Os 18 metros da “grande” estréia de McCarthy.

McCarthy, que teve sua superlicença cassada, finalmente teria condições de estrear na Formula 1. Depois de um consenso entre os dirigentes das equipes, que aprovavam a entrada de Perry no campeonato, ele estava pronto para correr. Mas e a equipe, estava?

Enrico Bertaggia chegou a cogitar uma volta ao assento da Moda. Ele ofereceu à Sassetti 1 milhão de dólares em patrocínios. Valor bem razoável para uma equipe que já nasceu falida. Andrea ficou inclinado a aceitar a proposta “milionária”, mas a FISA foi quem não permitiu desta vez, ela disse que a equipe já tinha feito mudanças demais e que não poderia trocar McCarthy agora.

Andrea Sassetti estava bem desapontado com o fato, ele estava precisando e muito deste dinheiro. Com os atuais recursos ele não poderia dar uma igualdade de equipamentos para ambos os pilotos. O carro de McCarthy era constantemente modificado, cedendo peças para o carro de Moreno.

O motor Judd de Moreno não dura nem uma volta.

Na sexta-feira de manhã, os primeiros carros iriam para a pista de Catalunya em Montmeló, cidade ao norte de Barcelona. Os gladiadores da vez, na pré-qualificação do GP da Espanha, eram os mesmos do Brasil (Gachot, Chiesa, Alboreto, Katayama e Moreno) mas com a adição de ‘Péurrri’ McCarthy.

Os carros da Larrousse Venturi, da Footwork e da Fondmetal andavam “bem” outra vez, já os da Moda… Roberto Moreno foi o 1º piloto da equipe a sair para a pista, Pupo só consegue fazer algumas sequências de curvas antes do seu motor estourar. As coisas não andavam nada bem na Andrea Moda, mas momentos piores ainda estavam por vir.

Já o Judd de McCarthy não durou tempo sequer para McCarthy sai dos boxes.

A história da estréia de Perry McCarthy no GP espanhol foi a mais engraçada, se é que se pode dizer isto. Depois de conseguir sua superlicença no inicio da semana, ele teria a oportunidade de finalmente pilotar um carro de Formula 1, mas nada conspirava a favor do inglês.

A Moda se enrola muito para entregar o carro para Perry, o S921 nº 35 só ficou pronto na metade final da pré-qualificação, aumentando ainda mais a ansiedade de McCarthy.

Os comissários espanhóis rindo de McCarthy enquanto empurram o seu Moda.

Quando finalmente o carro estava pronto e com ele já dentro do cockpit, os mecânicos finalmente deram a partida no V10 Judd. Junto com o rugido inicial, uma grande labareda de fogo saia dos escapes do carro, algo não parecia bem.

McCarthy engatou a 1ª marcha e se dirigiu rumo ao pit lane, mas logo na saída de seu box, o carro dá uma nervosa ‘rabeada’ que foi corrigido com um contra-esterço.

O ‘pipocar’ do motor estava muito estranho, com o passar dos metros os barulho só ia ficando pior, até que, aproximadamente 18 metros após a saída do box da Moda, seu carro pára, inerte, sem apresentar qualquer barulho.

A face de desolação de McCarthy.

Perry comentou:

Claro que estou muito decepcionado, mas não vou desistir. Eu sei que a Formula 1 é um trabalho duro, e eu aceito isso (…) Eu tenho agora que buscar minha chance eu quero fazer isto já na próxima corrida, fala McCarthy.

“Péurrri” tentou voltar para os pits empurrando o carro, mas foi barrado.

A Moda ainda conseguiu alinhar o carro de Moreno para dar algumas voltas. Eles retiraram algumas peças do carro de McCarthy e o brasileiro finalmente conseguiu completar algumas voltas pelo circuito, mas o tempo não escondia a inferioridade do carro. Moreno viraria cerca de 10 segundos mais lento que Chiesa, o último colocado.

Anúncios