lá vem Marcelo de Souza Filho, vem para os últimos metros. E lá vem, MARCELO, MARCELO, MARCELO, MARCELO DE SOUZA FILHO DO BRASIL!!!!!!!!!!!!

Comemoro levantando o braço para o alto. Paro na saída dos boxes, para fazer uns zerinhos. Boto a marcha ré para fazer os zerinhos. Só que a marcha ré trava e o carro vai subindo de ré para os boxes. Consigo acelerar de novo. Vou para a saída dos boxes e boto na marcha ré de novo. Mas acabo sendo acertado pela Tyrrell de Ricardo Rosset. E a roda traseira direita vai para os ares. Lá se foi minha comemoração.

Mas e daí. Finalmente eu venci em Interlagos. Depois de todo o sofrimento.

Parece que acharam a cura para o Mal de Barrichello. Eu tomei esse remédio e estou curado. Yes!

Anúncios