You are currently browsing the tag archive for the ‘cooper’ tag.

Em 1960, Jack Brabham já tinha 5 temporadas no seu currículo. Entre essas temporadas, a de 1959, veio o título numa brilhante temporada com a equipe oficial da Cooper onde conseguiu duas vitórias em Monaco e Reino Unido.

Jack seguiu para a temporada de 1960 da F1 ainda pela Cooper. A temporada não começou boa. Na Argentina, Jack abandonou por problemas em sua caixa de velocidades. Em Monaco, ele havia sido desclassificado depois de ter escapado na St. Devote e na volta, teria recebido ajuda exterior para voltar a pista. Nas 500 Milhas de Indianápolis, ele nem sequer correu. Mas o mal começo, apenas foi um livro não-lido corretamente.

Em Zandvoort, Brabham “sabotou” sem-querer o seu maior rival durante a corrida, Stirling Moss, ao sair acidentalmente da pista e acabar jogando pedras na pistas. Pedras que acabaram por estourar os pneus de Moss, obrigando Moss a fazer uma parada nos boxes. No final, Jack venceu a corrida.

Em Spa-Francorchamps, Brabham saiu vitorioso e com um “meio hat-trick” mesmo apesar de ocorrer vários incidentes durante o fim de semana. Nos treinos, Stirling Moss quebrou as duas pernas num acidente grave onde Moss havia perdido o controle de seu Lotus. Também nos treinos, Mike Taylor sofreu um acidente gravíssimo no se Lotus e teve vários e vários ossos quebrados e sua carreira terminada naquele dia.

Na corrida, Chris Bristow perdeu o controle de seu carro numa disputa pela P6 com Willy Mairesse e foi arremessado para fora do carro e caiu numa rede de arame farpado, onde teve sua cabeça decepada. Morte instantânea. Algum tempo depois, Alan Stacey estava chegando na temida curva Masta Kink quando foi atingido por um pássaro (!) que passava por ali no momento. Ele perdeu o controle do carro, bateu numa rampa e depois o carro pegou fogo. Hoje ainda não se sabe se o pássaro matou ele ou o carro apenas cuidou do resto. Sem dúvida, esse final de semana foi bem mais catastrófico que Ímola/94.

No dia 3 de julho, já na etapa de Reims, a corrida que irei falar, Jack já era o segundo no campeonato com 16 pontos. 4 atrás de Bruce McLaren que tinha 20. No treino, Brabham conseguiu a pole-position logo a frente dos não-irmãos Hill, Phil e Graham.

Na largada da corrida, Graham Hill e Maurice Trintignant se tocaram e acabaram por abandonar logo nos primeiros metros. Jack estava brigando pela primeira posição com o outro Hill, Phil. Phil e Jack ficaram se alternando nas primeiras posições por algumas voltas, até que o Phil teve problemas de transmissão e ficou para trás.

O segundo posto da corrida ficou no começo com Phil Hill, mas com esses problemas de suspensão, Wolfgang Von Trips logo assumiu a P2 da corrida. Mas Von Trips também teve problemas na transmissão e acabou por abandonar a corrida.

O segundo lugar ficou com Innes Ireland, mas Innes teve problemas na suspensão e teve de ir para os boxes. Com tudo isso acontecendo com seus rivais durante a prova, Jack Brabham estava caminhando a passos largos para sua terceira vitória seguida no campeonato.

O segundo lugar era do Cooper de Olivier Gendebiem, mas Olivier estava muito tempo atrás de Jack e não tinha chances de vitória. Bruce McLaren era o terceiro também com a Cooper.

No fim, Jack Brabham venceu a corrida onde apenas Phil Hill ameaçou sua vitória. Gendebiem foi o segundo com McLaren em terceiro e Henry Taylor também com um Cooper terminando em quarto, provando a supremacia da Cooper no campeonato.

Depois dessa corrida de Reims, Jack era o líder do campeonato com o mesmo número de pontos de Bruce McLaren, mas Jack levava a melhor no desempate.

Brabham ainda iria vencer em Silverstone e em Boavista, Portugal onde encerrou a sua incrível sequência de 5 vitórias seguidas no campeonato. Com tantas vitórias num campeonato com poucas corridas durante o ano, Jack conseguiu o bicampeonato com 9 pontos de frente para o segundo colocado, Bruce McLaren (43-34 para Jack).

Jack ainda conseguiu mais um título e um vice em 1966 e 1967, respectivamente, já com sua equipe própria, a Brabham Racing.

Depois desse post, e olhar na data, deve ter percebido que não falei de Roland Ratzenberger, o homenageado do dia. Mas se olhar a data mais uma vez, vai perceber que essa brilhante corrida de Jack Brabham em Reims ocorreu justamente um dia antes do nascimento de Roland em Salzburg, Áustria.

Mal sabiam as pessoas e familiares que Roland Ratzemberger ia morrer fatidicamente 34 anos depois em Imola na Villeneuve Curve.

Descanse em paz, Roland Ratzenberger *1960 +1994

Anúncios

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

dezembro 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 19 outros seguidores