Raymond Sommer com seu Alfa Romeo

Eu sei que tem outra novela rolando no blog, mas essa outra novela tão legal quanto a da Rial. Então, elas vão revezar. Vamos a ela.

O campeonato era o Campeonato Francês de Pilotos. O ano desse campeonato de que vou falar é o de 1939. Período pós-guerra. A bagaça do campeonato começou com uma disputa entre especialistas e organizadores. Os especialistas diziam que o ganhador do campeonato deveria ganhar 50.000 em dinheiro. Mas os organizadores botaram um fim nessa briga, ao confirmar que o prêmio seria o mesmo do ano de 1938, 20.000.

O sistema de pontos e as regras se mantiveram as mesmas do campeonato de 1938. E ainda tinha mais outra coisa, apenas os pilotos franceses marcavam pontos (!). No dia 28 de fevereiro de 1939, foi anunciada qual era o calendário. Vamos a ele.

  1. 02 de abril: GP de Pau.
  2. 13 de abril: GP de La Turbie.
  3. 04-05 de junho: GP de Linas-Montlhéry.
  4. 11 de junho: GP de Péronne.
  5. 18-19 de junho: 24 Horas de Le Mans.
  6. 09 de julho: GP de Reims.
  7. 09 de julho: Segunda corrida do GP de Reims.
  8. 16 de julho: GP de Les Planques.
  9. 06 de agosto: GP de Saint-Gaudens.
  10. 03 de setembro: GP de La Baule.
  11. 10 de setembro: 12 Horas de Paris.

No meio desse campeonato, lhe digo quem é o herói  dessa novela. Raymond Sommer. Esse é o nome do nosso herói. Vamos ao campeonato.

O primeiro GP do DriversChamp era o GP de Pau. Os pilotos franceses não tiveram chance de vencer a etapa. Claro, em 1938, Dreyfus e Delahaye tinham batido as Mercedes-Benz, mas era inútil esperar um segundo milagre. Havia onze pilotos franceses entre os quinze pilotos da grelha. Primeiro, havia dois Talbots para Carrière e Etancelin. Foi a primeira corrida do tipo MD (monoplace Décalée) . Jean Trémoulet estava ao volante da SEFAC, provavelmente o carro mais decepcionante da história francesa. Foi a última corrida deste monolugar.

O Francia Ecurie entrou nas três Delahayes dos fundadores: Paul, Contet e Chaboud. Sommer estava em Pau com a sua própria Alfa Romeo 308. Era uma forma do fabricante italiano de ter pelo menos um carro nesta corrida: il Duce . Não era permitido que as equipas italianas participassem desta corrida. Mas eles acharam um jeito e Sommer alinhou o seu Alfa Romeo em Pau. E, finalmente, havia várias entradas particulares: três 135S (Delahayes para Biolay, Mazaud e Chotard) e dois Bugattis (para Trintignant e Balsa). Todos estes pilotos franceses tiveram de correr contra três Mercedes-Benz W154 (Caracciola, von Brauchitsch e Lang) e um Maserati (de Graffenried). A pole foi de Von Brauchitsch (1.46). O mais rápido dos Talbot foi Frenchie Etancelin (quinto, 1.50) à frente de Carrière (sexto, 1.51). Ambos Talbots e Alfas, Sommer era o único de quem se podia esperar um bom resultado.

 No início da corrida, Caracciola assumiu a liderança à frente de von Brauchitsch, Lang, Carrière, Sommer e Etancelin. Depois de cinco voltas, Trintignant e De Graffenried estavam fora. Chaboud abandonou cinco voltas mais tarde. Na volta 19, Sommer tomou a quarta posição de Carrière. Três voltas depois, foi a vez de Marcel Balsa de abandonar. Não há mais Bugattis. Na pista na volta 31, havia duas outros abandonos muito mais importantes: Caracciola (linha de óleo quebrada) e Carrière (batida). Assim, Von Brauchitsch era o novo líder da corrida, à frente de Lang, Sommer, Etancelin e Mazaud. Quatro voltas mais tarde vimos o último abandono da prova: a vítima era Trémoulet e sua SEFAC. Era o último quando abandonou. Na corrida alguns dos carros alemães haviam dobrado a diferança para os outros concorrentes, mas a corrida não tinha terminado. Na volta 82, tanto Von Brauchitsch e Sommer tiveram que parar para reabastecer. Ambos os pilotos perderam uma só posição. Infelizmente para o líder, a equipe percebeu tarde demais que Von Brauchitsch tinha combustível suficiente para terminar a corrida e que o seu pit stop não era necessário. Assim, a Mercedes-Benz de Lang venceu a corrida, seguido por Manfred “azarado” Von Brauchitsch, Etancelin, Sommer, Paul e Mazaud. Consequentemente Etancelin “Phi-Phi” foi o primeiro líder do Campeonato Francês de Pilotos de 1939.

Resultado do GP de Pau:

  1. H. Lang/Mercedes-Benz W154/3h07min25seg
  2. M. Von Brauchitsch/Mercedes-Benz W154/ +16seg
  3. P. Etancelin/ Talbot MD90/ +2 voltas
  4. R. Sommer/ Alfa Romeo 308/ +5 voltas
  5. J. Paul/ Delahaye 135S/ +8 voltas
  6. R. Mazaud/ Delahaye 135S/ +8 voltas
  7. R. Biolay/ Delahaye 135S/ +12 voltas
  8. M. Contet/ Delahaye 135S/ +14 voltas
  9. J. Trémoulet/ SEFAC/ Abandonou na volta 35
  10. R. Carrière/ Talbot MD90/ Abandonou na volta 31
  11. R. Caracciola/ Mercedes-Benz W154/ Abandonou na volta 31
  12. M. Balsa/ Bugatti T35B/ Abandonou na volta 22
  13. E. Chaboud/ Delahaye 135S/ Abandonou na volta 10
  14. M. Trintignant/ Bugatti T51/ Abandonou na volta 5
  15. E. De Graffenried/ Maserati 6C-34/ Abandonou na volta 3

Volta mais rápida: M. Von Brauchitsch/ Mercedes-Benz W154/ 1.46.8

Campeonato de pilotos:

  1. Etancelin/ Talbot/ 5 PTS
  2. Sommer/ Alfa Romeo/ 4 PTS
  3. Paul/ Delahaye/ 3 PTS
  4. Mazaud/ Delahaye/ 1 PT
  5. Biolay/ Delahaye/ 1 PT
  6. Contet/ Delahaye/ 1 PT
  7. Trémoulet/ SEFAC/ 1 PT
  8. Carrière/ Talbot/ 1 PT
  9. Balsa/ Bugatti/ 1 PT
  10. Chaboud/ Delahaye/ 1 PT
  11. Trintignant/ Bugatti/ 1 PT

O nosso herói, Raymond Sommer, pode ter terminado apenas em quarto. Mas se acalmem. Lembrem-sem, ele foi campeão sem ter ganhado uma única corrida. No próximo capítulo, o GP de La Turbie e o de Linas-Montlhery.

Anúncios