Pode não parecer. Mas os yankees da NASCAR também tem jogos. E é uma lista imensa. Desde o excelente ESPN Speed World lançado somente para o Super Nintendo até o NASCAR SimRacing. Mas o que eu destaco nesse post é o NASCAR’ 08. Embora o nome do jogo possa dizer isso, o jogo não é da temporada de 2008. É de 2007, quando a Sprint Cup era a Nextel Cup. A Nationwide Series era a National Series e a Camping Truck Series era a Craftsman Series.

Mas uma boa vantangem do jogo, é poder usar o Car of Tomorrow. O Car of Tomorrow era um novo carro que seria utilizado no ano de 2008 na Sprint Cup Series. As principais mudanças que pude perceber de cara, foram uma engordada na frente do carro e um novo aerofólio que dava um estilo inconfundível ao carro.

O jogo também tinha pistas extras. Tinha um circuito que ficava no meio de um canyon estadunidense. Outro que era nas ruas de Nova York. E uma pista que era dentro de um estádio de futebol. E é dessa pista que irei falar.

Carro da categoria Whelen Modified no circuito fictício de Tiburon. Tá vendo aquele espacinho ali no muro. Ali é a saída dos pits stops

A pista se chamava Tiburon International Speedway. Ela estava no jogo por jogada de marketing, já que a empresa criadora do jogo era a EA Tiburon. Tiburon ficava dentro de um estádio de futebol. O circuito ficava na parte externa do campo, onde ficavam os caminhões que levavam os carros. Os boxes ficavam embaixo (literalmente) das arquibancadas do estádio.

O jogo tinha 5 categorias inclusas: a Whelen Modified, a Craftsman Series, a National Series, a Nextel Series e o Car of Tomorrow. Escolhi como categoria a National Series. Como piloto escolhi Kasey Kahne que usava um Dodge #9. Como pista, a própria Tiburon. Tiburon é uma pista que necessita muito dos freios dianteiros. Tanto que depois de umas 8 voltas naquele ovalzinho de 0.375 milhas, os pneus dianteiros já iam pro espaço. E eram 38 voltas de corrida.

Não fui pro Qualify. Já que ir pro Qualify de um jogo de corrida é uma coisa bem, bem chata. Por algum motivo que ainda desconheço, larguei na vigésima terceira posição. Larguei mal. Sou muito ruim em largada, seja re ou não. Perdi umas 3 posições. Depois de umas 2 voltas, consegui me recuperar. Na volta 7, já estava em décimo. Na volta 9, já estava em sexto. Mas no final dessa volta, aparece nos gráficos dois pneuzinhos amarelos. Ou seja, os dois pneus amarelos já começaram a se desgastar.

Começo a perder rendimento. Perco duas posições. Tento defende-las ao máximo, mas eu acabo raspando no muro e perco as posições. Estava em oitavo e levando pressão de uma enorme fila atrás de mim. Na volta 18, as coisas já estavam muito ruins pra mim. Os pneus dianteiros já estavam no laranja e os traseiros estavam no amarelo. Estava em décimo.

O combustível ia durar até a volta 23. E se quisesse vencer aquela corrida, eu tinha que ficar o máximo na pista, mesmo que se o pneu estivesse no vermelho. E fui. Na volta 21, os pilotos começaram a fazer suas paradas. Na volta 22, estava em primeiro. Veio a volta 23, mas permaneci na pista por mais uma volta, torcendo pro combustível aguentar. Ele suportou as curvas 1 e 2, mas quando chegou a curva 3. Acabou o combustível.

Procurei acelerar ao máximo pra tentar chegar nos pits. Não ia conseguir chegar nos pits, só se alguém me desse um empurrão até lá. E o empurrão veio. Paul Menard da Dale Earnhardt Inc. ia entrar nos boxes, assim como eu, ele também ia ficar sem combustível. Ele bateu na traseira do meu carro e eu fui pros pits, enquanto ele ficou ali parado. Graças a essa batida veio a bandeira amarela. Dei uma sorte danada dela ter vindo pois estava em primeiro e ia relargar em primeiro.

Troquei os quatro pneus, botei um pouco de fita adesiva no carro e enchi o tanque todo. Relarguei em primeiro na volta 29. Relarguei muito bem e em algumas voltas, eu abri 3,5 segundos para o segundo colocado, Jon Wood #47. Mas como já disse, os pneus dianteiros duram poucas voltas quando está em ótimo estado. Na volta 33, os pneus começaram a se degradar. Tanto que Greg Biffle #16 recuperou a volta que eu tinha acabado de colocar nele. Tentei recolocar ele na turma dos +1 Lap, mas não consegui.

Como os pneus estavam ruins, começava a perder rendimento. Tanto que na volta 36, Jon Wood já estava a menos de um segundo de diferença. Na volta 37, Jon tenta me passar na curva 1 e na 2. Eu consigo segurar. E fomos para a última volta. Wood bota por dentro na curva 1. Consigo segurar. Na saída da curva 2, estávamos praticamente lado a lado. Mas quando chegou a curva 3, não consegui segurar. Fiquei do lado de fora e perdi a posição. Até aí, tudo bem porque ia conseguir ao menos um segunda posição. Errado.

Como fiquei do lado de fora da pista, e com os pneus dianteiros totalmente desgastados, acabo raspando no muro e ainda perco mais duas posições sem mais nem menos. Pois é, eu terminei em quarto na corrida. Depois da corrida, falei um monte de palavrão. Mas foi divertido, mas falei comigo mesmo que nunca mais vou correr em Tiburon. Nunca.

Anúncios