You are currently browsing the tag archive for the ‘f1 2011’ tag.

Alguem faz idéia da pista

OS MELHORES DE 2011

5- DANIEL RICCIARDO

Daniel Ricciardo. Começou o ano como piloto de testes da STR. Mas no meio do ano, ganhou o emprego de Narain Karthikeyan na HRT. Correr na HRT não é a melhor coisa do mundo, mas já serve para se preparar para a STR em 2012. Deu bastante trabalho para seu companheiro, Vitantonio Liuzzi que estava acostumado a dar peias em Karthikeyan. Sempre esteve beliscando e dando trabalho para as duas Marussias. Quinto lugar merecido.

4- HEIKKI KOVALAINEN

Heikki Kovalainen nunca esteve perto de fazer um brilhante trabalho, mas fez o que podia com um carro limitado. Sempre brigou com as Williams e sempre beliscava a Q2. Detonou o seu companheiro, Jarno Trulli, mas ficou atrás de Trulli na classificação por um décimo terceiro. Kovalainen merecia uma equipe melhor do que a Caterham, mas fazer o quê de o destino o colocou na Caterham.

3- ADRIAN SUTIL

Adrian Sutil. Começou o ano mal, levando surra de seu companheiro estreante Paul di Resta. Mas deu a volta por cima e mostrou que é que manda naquela equipe. Marcou 42 pontos e passou a maior parte do ano nos pontos. Brigou com as Mercedes e as Saubers, e sempre quando um piloto das equipes grandes abandonava, ele era um dos favoritos para ser o sexto colocado. Está lutando para não ser o desempregado da vez. É realmente uma pena, Sutil estar brigando por uma vaga numa Williams. Merecia um lugar melhor.

2- JENSON BUTTON

Essa foto é muito show

Jenson Button tinha deixado claro de que 2010 era para esquecer. Button começou o ano meio tímido, mas a vitória no Canadá o botou no mapa de novo. E depois da vitória na Hungria, ficou claro de que Button era um mago na chuva. Sempre com estratégias inteligentes, sempre esteve entre os três primeiros. Depois disso, ainda venceu em Suzuka após erros nas paradas de Vettel e de Alonso. Segundo lugar merecido.

1- SEBASTIAN VETTEL

 

Sebastian Vettel foi o dominador de 2011. Teve vitórias magistrais como na Índia e em Mônaco. Mas teve erros grotescos como no Canadá e na Alemanha. Teve puro azar na China e em Abu Dhabi. Mas para comprovar que ele foi dominante, ele foi campeão com 5 etapas de antecedência. Vamos ver se Vettel vai continuar assim em 2011. Primeiro lugar merecidíssimo.

OS PIORES

5- KARUN CHANDHOK

Karun Chandhok pode só ter corrido uma vez em 2011, mas foi o suficiente para reviver Yuji Ide e fazer várias bobagens no atual circuito de Nurburgring Sudschleife. Rodou ridiculamente sozinho e foi parar na brita durante a corrida e levou uma volta das duas HRT. Imagine se tivesse corrido também na Índia ou no resto do campeonato.

4- NARAIN KARTHIKEYAN

Esses indianos não são bons pilotos. Narain Karthikeyan surpreendeu todo mundo inclusive este escriba, ao anunciar no Twitter que tinha assinado com a HRT para ser piloto titular para 2011. Já era de se esperar que Karthikeyan levasse surra de Vitantonio Liuzzi, mas não esperava que fosse uma surra tão grande. Em Valência, Karthikeyan entrou para a história ao ser o primeiro vigésimo quarto da história da F1.

3- JERÔME D’AMBROSIO

Jerome D’Ambrosio começou até que bem o ano, mas piorou incrivelmente depois a partir do meio do ano. Sempre estando atrás das HRT na qualificação. Ele não fez nenhuma barbeiragem a não ser a batida em Buddh e aquela rodada nos boxes na Hungria, mas suas perfomances na pista é que lhe renderam o codinome de Pedro de la Rosa belga. Vai ficar desempregado em 2012 porque quis.

2- NICK HEIDFELD

Nick Heidfeld. O Andrea de Cesaris de atualemente. Disse no começo do ano passado que poderia brigar pela tão sonhada vitória. Mas não foi isso que aconteceu. Chegou a conseguir um surpreendente pódio na Malásia. Mas o resto das corridas foram pífias. Até seu próprio carro disse para ele desistir logo, ao sua Lotus preta pegar fogo e depois explodir. Sinceramente eu acho que é melhor ele migrar para a DTM. Pelo menos lá, ele vai ter um pouco de fama.

1- FELIPE MASSA

Felipe Massa teve o seu pior ano na F1. Se o número 1 era o favorito de Vettel em 2011, o 6 era o predileto de Massa. Ele não só terminou o ano em sexto como também pilotou o carro nº 6, obteve seis quintos lugares, largou seis vezes na sexta posição e terminou quinze treinos livres nesta tão amada posição. Na China, ele abusou: ficou em sexto nos três treinos livres, no Q2 e Q3 da classificação e na corrida. Não preciso falar mais do que você já sabe, então que 2012 seja bem melhor para poder ouvir de novo o “FELIIIIIIIIPI MASSA, DO BRASIL!” .

 Hungria- Hungaroring

Sabemos que na Hungria não é comum chover naquela época de setembro. Mas São Pedro surpreendeue fez de uma provável corrida chata, uma corrida legal. Hamilton e Button ficaram brigando pela vitória, mas Hamilton faz uma estratégia ruim, roda, quase bate em Paul di Resta e recebeu uma punição. Button venceu na mesma pista onde venceu pela primeira vez (naquela ocasião, também havia chovido) . Para ler a corrida de forma completa, clique ali -> .

 Bélgica- Spa Francorchamps

Na Bélgica, tivemos a estréia de Bruno Senna na Lotus Renault. Ele já começou dando seu cartão de visitas ao atropelar Jaime Alguersuari na La Source, logo na largada. Senna foi lá pra trás. Schumacher estava comemorando os seus 20 anos de F1. Largou lá trás, mas deu show e terminou em quinto, após bela disputa com Nico Rosberg. Para ver como foi a corrida de forma completa, clique ali -> .

 Itália- Autodromo di Monza

No tradicional circuito de Monza, Vettel largaria na pole novamente. Mas quem largou melhor foi Alonso assumindo a liderança. Liuzzi dá uma escapada e acaba strikeando Rosberg e Petrov. Vettel faz uma bela ultrapassagem sobre Alonso na Curva di Lesmo e vence a corrida. Senna faz bela ultrapassagem sobre Buemi e marca os seus primeiros pontos na F1. Para ler a corrida completa, clique ali ->

 Cingapura- Marina Bay Street Circuit

Em Cingapura, Vettel já podia ser campeão. Schummy voou por cima do carro de Sergio Perez e causou uma bandeira amarela. Button consegue impedir ou pelo menos adiar, o bicampeonato de Vettel ao chegar em segundo. Podia ter vencido se não fosse Maldonado e Rubinho no meio do caminho. Só restava um ponto para que Vettel fosse campeão. Para ler a corrida completa, clique ali -> .

 Japão- Suzuka Circuit

Em Suzuka, Vettel já podia preparar sua festa porque só um desastre apocalíptico poderia tirar seu título. Só faltava um ponto. Na largada, Vettel consegue segurar Button na largada. Mas logo não conseguiu segurar Button e Alonso. No final, Button venceu, mas a festa era de Vettel. Pois Vettel já estava praticamente com seu bicampeonato garantido. Para ler sobre a corrida, clique ali -> .

 Coréia do Sul- Korea International Circuit

Na Coréia, não tivemos nenhuma Red Bull na pole. Lewis Hamilton fez uma volta mágica e largou na pole. Mas já na curva 3, Vettel conseguiu a ultrapassagem. Destaque para a incrível largada de Felipe Massa, chegando a estar em terceiro. Petrov faz uma barbeiragem daquelas e atropela Schumacher e quase acerta Alonso. Vettel venceu. Para ler a corrida completa, clique ali -> .

 Índia- Buddh International Circuit

Na estréia do GP da Índia, Vettel largou na pole de novo. Na largada, Barrichello, Kobayashi e Trulli se envolveram em incidentes e toques. Mas depois dessa largada cheia de confusões, a corrida foi a mais chata de 2011. Não tivemos nada de bom para ver, a não ser a careta clássica de Mr. Bean após ver mais uma confusão entre Massa e Hamilton. Vettel venceu na terrinha de Karthikeyan e Chandhok. Para ler a corrida completa, clique ali -> .

 Emirados Árabes Unidos- Yas Marina Circuit

Nos Emirados, esperava-se uma corrida dominada por Seb Vettel, mas alguém colocou uma tachinha no meio da pista e o pneu de Vettel estorou logo depois da largada. Hamilton seu uma se Vettel e venceu a corrida de forma facílima. Na corrida, tivemos um Massa mais agressivo e sempre esteve brigando pelo pódio, mas uma escapada na curva 1 o deixou em quinto de novo. Para ler sobre a corrida, clique ao lado -> .

 Brasil- Interlagos ou Autodromo José Carlos Pace

Na última etapa do campeonato, Vettel largou na pole. Mas um misterioso problema de câmbio no carro de Vettel fez com que Webber o ultrapassa-se e vence-se a corrida com facilidade. Destaque para a bela disputa entre Massa e Hamilton que acabou com Hamilton abandonando com um problemas no câmbio. Para terminar, Massa deu uns zerinhos para animar a torcida. E deu certo um pouco. Para ler a corrida completa, clique ali-> .

Continuando com a Retrospectiva 2011: Corridas, asa móvel e KERS.

As corridas:

  Austrália- Albert Park

O GP da Austrália do ano passado teve de tudo.  Teve os primeiros Did Not Qualify das duas Hispania em anos. Teve Barrichello fazendo burrada. Teve Petrov dando show e as Saubers sendo desclassificadas por uns míseros milímetros. No final deu Vettel numa vitória facílima. Clique no link ao lado para ver como foi a corrida na Austrália ->GP da Austrália .

 Malásia- Sepang International Circuit

A corrida na Malásia não foi a melhor corrida do campeonato. Pra falar a verdade, foi chatinha. Teve Petrov se espatifando no muro. Heidfeld no pódio. Alonso e Hamilton sendo punidos, mas no final, Vettel levou mais uma para sua casa. Para ver melhor como foi esse GP, clique ao lado -> GP da Malásia .

 China- Shanghai International Circuit

Shanghai prometia fortes emoções. Mentira. É um circuito meia-boca que só tem duas retas. Teve lá suas emoções, mas não foi lá aquela corrida. Teve Massa e Vettel se dando mal por terem feito uma estratégia errada. E quem venceu foi Lewis Hamilton, acabando com a sequência de duas vitórias heppenheianas de Vettel. Para ver como foi a corrida, clique no link ao lado -> GP da China .

 Turquia- Istambul Park

No último GP da Turquia de F1, a asa móvel ajudou muito e até demais nas ultrapassagens. Vettel novamente venceu. Massa segurou Hamilton por algumas voltas, mas o som da asa móvel falou mais alto e Hamilton conseguiu a ultrapassagem. Para ver como foi a corrida clique ao lado -> .

 Espanha- Circuit da Catalunya (o circuito fica em Montmeló)

No circuito mais genérico da F1, se esperava o que aconteceu em Istambul, várias ultrapassagens por causa da asa móvel. Tinha um retão maçeto. Mas não rolou. As ultrapassagens foram quase nulas. Vettel venceu novamente. Destaque para a largada incrível de Alonso. Para ver como foi a corrida, clique ao lado -> .

Amanhã a segunda parte.

Continuando com a Retrospectiva 2011, agora com a segunda parte dos pilotos de 2011.

Carro 9- Nick Heidfeld

Andrea de Cesaris, não deu de novo. Desiste. No começo do ano, quando foi anunciado na Lotus Renault, ele falou que agora ia vencer, mas não deu de novo. Até começou bem o ano com um pódio na Malásia, mas só conseguiu isso. Conseguiu andar bem depois, mas foi sacado da equipe em casa após dois abandonos seguidos. Alemanha/2011, essa pode ter sido sua última corrida.

Carro 16- Kamui Kobayashi

O kamikaze da Sauber em 2010 não conseguiu repetir seus feitos de 2010. Não conseguiu repetir as ultrapassagens impossíveis e as disputas incansáveis que nos empolgavam bastante. Teve como melhor resultado em Mônaco ao concluir em quinto. Ficou frequentemente atrás de seu companheiro mexicano Sergio Perez. Fechou o ano em baixa.

Carro 15- Paul di Resta

 

Paul di Resta começou o ano com o pé direito. Surrando Sutil, mas levou a virada alemã. Teve como melhor resultado um sexto na etapa de Cingapura como melhor resultado. E de quebre garantiu o prêmio de melhor rookie do ano ao derrotar de lavada o seu principal adversário, Sergio Perez. Nada mal para um estreante.

Carro 19- Jaime Alguersuari

O DJ Squire que tinha terminado 2010 em baixa, até que não fez um mal ano. Teve como melhor resultado dois sétimos lugares em Monza e em Yeongam. E sempre se aproveitou da incrível velocidade de seu STR em retas e só se deu bem em pistas de uma velocidade notável, exemplos: Canadá, Itália, Coreia e Índia. Nada mal para o DJ Squire, pena que está desempregado atualmente.

Carro 18- Sebastien Buemi

E não é que o Buemi também não terminou o ano mal. Mas a sorte também nunca esteve ao seu lado. Quando estava em uma boa posição, o seu carro lhe matava como na Índia e nos Emirados Arabes. Ficou um pouco mais famoso ao levar uma linda ultrassagem de Bruno Senna na Itália. Está desempregado e provavelmente continuará sem emprego em 2012.

Carro 17- Sergio Perez

Sergio Perez reviveu Robert Kubica e marcou pontos na primeira corrida. Mas ele reviveu Robert Kubica até demais e ele foi desclassificado igualzinho ao Kubica na sua primeira corrida. E acabou revivendo tanto Robert Kubica que sofreu um acidente grave e não correu no GP seguinte assim como Kubica. Direto ao ponto, Perez acabou perdendo o prêmio de melhor rookie para Di Resta, mas marcou ótimos 14 pontos com um carro não tão bom assim. Bom começo para o mexicano.

Carro 11- Rubens Barrichello

Barrichello continua tentando resistir, mas a coisa está bastante difícil para o brasileiro. Com um carro que simplesmente não anda, não pode fazer muita coisa. Conseguiu marcar 4 pontos com dois nonos lugares no Canadá e em Mônaco. Rubens Barrichello até tentou e teve um tempo incrível na Q2 no Brasil, mas uma largada péssima estragou tudo. Que 2012 seja melhor para ele, isso se ele conseguir uma vaga.

Carro 9- Bruno Senna

O sobrinho de Ayrton Senna, entrou o ano como piloto reserva. Até teve uma chance de começar a temporada como titular, mas não conseguiu bater Heidfeld e teve de contentar em ser reserva. Mas Heidfeld decepcionou e Bruno voltou. Bruno Senna começou bem passando para a Q3 na Bélgica e em Monza. Mas decaiu junto com a equipe e agora corre o risco de estar fora da F1 em 2012. Boa sorte para o Bruninho.

Carro 12- Pastor Maldonado

Pastor Maldonado esteve longe de fazer um bom ano. Marcou um ponto na Bélgica, mas só conseguiu isso. Teve também a ótimaa corrida que ele fez em Mônaco, mas Hamilton lhe jogou para fora da corrida quando estava em sexto. Maldonado só continuou na Williams por causa dos petrodólares da venezuelana PDVSA. Não confio muito nele. Acho que ele não deve fazer um bom 2012.

Carro 17- Pedro de la Rosa

Pedro de la Rosa correu apenas uma vez este ano substituindo o enjoado Sergio Perez. Já era esperado de que De La Rosa só fizesse o que ele sabe fazer de melhor. Apenas, completar a corrida e nada mais. E foi o que ele fez. Em 2012, ele está de volta pela HRT, e deve continuar fazendo o que sabe fazer de melhor: o que acabei de falar.

Carro 21- Jarno Trulli

O velhaco Trulli continua na F1. Ao contrário do ano passado, não sofreu com os problemas hidraulicos e terminou o ano na frente de Kovalainen graças a um décimo terceiro a mais que Kova. Foram na Austrália e em Mônaco. Ele também não correu na Alemanha ao ser substituido por Karun Chandhok por problemas na sua renovação de contrato. Nada mal para o pescarense que estava desacreditado esse ano.

Carro 20- Heikki Kovalainen

Kovalainen foi um dos melhores pilotos da temporada sem sombra de dúvidas. Só não conseguiu ficar na frente de Trulli no campeonato por ter um décimo terceiro lugar a menos que Trulli. Ele conseguiu o décimo terceiro na casa de Trulli. Apesar de ficar atrás de Trulli, ele já se garantiu seu emprego na Caterham para 2012. Que 2012 ele continue andando bem assim como em 2010 e em 2011.

Carro 23- Vitantonio Liuzzi

Vitantonio Liuzzi começou o ano mal ao não se classificar para o GP da Austrália, mas deu uma melhorada. E ficou na frente das duas Marussias Virgin por causa de um décimo terceiro no Canadá. Também ficou conhecido pela seu strike na largada de Monza. E não tinha um bom carro. Tá, ele tinha talvez o pior carro do grid. Liuzzi está desempregado atualmente e deve continuar assim ano que vem.

Carro 25- Jérôme d’Ambrosio

D’Ambrosio começou subestimado pelos russos. Começou bem, mas fez uma série de maus resultados. E ainda conseguiu a proeza de rodar de forma ridícula nos boxes do GP da Hungria. Mas conseguiu terminar o campeonato na frente de seu companheiro por conseguir dois décimos quarto na Austrália e no Canadá. Mas D’Ambrosio fez uma péssima temporada e não deve continuar na F1 em 2012.

Carro 24- Timo Glock

O cara mais azarado da F1 atualmente não teve sorte esse ano. Terminou o ano atrás de D’Ambrosio por não conseguir um décimo quarto, e sim um décimo quinto na Itália. Glock vai continuar na Marussia porque a equipe confia nele, mas ele parece estar bastante deprimido por estar no pior carro do grid atualmente. Provavelmente ele não deverá fazer uma boa temporada 2012 na F1.

Carro 22/23 na Índia- Narain Karthikeyan

Karthikeyan foi resgatado das catacumbas da NASCAR Truck Series pela HRT e entrou para história. Não por um grande feito, e sim por ter sido o primeiro vigésimo quarto numa corrida de F1. Foi sacado da HRT no mesmo onde terminou em vigésimo quarto, mas por contrato ele correu no lugar de Vitantonio Liuzzi e não fez mal. Ele não deve continuar em 2012.

Carro 22- Daniel Ricciardo

Daniel Ricciardo entrou na F1 no lugar de Narain Karthikeyan a partir de Silverstone. Ricciardo não fez mal, mas só conseguiu dois décimos oitavo na Hungria e na Índia como melhores resultados. Mas isso lhe garantiu uma vaga de primeiro piloto na Toro Rosso em 2012. Boa sorte para ele e quem sabe ele pode ser um futuro Vettel ou um futuro Webber, já que ele é australiano.

Carro 21- Karun Chandhok

Não, você não está doido. Chandhok não venceu uma corrida pela Caterham, ele só recebeu a bandeirada após dar umas voltinhas nas ruas de Moscou. Chandhok correu apenas uma vez no lugar de Jarno Trulli. Karun reviveu Yuji Ide e teve uma série de rodadas ridículas e chegou a levar uma volta das duas HRT. Não deve correr ano que vem. Talvez ele até vá para o Mundial de Endurance.

Continuando com a Retrospectiva 2011, com os pilotos. Por ordem de classificação do campeonato.

Carro 1- Sebastian Vettel

Só uma palavra descreveu Vettel esse ano: dominador. Vettel dominou o ano todinho. Conseguiu 15 pole-positions só nesse ano e venceu em 11 dessas corridas. Além disso ficou conhecido por a cada GP, ele trocar a pintura de capacete. Estamos vendo um novo Schumacher de atualmente.

Carro 4- Jenson Button

Jenson Button foi o segundo melhor piloto de 2011 com sobras. Sempre esteve ali em segundo ou em terceiro. Mas estava ali. Button foi esse ano o mago na chuva. Em Hungaroring com chuva, ele se aproveitou de erros de adversários como fez em 2006 e ganhou de forma magnifica. Segundo lugar merecido para Button.

Carro 2- Mark Webber

Se por um lado, Vettel foi o astro. Webber apenas foi um patinho feio da Red Bull. Fazia a pole, largava mal, ia para trás, fazia uma estratégia diferente e ainda fazia a melhor volta, como foi o caso de Mônaco. Mas esperou o ano todo para vencer na última corrrida do ano, por causa de um “problema” no carro de Vettel. Pelo menos conseguiu encerrar o ano em grande estilo.

Carro 5- Fernando Alonso

Fernando Alonso nunca tinha sofrido com seu carro desde os tempos de Minardi. Mas esse ano ele sofreu muito com um Ferrari tão ruim quanto o de 2009. Chegou a vencer na Inglaterra quando se aproveitou de erros da Red Bull nos boxes. No final, perdeu a terceira posição para Webber por um mísero ponto. Para um piloto que não tinha um carro bom, nada mal.

Carro 3- Lewis Hamilton

Hamilton não teve um bom ano. Seu pai deixou de agencia-lo para agenciar Paul di Resta. Seu novo agente não lhe ajudou muito e fez pensar que era um popstar e que tudo girava em torno dele. Se envolveu em várias desventuras com Felipe Massa. E sua namorada, Nicole Schezinger lhe abandonou. Mas mesmo assim conseguiu vencer em três casos. Mas mesmo assim, fechou o ano em baixa.

Carro 6- Felipe Massa

Massa viveu talvez o seu ano mais difícil na F1. Não conseguiu sequer uma posição melhor que o quinto posto. Está sob forte pressão do público brasileiro e sofreu com os novos compostos na Pirelli. Se envolveu em várias desventuras com Lewis Hamilton, e fechou o ano em baixa com a torcida brasileira. Que 2012 deja bem melhor para ele.

Carro 8- Nico Rosberg

Rosberg novamente deu surra em seu companheiro heptacampeão, Michael Schumacher. Nico Rosberg tinha um carro rápido nas retas e sempre dava trabalho em pilotos como Felipe Massa, Lewis Hamilton e Adrian Sutil. Mas o problema maior da Mercedes era o alto desgaste dos pneus traseiros e isso atrapalhava nas corridas do alemão com cara de Britney Spears. E assim com Massa, teve como melhor resultado um quinto posto.

Carro 7- Michael Schumacher

Schumacher novamente não páreo para seu companheiro Rosberg. Apesar disso teve corridas memoráveis como na Bélgica e na Itália. Ao lado se Rosberg, sempre esteve dando trabalho para Hamilton, Massa e Sutil. Teve disputas acirrantes com Rosberg na Bélgica com Hamilton na Itália. Mas para não deixar o heptacampeão tristinho, um título para ele: Schumacher foi o piloto que mais realizou ultrapassagens em 2011. Que 2012 também seja um bom ano para ele.

Carro 14- Adrian Sutil

  

Sutil começou o ano levando surra de Di Resta, mas deu um revira-volta e conseguiu nocautear Di Resta. Teve corridas muito boas como na Alemanha e no Brasil. Quando um piloto das equipes de ponta abandonava, ele virava um candidato a ser o sexto colocado. Brigava com Rosberg e Schumacher toda hora e na maioria das vezes vencia. Se ele ficar de fora da temporada de 2012, vai ser a maior injustiça de 2012.

Carro 10- Vitaly Petrov

Petrov foi outro que teve um ano bastante difícil. Vitaly Petrov começou o ano em alta com um pódio na Austrália. Mas a equipe decaiu depois da Alemanha e Petrov marcou só 5 pontos em nove GPs. E agora Petrov está sem equipe e tem grandes chances de ficar sem equipe ou voltar a ser piloto de testes assim como o também russo Sergey Zlobin. Péssimo destino para o primeiro russo a correr na F1.

Amanhã a segunda parte.

 

Normalmente eu não faria uma retrospectiva. Não sou dessas coisas. Apesar de adorar ver uma retrospectiva na TV Globo ou blog do Bandeira Verde. Vou dizer porque não gosto de fazer uma retrospectiva. Dá muito trabalho e eu teria de fazer um texto longuíssimo. Então vou aproveitar que essa é a última semana de 2011, para usar esses últimos 5 dias para fazer uma retrospectiva que usará esses cinco dias inteiros. Hoje falaremos das 12 equipes que se aventuraram durante essas 19 etapas de 2011.

Para melhorar mais, vou dar saldos para cada equipe. Veja os saldos que vou dar:

  • Saldo bastante positivo
  • Saldo positivo
  • Saldo mais ou menos
  • Saldo negativo
  • Saldo bastante negativo

Red Bull Racing

Mark Webber Sebastian Vettel of Germany and Red Bull Racing leads team mate Mark Webber of Australia and Red Bull Racing early in the Brazilian Formula One Grand Prix at the Autodromo Jose Carlos Pace on November 27, 2011 in Sao Paulo, Brazil.

A Red Bull realmente me surpreendeu em 2011. Esperava um campeonato disputado, mas apenas vi o domínio espetacular do pequeno alemão de Heppenheim. O carro não era lá essas coisas em retas, mas era o melhor nas curvas. Isso ficou bem claro na Índia com Vettel e Webber andando mal no primeiro setor, mas o mais rápido num segundo e terceiro setor dominado por curvas.

Vettel dominou, isso ficou bem claro. Quanto ao Webber, apenas foi um coadjuvante. No final, um saldo bastante positivo para a equipe das latinhas.

Vodafone McLaren Mercedes

 

Em 2011, a McLaren claramente foi a segunda melhor equipe de 2011. Apesar da equipe ser a segunda melhor, sempre quis dar uma beliscadinha ali na supremacia da Red Bull. Apesar de vários achaream que a dupla Hamilton-Button era a melhor da F1 atual. Essa dupla foi a mais diferente dessa temporada.

Hamilton era agressivo (até demais) e impulsivo. Já Button é um Elio de Angelis da atualidade, gentleman, estratégico e agressivo na hora certa. A única coisa igual nessa dupla foi que eles venceram 3 corridas cada. Saldo positivo e segunda melhor equipe com sobras em 2011 para a equipe de Woking.

Scuderia Ferrari

A equipe que deu inspiração ao nome desse blog não foi páreo para a McLaren e para a Red Bull. O carro foi pior do que o de 2010 e o de 2009 juntos. Pelo menos levaram uma vitória para casa em Silverstone após a McLaren e a Red Bull fazerem suas trapalhadas nos boxes. Na foto, a cena mais comum de 2011: Alonso na frente de Massa.

Massa sofreu com vários problemas e com a pressão imposta por idiotas que acham que brasileiro tem ganhar em todas. Alonso foi melhor, mas não foi o suficiente para parar a McLaren e Red Bull. Saldo negativo para a equipe de Maranello.

Mercedes GP Petronas F1 Team

A Mercedes novamente não surpreendeu como dizia em meados do início de 2010. Esse ano ficou ficou disputando posições com Forces India e Saubers. Mas esse ano foi pior do que de 2010. Schumacher não pode fazer muita coisa, apesar de fazer belas corridas de recuperação como na Bélgica. Rosberg novamente foi rápido, mas não o suficiente. Rosberg sempre esteve dando trabalho principalmente para Massa (na Alemanha, Massa demorou mais de 20 voltas para fazer a ultrapassar) .

Quarto lugar no campeonato com sobras. Mas mesmo assim, saldo negativo para a equipe que usa pasta de dente na lateral do carro.

Lotus Renault GP

A Lotus Renault tinha tudo para ser a quarta melhor equipe de 2011, mas declinou do segundo semestre pra cá. E ainda por cima, quase perdeu o posto de quinta melhor equipe para a Force India. A Lotus preta escapou por 3 pontos da Force India de Lego. A equipe começou 2011 com a dupla Kubica-Petrov, mas o acidente de Kubica fez com que a dupla mudasse para Heidfeld-Petrov. Mas Heidfeld andou mal e a dupla mudou-se para B.Senna-Petrov.

Bruno não andou mal no começo, mas declinou da Itália pra cá. Das duplas da Lotus Renault em 2011, apenas Petrov conseguiu de manter em todas as duplas em 2011. Saldo mais ou menos para a Lotus preta e dourada.

AT&T Williams

A Williams foi a maior decepção de 2011. Barrichello não conseguiu fazer milagre com a sua Williams e Maldonado tampouco. Barrichello salvou a equipe ao marcar 4 pontos (2 em Montecarlo e 2 em Montreal) . Maldonado conseguiu marcar 1 ponto em Spa, mas foi o segundo pior estreante com sobras.

No final, a Williams foi melhor só que as equipes nanicas que chamamos de Caterham, Marussia e HRT. Saldo bastante negativo para a equipe de Sir Frank.

Force India Formula One Team

A Force India conseguiu de vez ser a sexta melhor equipe da F1. E não conseguiu ser mehor por 3 pontos. Após não conseguir a sexta posição ano passado por 1 ponto, será que ano que vem a equipe não vai conseguir a quarta posição por 2 pontos e por aí vai. De olho na Force India ano que vem digo eu. Sutil começou o ano levando surra de Di Resta, mas depois mostrou quem é que manda naquela equipe. Quanto ao Di Resta, brigou o ano todo com Sergio Perez como o melhor rookie do ano e se saiu melhor.

Saldo bastante positivo para a equipe do Rio Ganges.

Sauber F1 Team

A Sauber tinha tudo para brigar duro com a Williams e Force India pelo sexto posto no campeonato. Comuçou o ano da melhor forma possível, mas viu a Force India evoluir e fazer uma ultrapassagem facílima. Restou a equipe de Peter Sauber brigar com a Toro Rosso pela sétima posição e usou a falta de retas longas de Interlagos para garantir a sétima posição sobre a rival taurina e paupérrima. Kobayashi não surpreendeu muito esse ano. Perez deu um susto ao bater de lado na Chicane do Porto. Voltou para o Canadá, mas não se sentiu bem e deu lugar a Pedro de la Rosa fazer o se sempre. Um café com leite normal do espanhol.

Eu não sei qual saldo eu dou, então eu vou dar um saldo mais ou menos para a equipe de Peter Sauber.

Scuderia Toro Rosso

A Toro Rosso evoluiu de 2010 para cá. A prima paupérrima da Red Bull era ao contrário da Red Bull, a mais rápida nas retas e não ser muito rápido nas curvas. Alguersuari foi um piloto bastante consistente durante o campeonato e Buemi sempre teve o azar do seu lado. Sempre esteve brigando com Force India e Sauber e perdeu para as duas, sendo que perdeu para a Sauber por 3 pontos.

Saldo mais ou menos para equipe prima da Red Bull, só que a Toro Rosso tem menos dinheiro.

Team Lotus

A Lotus esverdeada foi junto com a Force India, a que mais evoluiu de 2010 para 2011. Sempre esteve alcançando grandes feitos como ir a Q2 em algumas corridas com Kovalainen que foi um sinal de superação em 2011. Trulli superou seus problemas com os problemas hidraulicos em seu carro, mas a sorte não sorriu para o pescarense. E Trulli não correu em Nurburgring por problemas no seu contrato e foi substituido por Karun Chandhok. Chandhok reviveu Yuji Ide e não fez nada de relevante a não ser ficar rodando na pista e levar uma volta das duas HRT.

Saldo positivo para a Lotus esverdeada.

Hispania Racing Team F1 Team

Enfim, a HRT. É talvez a equipe mais simpática do fundão. Fez o de sempre que é ficar brigando com a Marussia pelo posto de décima primeira melhor equipe. A HRT começou com a dupla Liuzzi-Karthikeyan. Com um carro ruim, a dupla não se classificou para o GP da Austrália. Mas depois melhorou e nunca mais não se classificou. Karthikeyan foi sacado da equipe em Valência e Daniel Ricciardo entrou em seu lugar. Ricciardo andou muito bem durante o tempo em que andou pela HRT. Na Índia, Liuzzi foi trocado por Karthikeyan apenas por causa do marketing que conseguiria com um indiano no primeiro GP da Índia da F1.

Saldo mais ou menos para equipe mais adorada desse humilde blog.

Marussia Virgin Racing

A pior equipe da F1. A equipe tinha esperança de ter um carro bom com seu carro feito no computador, mas as esperanças foram aniquiladas com o pior carro de 2011. Glock parecia estar deprimido pro estar num carro tão ruim e não conseguiu fazer milagre com o MVR02. D’Ambrosio começou bem o ano, mas declinou desde quando eu falei que ele era um piloto que tinha futuro. D’Ambrosio recebeu o prêmio de pior rookie de 2011.

Saldo bastante negativo para a equipe da aeromoça Richard Branson.

Veja o ranking de saldos:

Saldo bastante positivo: Red Bull e Force India.

Saldo positivo: McLaren e Team Lotus.

Saldo mais ou menos: Lotus Renault, Toro Rosso, HRT e Sauber.

Saldo negativo: Ferrari e Mercedes.

Saldo bastante negativo: Williams e Marussia Virgin.

Uma coisa eu percebi nesse post: Toro Rosso significa Red Bull em italiano e Red Bull significa Touro Vermelho em inglês (dessa última eu já sabia) .

A, de Asa-móvel- Funcionou muitíssimo bem nas corridas. Causou um pouquinho de polêmica por facilitar muito as ultrapassagens. Raikkonen até falou que a ultrapassagem com asa-móvel não era uma ultrapassagem real, e sim uma ultrapassagem eletrônica. Em certos casos como no Brasil e em Mônaco, mas em outros deu bastante certo como na Turquia, em Abu Dabhi e no Canadá.

B, de Bruno Senna- Começou o ano na reserva e graças às más atuações de Heidfeld, foi promovido a piloto titular na Lotus Renault. Começou arrasando a concorrência (literalmente) na Bélgica e na Itália, mas depois só caiu de produção. Chegou perto dos pontos na Índia e no Brasil, mas só passou perto no final.

C, de Chandhok- O indiano não conseguiu uma vaga na F1. Conseguiu apenas ser o piloto reserva da Team Lotus. Ganhou sua chance em Nurburgring, mas decepcionou com várias rodadas e escapadas. Até tentou correr no seu país natal, mas Tony Fernandes negou e Chandok teve de se contentar com um treino livre de sexta em seu país natal. Que pena do monocelha mais rápido do mundo.

D, de Disputa- Esse ano não teve. Já que Vettel garantiu o título em Suzuka e deixou todos os outros de mãos abanando. Bom para o alemão de Heppenheim.

E, de Evolução- Nessa temporada a Force India e a Lotus foram as equipes que mais evoluíram. A Force India ficou a 4 pontos da quinta colocada, Lotus Renault. A Lotus já começou a passar para a Q2 com Kovalainen que também mostrou evolução, dando surra no seu companheiro nascido em Pescara, Jarno Trulli.

F, de Felipe Massa- Segundo David Coulthard, ele foi a decepção da temporada. Não desgrudava do sexto e do quinto. Mas quando ele estava brigando por uma posição melhor, alguma coisa acontecia como a parada na última volta na Alemanha ou a rodada na curva 1 nos Emirados Árabes.

G, de Gilles Villeneuve- O GP do Canadá realizado no Circuit Gilles Villeneuve, foi o mais legal de 2011. Foram 4 horas de corrida. Tivemos que assistir o jogo do Corinthians para vermos a corrida. Teve Alonso batendo e Massa puto com Karthikeyan. Teve até os mecânicos da Force India brincando com um cachorrinho de brinquedo.

Largada do GP do Canadá de 2011

H, de Hamilton- Hamilton foi outro polêmico na temporada. Se envolveu em várias batidas e punições. Não foi mais agenciado pelo seu pai e sim por um cara do show bussiness e terminou seu namoro com Nicole Schezinger. Mas parece que no final da temporada ele voltou a ser o Hamilton que conhecemos.

I, de Interlagos– O GP do Brasil deste ano não empolgou muito. Quem sabe a pista bacana que é Interlagos poderia dar uma animada na corrida, mas nem isso. Pelo menos podemos ver Massa sem pneus, segurando bravamente Hamilton que tinha mais pneus e asa móvel. Hamilton terminou aquela corrida e não passou Felipe Massa.

J, de Jogo de equipe- Ainda existe a suspeita de que Vettel deixou Webber passar no Brasil. Como Vettel poderia estar com problemas no câmbio e ainda fazer a volta mais rápida por três vezes! E ainda teve o lance na Inglaterra, quando Webber se aproximava de Vettel e a equipe disse para Webber não passar Vettel. Webber não obedeceu e por muito pouco não ultrapassou Vettel. Ano passado, Horner falou que esse negócio de jogo de equipe não constava no dicionário da Red Bull.

K, de KERS- O KERS apenas foi uma irmãzinha menor da asa-móvel. Mas o KERS ajudou bastante na hora da largada. E também ajudava um pouquinho a ultrapassar numa reta que não era a da asa-móvel. Além disso, o KERS não foi utilizado pela Lotus, pela Hispania e pela Marussia Virgin.

L, de Lucas di Grassi- Di Grassi disse que ia correr no Brasil, mas não deu por falta de patrocínio. Teve de se contentar em pilotar um Toyota preto de 2009 testando apenas os novos compostos da Pirelli.

Di Grassi testando pela Pirelli

M, de Maldonado- O venezuelano patrocinado pela petrolífera PDVSA não surpreendeu muito esse ano. Marcou apenas um ponto em Spa. E nada mais para dizer.

N, de Narain Karthikeyan- O indiano só conseguiu correr em 2011 graças ao seu patrocínio da indiana Tata Motors. Decepcionou e foi sacado depois de ser o primeiro vigésimo quarto da história da F1. Mas conseguiu pilotar na terra natal, Índia. E desfrutou de seus 15 minutos de fama.

O, de Oval- Temos circuitos muito ruins na F1. Isso é fato. Não permitem ultrapassagens e a corrida vira uma procissão, uma romaria. Temos também circuitos de rua, circuitos no deserto, circuitos a noite, chiques, pobres, mal feitos, deslumbrantes. Mas nunca na história da Fórmula 1 tivemos uma corrida em circuito oval. Os carros não suportariam a pressão aerodinâmica? Os pilotos não estariam preparados? Quais as implicações de se experimentar uma corrida num local tipicamente dominado pela Fórmula Indy? Eu gostaria de ver um Koba Mito, um Alonso, um Hamilton se virando em curvas de 90º de inclinação…

P, de Pneus Pirelli- Os novos compostos da Pirelli realmente animaram um pouco as corridas. Os pneus macios não duravam 20 voltas e os duros ou médios duravam umas 25, 30 voltas. De vez em quando um Kobayashi ou um Perez apostavam numa única parada e se davam bem. Mas quem cuidava dos pneus como se fossem bebês, era Jenson Button. Esse sim merecia ser campeão.

Q, de Q1, Q2 e Q3- Trulli, Liuzzi, D’ Ambrosio, Glock, Karthikeyan, Ricciardo e Chandhok nunca passaram para a Q2.

R, de Rubens Barrichello- O bravo Barrichello pilotou uma caquética Williams. Marcou míseros 4 pontos e nada mais. Não se sabe se ele continuará em 2012. Ele disse que o GP do Brasil não seria sua última corrida. Vamos ver no que dá o futuro de Rubens Barrichello.

S, de Schumacher- Outro injustiçado. Teve boas atuações como no Canadá e na Bélgica e más atuações como na Alemanha. Ele já tem 42 anos. Talvez ele já esteja enferrujado. Só resta o velho Schumacão esperar por um futuro melhor.

T, de Timo Glock- O velho Timo andou com um miserável MVR-02. Parece que a sorte nunca sorriu para ele. Ele tem o primeiro nome de um órgão do sistema que proteje o ser humano. E o segundo nome é o de uma marca de pistolas. E ele renovou com a Marussia. Meu Deus, ele não dá uma dentro!

U, de Ultrapassagem- Talvez a melhor ultrapassagem da F1 foi a de Vettel sobre Alonso por fora em Monza. Ou a ultrapassagem de Massa sobre Kobayashi na última reta e ganhou a sexta posição nos últimos milímetros. Decida qual foi a melhor ultrapassagem e se achar outra use e abuse da caixa de comentários.

V, de Vettel- Foi o dominador de 2011. Venceu 11 das 19 corridas realizadas. Foi o recordistas de poles-position numa única temporada. E garantiu o título antecipado logo no Japão. E pra terminar, é o bicampeão mais jovem da história da F1. Precisa dizer mais alguma coisa.

W, de Webber- Foi apenas sombra de seu companheiro Vettel. Sempre fazia largadas ruins e botava tudo a perder. Tinha apenas que se contentar com as melhores voltas em sete corridas. Mas deixou tudo para o final quando “ultrapassou” Vettel e liderou de ponta a ponta para ganhar o GP do Brasil de 2011. Terminou o ano com uma imagem diferente daquela apresentada no início da temporada.

X, de Xangai- A corrida de Xangai foi uma das mais chatas da temporada. 23 carros completaram (Alguersuari abandonou) . A única coisa diferente foi que Vettel não ganhou. Hamilton ganhou por estar com mais pneu.

Y, de Yeongam- Ao contrário do ano passado, não teve uma corrida bacana. Só teve de empolgante Massa em terceiro e Schumacher e Petrov batendo. Nada mais.

Z, de zzzzzzz: Tá, tudo bem…. a F1 é fascinante. Estratégia, disputadas acirradas, rivalidades. Mas não dá para negar que algumas corridas deram sono. E não só porque eram transmitidas durante a madrugada. Procissões, desfiles, salão do automóvel… escolha o melhor apelido e tedie-se!

PS: O leitor Araújo Gabriel acertou a foto de ontem. Parabéns, Araújo Gabriel.

A temporada 2011 da F1 foi marcada pelo amplo e inconteste domínio de Sebastian Vettel e da Red Bull. O alemão sobrou em todo o ano e faturou o título com quatro rodadas de antecedência, tornandos-se o mais jovem bicampeçao da história da categoria.

As estatísticas por si só não podem refletir integralmente o que foi um ano repleto de disputas, ocorrências, erros, acertos, conflitos e demais nuances subjetivas, mas ajudam a elucidar o quão soberano foi Vettel perante os adversários.

Vitórias

Em 2011, Vettel ficou muito perto de se tornar o maior vencedor da F1 em um mesmo ano. Foram 11 vitórias, algo superado apenas por Michael Schumacher. O alemão mais velho segue com seus 13 triundos de 2004 intocáveis.

A seguir, veio a dupla da McLaren, com o vice-campeão Jenson Button e Lewis Hamiltons empatados com três cada. Fernando Alonso levou um troféu de vencedor a mais para casa na Inglaterra, enquanto Mark Webber faturou somente a etapa do Brasil.

Sebastian Vettel – 11 vitórias (Australia, Malásia, Turquia, Espanha, Mônaco, Valência, Bélgica, Itália, Cingapura, Coréia do Sul e Índia)

Jenson Button – 3 vitórias (Canadá, Hungria e Japão)

Lewis Hamilton – 3 vitórias (China, Alemanha e Emirados Arabes Unidos)

Fernando Alonso – 1 vitória (Inglaterra)

Mark Webber – 1 vitória (Brasil)

Poles

Largar da posição de honra do grid também foi rotina para Vettel nesta temporada. Em Interlagos, ele quebrou o recorde absoluto de poles em um mesmo ano, ao marcar pela 15ª vez o tempo mais rápido da classificação.

Por pouco, a Red Bull não impôs uma histórica e inédita hegemonia de poles, já que Mark Webber foi o melhor em três das quatro classificações restantes. A campanha 100% foi evitada somente por Lewis Hamilton e sua solitária pole na Coreia do Sul. Ainda assim, a equipe anglo-austríaca pulou para o topo da tabela de poles por equipes em uma só temporada, com 18.

Sebastian Vettel – 15 poles (Australia, Malásia, China, Turquia, Mônaco, Canadá, Valência, Hungria, Bélgica, Itália, Cingapura, Japão, Índia, Emirados Arabes Unidos e Brasil)

Mark Webber – 3 poles (Espanha, Inglaterra e Alemanha)

Lewis Hamilton – 1 pole (Coréia do Sul)

Pódios

Outro recorde igualado por Vettel em Interlagos e que foi pouco lembrado é o do número de pódios em uma mesma temporada. Das 19 corridas de 2011, o alemão esteve na cerimônia de premiação 17 vezes, faltando apenas às provas da Alemanha e Abu Dhabi.

Mais uma vez, o bicampeão rivalizou com seu compatriota Schumacher, que atingira a mesma quantidade de pódios em 2002. A diferença é que, naquele ano, foram disputadas 17 GPs, o que significa que Michael esteve na tribuna em todas as corridas.

Button apareceu em segundo, com 12 pódios e uma curiosidade: nas primeiras dez corridas do ano, ele esteve entre os três melhores apenas quatro vezes, mas emplacou oito pódios em nove corridas a partir do GP da Hungria. Na sequência, ficou Alonso, com dez, mesmo número de Webber. Já Hamilton saboreou o champanhe apenas seis vezes.

Fora as três grandes, somente a Lotus Renault teve o gostinho de terminar uma corrida entre os três primeiros. Duas, precisamente. Vitaly Petrov chegou ao pódio na Austrália e Nick Heidfeld repetiu o feito na Malásia.

Sebastian Vettel – 17 pódios

Jenson Button – 12 pódios

Fernando Alonso – 10 pódios

Mark Webber – 10 pódios

Lewis Hamilton – 6 pódios

Vitaly Petrov – 1 pódio

Nick Heidfeld – 1 pódio

Voltas mais rápidas

Se não conseguiu fazer frente a Vettel em quase nenhum quesito este ano, Mark Webber teve como prêmio de consolação a liderança no que tange às voltas mais rápidas. Foram sete anotadas pelo australiano ao longo de 2011, contra três de Hamilton, três de Button e outras três de Vettel. Felipe Massa, que não havia aparecido em nenhuma das estatísticas anteriores, teve seu nome inserido aqui com duas voltas mais rápidas. Alonso veio em sexto, com uma.

Mark Webber – 7 voltas mais rápidas (Malásia, Turquia, China, Mônaco, Bélgica, Emirados Arabes Unidos e Brasil)

Lewis Hamilton – 3 voltas mais rápidas (Espanha, Alemanha e Itália)

Jenson Button – 3 voltas mais rápidas (Canadá, Cingapura e Japão)

Sebastian Vettel – 3 voltas mais rápidas (Valência, Coréia do Sul e Índia)

Felipe Massa – 2 voltas mais rápidas (Hungria e Australia)

Fernando Alonso – 1 volta mais rápida (Inglaterra)

Voltas lideradas

Mais um recorde para a conta de Vettel. O tedesco liderou nada menos do que 738 voltas das 1.132 realizadas, o que dá um total de 65,3%. A antiga melhor marca era de Nigel Mansell, com 694 em 92.

Apesar da temporada ruim, Hamilton ficou em segundo com sobras nessa estatística, com 150, 62 a mais que o companheiro Button. Alonso foi o quarto, com 68, enquanto Webber registrou ínfimas 59 voltas lideradas com a Red Bull.

Nico Rosberg colocou a Mercedes em sexto na estatística, tendo fechado 17 passagens na primeira colocação. Atrás dele, ficaram Massa, com nove, e Schumacher, com três.

Sebastian Vettel – 738 voltas lideradas

Lewis Hamilton – 150 voltas lideradas

Jenson Button – 88 voltas lideradas

Fernando Alonso – 68 voltas lideradas

Mark Webber – 59 voltas lideradas

Nico Rosberg – 17 voltas lideradas

Felipe Massa – 9 voltas lideradas

Michael Schumacher – 3 voltas lideradas

CORRIDA: Na largada, Vettel abre logo 1s para o segundo colocado. Barrichello larga mal e perde 8 (!) posições. Um tempo depois, vem a notícia de que Vettel está com um problema no câmbio e começa a perder o rendimento. Button, Alonso e Hamilton brigam pela segunda posição que acaba por ficar com Alonso e deixa Button brigando com Hamilton pra ver quem fica no pódio. B.Senna  e M.Schumacher brigam ferozmente pela nona posição.

Os dois de tocam, B.Senna reclama. Eles se tocam de novo e Schumacher fica com um pneu furado. E quando todos pensavam que Schumacher iria ser punido, é Senna que é punido. Todos vão fazer sua primeira parada. Glock abandona porque o pneu fugiu e por pouco não foi para a pista. E Galvão soltou o verbo: “O carro já é ruim e ainda acontece isso” . Barrichello briga com Maldonado. Um tempo depois e Maldonado abandona.

A maioria dos pilotos vão fazer sua segunda parada, menos Felipe Massa que apostava na chuva. Começava aí a torcida para que São Pedro mandasse ver em Interlagos. Massa segura bravamente Hamilton que tentava, mas não conseguia. A chuva não chegava. Hamilton vai para os boxes para não ficar ali atrás do Massa. A chuva ainda não tinha chegado.

E Massa desiste de esperar a chuva e vai para os boxes. Chega a notícia de que Hamilton está com um problema no câmbio. Massa volta na frente de Hamilton e começa de novo. Hamilton não consegue passar Massa e para piorar, o carro entra em ponto morto e Hamilton abandona.

Vem a notícia de que a chuva não iria aparecer. Alonso briga com Button pelo pódio e Button consegue a ultrapassagem. A lenda da F-3000, Vitantonio Liuzzi, abandona e encerra o ano com sua HRT. Com Webber, Vettel e Button no pódio acabou o GP do Brasil de 2011, a temporada 2011 de F1 e o meu especial sobre o GP do Brasil. Altos e Baixos só no ano que vem agora.

E para terminar, Massa deu um zerinho para a torcida e arrancou uns aplausos da torcida. Barrichello também deu um tchauzinho porque sabe que pode não participar ano que vem da temporada 2012 de F1.

Destaque positivo da corrida: Mark Webber, pra quem era considerado a decepção do campeonato, nada mal. E olha que ainda existe a suspeita de que a Red Bull teria inventado esse problema no câmbio para que Vettel deixasse Webber passar. Já que a ultrapassagem de Webber sobre Vettel foi um tanto interessante…

Destaque negativo da corrida: São Pedro, falou que ia chover na corrida, mas deu um belo drible sobre os poderosos computadores que diziam que ia chover. Acabou com a emoção da corrida. E olha que ele fez chover em tudo quanto é canto de São Paulo. Choveu em toda a São Paulo, menos em Interlagos.

CAMPEONATO:

PILOTOS:

País Piloto Pos. Pontos
Alemanha Sebastian Vettel 392
Inglaterra Jenson Button 270
Austrália Mark Webber 258
Espanha Fernando Alonso 257
Inglaterra Lewis Hamilton 227
Brasil Felipe Massa 118
Alemanha Nico Rosberg 89
Alemanha Michael Schumacher 76
Alemanha Adrian Sutil 42
Rússia Vitaly Petrov 10º 37
Alemanha Nick Heidfeld 11º 34
Japão Kamui Kobayashi 12º 30
Escócia Paul di Resta 13º 27
Espanha Jaime Alguersuari 14º 26
Suíça Sébastien Buemi 15º 15
México Sergio Pérez 16º 14
Brasil Rubens Barrichello 17º 4
Brasil Bruno Senna 18º 2
Venezuela Pastor Maldonado 19º 1
Espanha Pedro de la Rosa 20º 0
Índia Karun Chandhok 21º 0
Itália Jarno Trulli 22º 0
Itália Vitantonio Liuzzi 23º 0
Bélgica Jérome D’Ambrosio 24º 0
Austrália Daniel Ricciardo 25º 0
Finlândia Heikki Kovalainen 26º 0
Índia Narain Karthikeyan 27º 0
Alemanha Timo Glock 28º 0
França Romain Grosjean AT 29º None
França Jean-Éric Vergne AT 30º None
República Checa Jan Charouz AT 31º None
Alemanha Nico Hulkenberg AT 32º None
Brasil Luiz Razia AT 33º None

AT= Apenas treino

EQUIPES:

País Equipe Pos. Pontos
Áustria Red Bull Racing 650
Inglaterra McLaren 479
Itália Ferrari 375
Alemanha Mercedes 183
Inglaterra Lotus Renault 73
Índia Force India 69
Suíça Sauber 44
Itália Toro Rosso 41
Inglaterra Williams 5
Malásia Lotus                10º   0           
Espanha Hispania           11º    0          
Rússia Marussia Virgin 12º    0          

Webber venceu para terminar o ano em alta

Olha 11, 12, 13 legal

CORRIDA: Na largada, Vettel sem mantém na frente e B.Senna perde várias posições. Mas num momento raro, o pneu traseiro estoura na curva 2 da primeira volta (!) . Vettel lasca sua suspensão e acaba abandonando e fazendo aquela carinha de chateado. B.Senna vai para os boxes numa estratégia besta da Renault. Quem também entra nos boxes é Sergio Perez para trocar a asa. Rosberg e M.Schumacher lutavam pela sexta posição, mas Rosberg se deu melhor sobre o heptacampeão. Webber e Button batalhavam pela terceira posição. Webber consegue a ultrapassagem, mas acaba levando o “X” . Na volta 17, Hamilton e Alonso fazem suas paradas. Webber também faz a sua parada, mas acontece um problema e Webber perde posições para Alonso e Massa. D’ Ambrosio e Buemi abandonam .

Hamilton continua na liderança com Alonso em segundo e Button e Massa brigando pelo pódio. Webber consegue se aproximar para brigar junto com Button e Massa. Webber passa Massa, mas leva um outro “X” . Button some na frente. Maldonado erra a saída dos boxes e bate no começinho do túnel dos boxes, mas mesmo assim continua a corrida sem maiores problemas. E Maldonado aparece de novo na corrida, ele luta com Alguersuari nas posições intermediárias, e Webber e Massa acabam encontrando essa disputa no meio do caminho.

Alguersuari e Maldonado nem ligam para Massa e Webber e ignoram a bandeira azul por algumas curvas. Alguersuari é ultrapassado por Maldonado e abre para Webber e Massa. Maldonado não abre para eles (ele já tinha levado uma punição por ignorar as bandeiras azuis) , Massa consegue passar, mas Webber não. Maldonado vai lá fora na curva 10 e quase detona a plaquinha do DRS. Eles dividem a curva e Webber finalmente consegue a ultrapassagem, mas Webber fica a dois segundos de Massa.

Todos vão para os boxes. Webber foi talvez o único que botou pneus macios sem ter corrido com os pneus médios. Então ele tinha que fazer mais uma parada nos boxes. Webber se distancia de Massa e chega em Button. Webber tinha que abrir em relação a Massa, para pelo menos ganhar a posição de Massa que era sexto (Roberg estava em quarto e não tinha feito sua parada nos boxes) . Button usa a asa móvel e consegue a ultrapassagem sobre Rosberg. Webber continuava tentando abrir em relação a Massa, mas esse trabalho todo ficou mais fácil, após Massa rodar na curva 1 durante a parada de Rosberg. Num golpe de sorte (se é que podemos chamar de sorte) , Massa ainda conseguiu passar Rosberg durante a parada do alemão.

Hamilton continuava a liderar sem ser ameaçado por Alonso que era o segundo. Hamilton para primeiro que Alonso. Alonso para duas voltas depois. Alonso ainda tinha uma esperança de voltar na frente de Hamilton, mas essa esperança é pulverizada ao perder tempo nos boxes por causa da Ferrari e tembém porque perdeu tempo atrás de Ricciardo.

Hamilton tava todo tranquilo e venceu a corrida de forma magistral. Só pra terminar, o Ricciardo abandonou e causou na curva 13.

Veja abaixo a classificação final da corrida:

Posição Piloto Pais Equipe Pontos
Lewis Hamilton Inglaterra McLaren 25
Fernando Alonso Espanha Ferrari 18
Jenson Button Inglaterra McLaren 15
Mark Webber Austrália Red Bull Racing 12
Felipe Massa Brasil Ferrari 10
Nico Rosberg Alemanha Mercedes 8
Michael Schumacher Alemanha Mercedes 6
Adrian Sutil Alemanha Force India 4
Paul di Resta Escócia Force India 2
10º Kamui Kobayashi Japão Sauber 1
11º Sergio Pérez México Sauber None
12º Rubens Barrichello Brasil Williams None
13º Vitaly Petrov Rússia Lotus Renault None
14º Pastor Maldonado* Venezuela Williams None
15º Jaime Alguersuari** Espanha Toro Rosso None
16º Bruno Senna Brasil Lotus Renault None
17º Heikki Kovalainen Finlândia Lotus None
18º Jarno Trulli Itália Lotus None
19º Timo Glock Alemanha Marussia Virgin None
20º Vitantonio Liuzzi Itália Hispania None
RET Daniel Ricciardo Austrália Hispania None
RET Sébastien Buemi Suíça Toro Rosso None
RET Jérome D’Ambrosio Bélgica Marussia Virgin None
RET Sebastian Vettel Alemanha Red Bull Racing None

*Maldonado foi punido com acréscimo de 30 segundos por ter ignorado as bandeiras azuis.

**Alguersuari foi punido com acréscimo de 20 segundos por ter ignorado as bandeiras azuis.

Destaque positivo da corrida: Felipe Massa, foi talvez a surpresa da corrida. Com o abandono de Vettel era de se esperar que ele chegasse em quinto, mas ele não queria ser o lanterna das equipes de ponta. Foi atrás do pódio, mas um erro fez com que ele ficasse em quinto.

Destaque negativo da corrida: Os touros vermelhos, parece que a figura do touro vermelho de má sorte aos pilotos que corriam com esse desenho. Vettel abandonou, Webber ficou fora do pódio, Alguersuari foi punido e terminou em décimo quinto, Buemi abandonou e Ricciardo também abandonou. Todos correndo com um desenho de touro vermelho no carro ou capacete.

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO:

PILOTOS:

País Piloto Pos. Pontos
Alemanha Sebastian Vettel 374
Inglaterra Jenson Button 255
Espanha Fernando Alonso 245
Austrália Mark Webber 233
Inglaterra Lewis Hamilton 227
Brasil Felipe Massa 108
Alemanha Nico Rosberg 83
Alemanha Michael Schumacher 76
Rússia Vitaly Petrov 36
Alemanha Nick Heidfeld 10º 34
Alemanha Adrian Sutil 11º 34
Japão Kamui Kobayashi 12º 28
Espanha Jaime Alguersuari 13º 26
Escócia Paul di Resta 14º 23
Suíça Sébastien Buemi 15º 15
México Sergio Pérez 16º 14
Brasil Rubens Barrichello 17º 4
Brasil Bruno Senna 18º 2
Venezuela Pastor Maldonado 19º 1
Alemanha Timo Glock 20º 0
Espanha Pedro de la Rosa 21º 0
Índia Karun Chandhok 22º 0
Itália Jarno Trulli 23º 0
Itália Vitantonio Liuzzi 24º 0
Bélgica Jérome D’Ambrosio 25º 0
Austrália Daniel Ricciardo 26º 0
Finlândia Heikki Kovalainen 27º 0
Índia Narain Karthikeyan 28º 0

EQUIPES:

País Equipe Pos. Pontos
Áustria Red Bull Racing 607
Inglaterra McLaren 464
Itália Ferrari 353
Alemanha Mercedes 177
Inglaterra Lotus Renault 72
Índia Force India 57
Suíça Sauber 42
Itália Toro Rosso 41
Inglaterra Williams 5
Malásia Lotus                10º   0           
Espanha Hispania            11º  0           
Rússia Marussia Virgin  12º  0           

Jumana El Heloueh/Reuters

Vettel viu pela primeira vez uma corrida direto dos paddocks

Hamilton comemora a vitória no GP dos Emirados Árabes, a terceira na temporada 2011

Hamilton comemora a vitória em Yas Marina, localizado em Yas Island

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

abril 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 18 outros seguidores