You are currently browsing the tag archive for the ‘gp2’ tag.

Luiz Razia guiando pela última vez pela Marussia na F1

Tudo começou em meados do começo do ano. Até ali, a Marussia já tinha fechado sua dupla de pilotos, Timo Glock e Max Chilton. Tudo ia bem quando começou a circular boatos de que Timo Glock estava querendo pular fora da equipe e também por estar sem dinheiro nenhum.

Os boatos começaram a ficar fortes até que no dia 20, Glock anunciou que deixaria a Marussia. No dia seguinte, a Marussia confirmou que Glock estava fora da equipe. No outro dia seguinte, a BMW anunciou que Glock era o novo piloto da equipe na DTM.

Foi então que um simples baiano chamado Luiz Razia, que até então estava sofrendo para achar um lugar ao sol na F1, apareceu na história. Ele já havia testado por Toro Rosso e Force India e era o atual vice-campeão da GP2, principal categoria de acesso da F1. Razia começou as negociações com a equipe russa.

Quando no dia 30 de janeiro, as preces de quase todos os brasileiros amantes de corridas foi atendida. Luiz Razia foi anunciado como o novo piloto da Marussia. Pilotar pela Marussia não era lá essas coisas, mas todos os pilotos bons começaram de baixo né?

Luiz Razia já havia sido piloto de testes pela Marussia em 2010, mas depois perdeu espaço na equipe que ainda se chamava Virgin. A princípio, tudo ia as mil maravilhas. Razia levou seus patrocinadores para a Rússia, guiou pela equipe em Jerez, tudo beleza.

Até que um anúncio inesperado. Razia não iria testar os carros rubronegros na primeira semana de testes em Barcelona. Muitos ficaram sem entender o porque de só Max Chilton ir pilotar em Barcelona. Começou a surgir boatos de que um obscuro patrocinador de Razia não estaria depositando dinheiro no cofres da equipe e que por isso, Razia não ia pilotar.

O piloto que chutou Razia da F1

A semana passou. Max Chilton testou e nada do Razia andar no carro. A situação estava ficando cada vez mais preocupante. O obscuro patrocinador de Razia ainda não tinha feito sua parte no acordo. Começaram a surgir boatos de que Razia estava fora da equipe.

Os boatos ficavam mais fortes, até que num dia lindo e ensolarado chamado hoje, um anúncio que muitos já esperavam. Razia estava fora da Marussia. O obscuro patrocinador de Razia não havia depositado dinheiro algum nos cofres da Marussia e quem se fudeu foi Razia.

Logo depois disso, começou a circular boatos de que a equipe teria ligado para Heikki Kovalainen. Mas logo depois, começou a surgir boatos de que Jules Bianchi seria o novo piloto da equipe. E foi o que aconteceu. O apadrinhado da Ferrari, Jules Bianchi, foi anunciado como o novo piloto da Marussia.

Logo os brasileiros começaram a comentar o assunto. Dizendo que o talento foi trocado por dinheiro mais uma vez na F1. Até foi isso. Bianchi era endinheirado e Razia também era talentoso, mas Bianchi também é talentoso. Mas Razia demorou eras para conseguir alguma coisa na GP2, e só conseguiu num ano onde a maioria dos pilotos eram ruins e pagantes. Bianchi apesar de não mostrar o esperado na GP2, foi bem mais consistente do que Razia somando todos os anos deles na GP2.

Bianchi também fez ótima temporada na World Series by Renault conseguindo 3 vitórias ao longo da temporada em Nurburgring, Silverstone e Paul Ricard pela equipe Tech 1 Racing. Brigou pelo título do campeonato até a última etapa quando ele abandonou a corrida e deu o título para Robin Frijns. Brigou até o final num ano que foi considerado como um dos melhores grids que já teve na World Series com Robin Frijns, Sam Bird, Nick Yelloly, Marco Sorensen, Kevin Magnussen, Arthur Pic, Alexander Rossi, Kevin Korjus e Mikhail Aleshin.

Bianchi na Marussia também é bom para a equipe russa. A Marussia é a única equipe que usa os Cosworth e com o apoio da Ferrari que apadrinha Bianchi, quem sabe em 2014, a Marussia consegue os V6 Turbo da Ferrari para serem usados pelos carros rubronegros. A Ferrari também anda atrás de equipes para fornecer motores, e a Marussia pode se dar bem. O que Razia traria?

Uma nova alternativa para Razia?

Apesar de ter sido um final cruel para o brasileiro, você não pode ficar choramingando por aí. É bem óbvio que essa era sua melhor chance de correr na F1. E  provavelmente foi a última chance dele. O que fazer da vida agora?

Voltar para a GP2 ou para qualquer outra categoria de base da F1 para mim,  seria uma completa perda de tempo. Razia comentou depois de ser despejado da Marussia que quer continuar tentando chegar na F1. Acho isso um grande erro. Ele já está a anos na GP2, e quer continuar mais anos ainda?

Acho que Razia deveria seguir o exemplo de Luca Filippi em 2011. Filippi já estava a anos sem vingar na GP2 quando finalmente conseguiu um vice-campeonato em 2011. Tentou usar isso para chegar na F1. O que não aconteceu. Como ficou tentando chegar na F1, as vagas na GP2 se esgotaram e Luca ficou sem categoria em 2012. Chegou até a voltar a correr na GP2 nas rodadas duplas de Monza e Singapura no lugar de Stefano Coletti. Venceu uma em Monza e só. Não teve mais chances na GP2. Ele desistiu do sonho de correr na F1.

Há várias alternativas por aí. DTM, WTCC, WEC, NASCAR, Indy, Stock Car e até mesmo AutoGP, Super GT e F-Nippon.

Apesar de existir muitas boas alternativas de novas categorias para mudar de carreira, ele provavelmente deve ir para a Stock Car. Assim como a esmagadora maioria dos brasileiros que desistem da F1, existem muitas chances de Razia vir pilotar os Stocks brasileiros e correr em pistas como Velopark e Tarumã.

Quase todos os anos pilotos brasileiros vindo de fora vem correr na Stock Car. Como ano passado onde pilotos como Rafa Matos, Rubens Barrichello, Vitor Meira vieram para a categoria tupiniquim. Razia poderia vir correr aqui para tentar se dar bem.

Razia teve um final na F1 bem triste. Como teve talvez sua última chance de correr pela F1, tem que decidir um destino para sua carreira. Seja voltar a correr nas categorias de base na tentativa de correr na F1 ou ir para outros ares como a Stock Car.

 

Anúncios

Às vésperas de Spa-Francorchamps, sem tv a cabo, vendo as propostas de Luiz Navarro para prefeito e voltando aos poucos à vida escrava interneteira. Uma notícia aparece na telinha (colaboração de Leandro Verde e de Américo Teixeira Junior) de 14 polegadas do meu notebook sem ponto de interrogação. Uma fonte com estreitas relações com a FIA e a Ferrari, surpreendeu ao dizer que Felipe Massa iria permanecer na Ferrari em 2013.

Buemba! como diria alguém. Por que motivos (ou diabos, escolham a expressão que combina mais) os ferraristas iriam querer que Felipe continuasse na Ferrari em 2013, mesmo com sua má fase, o infame décimo quarto no campeonato e a Autosprint pegando no pé colocando Sergio Perez e Heikki Kovalainen no emprego do são paulino?

Simples. A Ferrari sabe que o carro não é bom e que Fernando Alonso é mágico. Se conseguirem repetir um carro ao menos tão bom quanto o F10 de 2010, em 2013, Alonso poderá andar bem mais que esse ano, e Felipe também poderá voltar a brigar por pódios ou até mesmo por vitórias.

Além do mais, Felipe Massa e Fernando Alonso são grandes amigos. E Alonso tem grande influência na Ferrari. Uma frase basta. O presidente da Ferrari, Luca Di Montezemolo já declarou que quer que Massa permaneça na equipe.

Por que mostrei uma foto de dois anos atrás para ilustrar algo atual? Nada. Só queria lembrar da última vez em que Felipe liderou o campeonato. A propósito, foi em Sepang, 2010. Quando Alonso abandonou a duas voltas do final e deu a liderança para o brasileiro.

Mas como já disse, se não der para que Felipe continuar na Ferrari, temos bons substitutos. Bruno Senna está ganhando pontos com as equipes grandes. E Felipe Nasr e Luiz Razia tem grandes chances de irem para a F1 daqui a um ou dois anos. Nasr tem bastante telento e Razia tem grandes chances de ser campeão na GP2. Não esqueçamos do Victor Guerin que está fazendo boas provas na GP2, mas ainda é muito novo e precisa de experiência.

Luiz Razia e Felipe Nasr podem ser a esperança do Brasil na F1. Não liguem para o Davide Valsecchi

A propósito, me desculpem por quase um mês fora de contato. Problemas e problemas pessoais. E também estava com preguiça de postar alguma coisa aqui. Me desculpem. Não me abandonem.

Quem diria hein? Eu tenho apenas 13 anos e já consegui atingir várias metas neste sítio automobilistico. Mais outra meta foi alcançado na quarta-feira, dia 30. Eu havia adicionado pilotos brasileiros na minha conta no Facebook para ver se conseguia entrevistar alguém. Eu já havia falhado miseravelmente em duas outras tentativas com Bruno Junqueira e Pietro Fittipaldi. Mas ontem eu consegui finalmente.

Foi com o piloto da AutoGP e que fez duas rodadas duplas na GP2, Víctor Guerin. Para quem não sabe, Guerin tinha acabado de voltar de um treino da AutoGP no Algarve. E como tem piloto que fica só uns 3/5 minutos on-line, tive que aproveitar para puxar saco. Então vamos começar.

NECRO- Caro Victor, posso lhe entrevistar via Facebook?

GUERIN- Claro.

NECRO- Então vamos começar.

GUERIN- Diga.

NECRO- Você está correndo atualmente na AutoGP né?

GUERIN- Sim.

NECRO- Sua carreira nos monopostos começou na F3 Sudamericana né?

GUERIN- Na Fórmula Renault 2000, que foi um campeonato que surgiu em 2009 no Brasil, e teve só 2 corridas e depois passei logo para a F3 Sudamericana.

NECRO- Ah, então sua carreira nos monopostos começou na F-Renault 2000 e não na F3 Sulamericana?

GUERIN- Sim, F-Renault 2000.

NECRO- E onde foram essas duas corridas na F-Renault 2000?

GUERIN- Imagina.

NECRO- Interlagos?

GUERIN- Sim.

NECRO- Uma rodada dupla em Interlagos?

GUERIN- Uma rodada normal.

NECRO- E qual foi o resultado?

GUERIN- Ganhei.

NECRO- Ganhou!?! Legal!! Aí você foi para a F3 Sudamericana né?

GUERIN- Sim.

NECRO- O pessoal se impressionou com a vitória foi?

GUERIN- Sim.

NECRO- E logo de cara você conseguiu 5 pódios em 10 corridas. O que o pessoal achou de você?

GUERIN- Assinei o contrato com meu empresário nessa época. Foi muito bom para mim.

NECRO- Não tinha empresário ainda? Aí, graças a esses bons resultados, você migrou para a Europa em apenas um ano. Foi para a Formula Abarth onde conseguiu sua primeira vitória em uma categoria fora do Brasil. Onde foi essa corrida?

GUERIN- Em Maggione. Tinham 42 carros correndo, foi muito boa.

NECRO- 42 carros e você derrotou todos eles!

GUERIN- Sim, foi minha segunda corrida aqui na Europa.

NECRO- No final do campeonato você mudou de categoria. Porque?

GUERIN- Achamos que como já havia tido um pouco de contato com a F3 Sudamericana, podia ser uma boa opção passar para a F3 Italiana. E foi muito boa mesmo, fiz cinco pódios e ganhei a última corrida em Monza (isso já foi na F3 Italiana e não na F-Abarth. É que tinha me enganado de categorias). De oito etapas, cinco fui para o pódio.

NECRO- Você ficou na Abarth até o final da temporada né?

GUERIN- Sim, terminei o campeonato. Com dois pódios.

NECRO- Vamos para 2011. Você continuou na Abarth por mais uma rodada. Depois você foi para a F3 Italiana né? Foi onde você ganhou em Monza?

GUERIN- Sim.

NECRO- Como foi a corrida?

GUERIN- A de Monza você está falando?

NECRO- Victor? Ainda está aí? Minha internet foi embora (a internet foi embora três vezes durante a entrevista).

GUERIN- Tranquilo. Tô sim. Pode falar.

Guerin comemorando em Monza

NECRO- Como foi a corrida em Monza? Onde rolou a vitória.

GUERIN- Então, eu larguei em segundo. Cai pra terceiro, passei para segundo de novo. Então sabe né, Monza é corrida que se muda de posição muitas vezes e quando faltavam duas voltas, o carro do Lewis acabou saindo da pista e quebrou a suspensão, então passei para primeiro e ganhei a corrida.

NECRO- Lewis? Lewis Hamilton? O da McLaren?

GUERIN- Hahahaha, não o Michael Lewis que faz a F3 Euroseries hoje.

NECRO- Desculpe, é que eu pensei errado.

GUERIN- Tranquilo.

NECRO- Aí, você finalizou a temporada em oitavo.

GUERIN- Sim.

NECRO- Foi bom para você ou teve algum devaneio por conta disso?

GUERIN- Não acho que tivesse começado bem o campeonato, poderia ter sido melhor, por isso eu pensava em fazer esse ano de novo a F3 e poder lutar pelo título, mas com a crise só tinha 8 pilotos inscritos, então mudei o rumo e acabei fazendo a AutoGP.

NECRO- Depois da F3 Italiana, você voltou para o Brasil não foi?

GUERIN- Sim, passei três meses aí.

NECRO- Correu de novo na F3 Sudamericana e no Troféu Linea. Achou proveitoso essa volta ao Brasil?

GUERIN- Fui só passar férias e para não ficar parado, fiz uma corrida no Trofeu Linea no time do meu empresário, e fiz o campeonato de F3 Brasil Open onde bastante pilotos brasileiros que correm na Europa fizeram para não ficar parado…

Victor Guerin correndo pela Super Nova Racing em Marrakech

NECRO- Vamos para 2012. Você foi correr na AutoGP. Como você conseguiu a vaga na AutoGP?

GUERIN- O John Sears que é dono da Super Nova onde eu tô hoje, já vinha escrevendo para mim e para meu manager a tempos. Aí como percebemos que a F3 Italiana tava fraca, fomos testar AutoGP onde liderei meu primeiro teste na manhã e fiquei em quarto à tarde, então foi aí que decidimos correr de AutoGP.

NECRO- Ele já estava de olho em ti?

GUERIN- Sim, desde novembro do ano passado ele escrevia para mim e meu empresário.

NECRO- E por que você apareceu no Algarve para correr na F2 FIA?

GUERIN- Para conhecer a pista daqui para a AutoGP.

NECRO- Onde vai rolar a próxima etapa da AutoGP.

GUERIN- Aqui em Algarve.

NECRO- Foi estratégico né?

GUERIN- Sim.

NECRO- E como é que foi a corrida?

GUERIN- Mais ou menos. Não conhecia a pista e nem o carro. Cheguei em nono.

NECRO- Por que resolveram lhe chamar? Desculpe, minha internet caiu de novo. Merda de Claro. Ainda está aí?

GUERIN- Imagina… estou sim.

NECRO- O que aconteceu pro Tiago (Monteiro) te chamar pra correr na Ocean?

GUERIN- O meu coach driver aconselhou.

NECRO- E como surgiu a vaga na Ocean?

GUERIN- O dono da Ocean que é o Tiago Monteiro perguntou para o meu coach driver que é o (Gabriele) Tarquini, se ele conhecia algum piloto que poderia correr de GP2, e aí surgiu o contrato entre o Tiago Monteiro e meu manager.

NECRO- E depois? o Tiago lhe chamou?

GUERIN- Eles chegaram em um acordo que foi para a corrida de Barcelona e Monte Carlo, agora estamos na luta junto com o time para tentar arrumar mais dinheiro para terminar a temporada.

NECRO- E o que você achou de pilotar na GP2?

GUERIN- A melhor experiência da minha vida…

NECRO- Legal. Tem planos futuros agora?

GUERIN- Tentar terminar a GP2.

Única foto do acidente que achei. Quem achar uma boa me avise

NECRO- Ah, ia me esquecendo. Sobre o acidente de Mônaco. O que acontecer lá?

GUERIN- O (Johnny) Cecotto furou o pneu e acabou rodando antes do Cassino e todo mundo freiou e o (Felipe) Nasr não viu e acabou subindo em cima de mim e me jogou contra outros carros… e se formou um big acidente.

NECRO- Um big one. Como você se sentiu naquela hora?

GUERIN- Ah, foi muito rápido, só sentia dor nas costas e no pulso, mas agora já tá tudo bem.

NECRO- Quais foram os machucados?

GUERIN- Pulso e pescoço, mas tudo muscular, então já tá tudo bem agora.

NECRO- Já parou a dor?

GUERIN- Sim sim. Eu moro na Formula Medicine (Robert Kubica tava lá se recuperando daquele acidente no Rali de Andora) que é uma academia só para pilotos, onde é muito conhecida por reabilitação de pilotos. O Dott Ceccarelli que é dono de lá é muito bom em medicina esportiva, então ele me examinou e me receitou alguns remédios certos onde fizeram efeitos rapidamente.

NECRO- Só para finalizar a entrevista, como se pronuncia seu nome? É GUerin ou GUErin?

GUERIN- É Victor GUErin.

NECRO- Então o comentarista do SporTV está certo.

GUERIN- Hahahahaha, depois me envia no meu face onde você vai colocar a entrevista ok?

NECRO- Tá. Bom Victor. Boa sorte na sua carreira.

GUERIN- Bom, vou dormir aqui que amanhã (quinta-feira) já tenho treino aqui em Portimão, valeu.

NECRO- Quero ver você detonando na F1. E mais uma vez, obrigado por essa entrevista.

GUERIN- Se Deus quiser. Valeu você. Um abraço.

NECRO- Já que é difícil conseguir entrevistas com pilotos.

GUERIN- Sim, eu sei hahahahaha.

NECRO- Obrigado e te vejo na F1 futuramente.

GUERIN- É isso aí. Abraços e até mais.

NECRO- Até mais.

FIM DA TRANSMISSÃO.

Mais uma vez, obrigado ao Víctor Guerin por me conceder essa entrevista. Valeu Guerin!

Largada do GP da Itália de 2011

Com o anúncio um pouco que surpreendente da dupla Ricciardo-Vergne na Toro Rosso, sobraram apenas quatro vagas para a temporada de 2012 de F1. São exatamente duas vagas em aberto na Force India, uma vaga na Williams e uma vaga na HRT. Vários pilotos estão disputando a tapa essa vagas. Veja os cambatentes no ring pelas quatros vagas restantes para 2012.

Paul di Resta

Paul di Resta está na briga pelas duas vagas na Force India. Foi o melhor novato nessa temporada e isso pode lhe garantir na equipe em 2012. Di Resta também conta um forte apoio da Mercedes e isso pode ajudá-lo a ficar na Force India em 2012. Tem fortes chances de permanecer na Force India ano que vem. A disputa maior na equipe indiana fica pela segunda vaga com Nico Hulkenberg e Adrian Sutil na disputa.

Nico Hulkenberg

Nico Hulkenberg está na briga pela vaga na Force India em 2012 e é um grande favorito na disputa contra Adrian Sutil. Hulkenberg disputou a temporada de 2010 pela Williams e não fez feio, e chegou a fazer a pole position botando 1 segundo em Sebastian Vettel em Interlagos. Hulkenberg já disse que se a Force India não lhe der uma chance em 2012, ele vai deixar a F1 para sempre.

Adrian Sutil

Adrian Sutil deve estar de saída da Force India, mas não é descartado a opção de continuar na equipe indiana. Ele conversa com a Williams pelo carro azul 18. Sutil fez um mal começo em 2011, mas começou a melhorar ao longo da temporada. Se o alemão ficar fora de 2012, vai ser a maior injustiça que a F1 já teve.

Bruno Senna

Bruno Senna estava na briga pela vaga na Lotus em 2012. Chegou a se reunir com a Lotus no domingo do Desafio das Estrelas de kart na República Tcheca (e não na Tchecoslováquia, segundo Reginaldo Leme) . Mas foi deixado de lado e perdeu sua vaga para Romain Grosjean. Ele conversa com a Williams, já que ele já falou que para a HRT, ele não volta. Se não der, ele já falou que aceitaria voltar a ser piloto de testes na Lotus.

Rubens Barrichello

Barrichello conversava com Lotus, mas também se deu mal. Barrichello está lutando para se manter na F1 em 2012. Nunca ele esteve em uma situação tão ruim. Os vários fãs de Rubinho continuam torcendo para que ele continue. Até os humoristas lançaram uma campanha para que Rubinho continue na F1. Espero que ele consiga uma vaga na F1  em 2012.

Vitaly Petrov

O primeiro russo na F1 também está na pindaíba. Foi deixado de lado pela Lotus pelos resultados ruins depois de um começo ótimo. Petrov chegou a conseguir um pódio na Austrália. Agora luta por uma vaga na Williams. E um detalhe: é incrível como uma equipe que está passando por maus bocados como a Williams está tão valorizada nesse final de ano.

Vitantonio Liuzzi

Vitantonio Liuzzi não é mais aquele cara que ganhou sete de dez etapas na F-3000. Foi abandonado pela Red Bull e foi resgatado pela Force India. Mas também foi abandonado pela equipe indiana e por incrível que pareça, ainda conseguiu ser regastado pela HRT. Teve como melhor atuação no Canadá ao conseguir um décimo terceiro posto na corrida e garantir a décima primeira posição para a HRT. Agora tenta renovar seu contrato com a HRT. O italiano também flerta com a Caterham para conseguir a vaga de Jarno Trulli, mas essa possibiliadade é remota.

Jerome d’Ambrosio

D’ Ambrosio foi sacado a pontapés da Marussia em 2011. Mas o belga ainda não desistiu. Ele está na briga pela vaga restante na HRT. Mas a coisa está muito difícil. D’ Ambrosio foi talvez o pior piloto de 2011. D’ Ambrosio conta com o apoio de patrocínios belgas que possui, mais a coisa está difícil para o Jeronimo.

Giedo van der Garde

Giedo van der Garde sempre chegou perto da F1, mas sempre morria na praia. Chegou a estar quase que certo na Marussia Virgin este ano. Van der Garde é um bom piloto e tem muita grana. O que pode lhe ajudar a conseguir uma vaga na Williams ou na HRT. No geral, tem alguma chance de estar na F1 em 2012.

Jules Bianchi

Jules Bianchi não fez nada na GP2 e só foi brilhar no Desafio das Estrelas de kart. Foi uma das maioreis decepções da GP2 este ano. Mas ele tem forte apoio da Ferrari e não fez feio no teste de jovens pilotos em Abu Dhabi. Ter talento e apoio é uma coisa rara no automobilismo atual.

Narain Karthikeyan

Karthikeyan foi talvez o pior piloto da temporada 2011 de F1. Perdeu sua vaga na HRT para Daniel Ricciardo, mas voltou na Índia e não fez feio. Tem apoio da Tata Motors e isso pode lhe ajudar a conseguir pelo menos uma vaga de piloto de testes, o que já seria uma vitória para Karthikeyan.

Karun Chandhok

Karun Chandhok é outro que vai fazer festa se conseguir ser ao menos ser piloto reserva. Chandhok foi piloto reserva na Caterham este ano e correu apenas na Alemanha no lugar de Jarno Trulli e decepcionou com escapadas e rodadas. Karun está correndo por fora e deve continuar sendo o que foi este ano. Um simples piloto reserva.

Lucas di Grassi

Di Grassi ficou testando os compostos da Pirelli o ano todo. Chegou a flertar com a Caterham para correr no GP Brasil este ano, mas não arranjou o patrocínio necessário para isso. Di Grassi tem alguma chance, mas deve continuar fazendo testes de pneus ano que vem.

Daniel Juncadella

Daniel Juncadella não tem nenhuma chance, você, leitor, diria. Juncadella é sobrinho do atual chefe de equipe da HRT, Luis Peres-Sala (o nome do Juncadella é, Daniel Juncadella Perez-Sala) e tem alguma chance. Foi vencedor do GP do Macau de F-3 este ano e isso pode lhe ajudar.

TOM DILLMANN – 7 – O francês da GP3, correu de iSport e foi um dos destaques da GP3 em Abu Dhabi. Na Ronda 1, foi o sexto e por causa da regra de inversão dos oito primeiros, ele largou em terceiro na Ronda 2. E foi por lá que ele ficou, em terceiro. Nada mal para um estreante que corre Carlin na GP3. Ah, ele foi o melhor estreante na Ronda 1.

ANTÔNIO FÉLIX DA COSTA – 5 – O português que também é da GP3, correu na Ocean e só participou dessa etapa-extracampeonato porque tem forte amizade com o dono da equipe Ocean, Tiago Vagaroso Monteiro (vocês sabem muito bem o que significa “vagaroso” , se não sabe, significa “devagar” ) . Mas não decepcionou e conseguiu um sétimo na Ronda 1. Mas na Ronda 2, foi punido com um drive-through por não respeitar o traçado e acabou perdendo a chance de ficar no pódio. Que pena.

JAMES CALADO – 9 – Outro que veio da GP3. Como corria na Lotus ART na GP3, ele foi chamado para correr pela Lotus ART em Abu Dhabi. Não decepcionou. Ficou em oitavo na Ronda 1 e por causa disso, ficou na pole-position na Ronda 2. Se aproveitou disso, e foi vitorioso. Sua primeira vitória na GP2. Ótima estreia para o inglês da GP3. Calou muitos céticos que pensavam que nenhum desses novatos ganhariam pelo menos uma das Rondas realizadas em Abu Dhabi.

NATHANAEL BERTHON – 3 – Esse eu não sei de onde veio. Correu pela Racing Engineering. Não fez muita coisa. Ganhou nota 3 por ter ficado na frente de Stefano Coletti e Julian Leal (o que não é muito díficil) e por ter conseguido um nono lugar na Ronda 1.

GIACOMO RICCI – 3 – Um infeliz. Um cara tão experiente. Já foi piloto da GP2 em 2008. Na Ronda 1, ficou em décimo primeiro a distantes 1min08s632 do vencedor da Ronda 1, Fabio Leimer. Na Ronda 2, ele fez foi piorar e ficou vigésimo terceiro. Na frente apenas de Rio Haryanto (esse realmente me decepcionou) .

RIO HARYANTO – 1 – O indonésio realmente me decepcionou. Esperava mais dele na sua estreia na GP2. Foi chamado para correr num carro da DAMS. Foi o décimo segundo na Ronda 1 e foi o último na Ronda 2. Ganhou nota 1 por eu gostar dele e por ter terminado em décimo segundo na Ronda 1.

ALEXANDER ROSSI – 5 – O americano que é uma das grandes promessas do futuro na F1, foi correr pela Caterham AirAsia em Abu Dhabi. Terminou a Ronda 1 em décimo terceiro e melhorou na Ronda 2 e terminou em sétimo, logo atrás do surpreendente Kevin Ceccon. Não foi a melhor estreia do mundo, mas também não foi a pior.

NICOLAS MARROC – 2 – Ao contrario de seu companheiro de equipe, Antonio Felix da Costa, ele foi um zero a esquerda do final de semana. Não fez nada a não ser ficar nas últimas posições.

NIGEL MELKER – 1 – Holandês que correu pela DAMS. Assim como Haryanto que também correu pela DAMS, não fez nada de mais interessante a não ser figurar as últimas posições. Péssima estreia de um desconhecido.

MILHAI MARINESCU – 0 – Romeno (os romenos sempre inventam nomes ridículos) que foi chamado para correr pela Rapax. Outro novato que não se deu bem em Abu Dhabi. Terminou em décimo sétimo na Ronda 1 e abandonou na Ronda 2. Péssima estreia a dele.

FABIO ONIDI – 3 – Ao contrario de seu xará, Fabio Leimer, não se destacou em momento algum no final de semana. Na Ronda 1, terminou em décimo oitavo e conseguiu melhorar consideravelmente na Ronda 2 com um décimo primeiro com resultado. Até que foi bem.

JAKE ROSENZWEIG – 2 – Americano da GP3, não surpreendeu muito a não ser abandonar na Ronda 1. Ganhou 2 por ter melhorado e conseguir um décimo quarto na Ronda 2.

SIMON TRUMMER – 2 – Abandonou logo na Ronda 1, e não fez muita coisa na Ronda 2 ao terminar em décimo quinto. Mais um piloto que se deu mal no final de semana em Abu Dhabi.

JAN CHAROUZ – 1 – O tcheco da Renault foi um dos pilotos que decepcionou em Abu Dhabi. Abandonou na Ronda 1 e não melhorou muito na Ronda 2. Terminou em décimo sétimo. E esse é o piloto de teste da Renault.

Hoje em dia os patrocinadores tem feito parte da vida automobilistica.A Red Bull patrocina várias equipes de várias categorias.

São a F1,NASCAR,F-3 Britânica,World Series,Truck Series,Stock Car e um monte de outras categorias.Até na Indy ela já esteve,como a extinta Red Bull Cheever.

A Red Bull na NASCAR Sprint Cup

Na NASCAR,a Red Bull Racing Team disse que já vai dar adeus ano que vem,já que os resultados não estão sendo convincentes.Os pilotos eram Brian Vickers e Scott Speed em 2010.Speed já foi pro olho da rua e Vickers ficou com um derrame.Chamaram um bocado de gente:Matias Ekstrom e Cole Whitt se deram melhor,mas não levaram a vaga como piloto de 2011.Ekstrom voltou para a DTM e Whitt está na Truck Series na equipe da própria Red Bull.Com Vickers de volta e Kasey Kahne como novo piloto podia-se esperar resultados bons,mas eles não vieram.

O Futuro é Agora: Whitt Lança Para Pontos NASCAR Truck chumbo

Whitt pilotando a Red Bull da Truck Series

Na Fórmula 1 já é aquela coisa que você já sabe.Na Stock Car,a sua equipe conta com Cacá Bueno(o filho do Galvão) e Daniel Serra(o filho do grande Chico Serra).Os dois pilotos são bons,mas vivem dando umas vaciladas ali e aqui e acabaram por deixar Thiago Camilo ficar na frente no campeonato.

A Red Bull na Stock Car

Não vou ficar falando só da Red Bull não.Existe também a Escuderia Telmex.A Escuderia Telmex gosta do automobilismo.As categorias em que está presente são a American Le Mans Series,Rolex Sport Car Series,GP2,F1,NASCAR Corona Series e etc.

A Escuderia Telmex na ALMS

Na ALMS(a American Le Mans Series),A Ganassi/Telmex domina assim como na Rolex Sports Car Series.Com Memo Rojas e Scott Pruett a equipe é sempre uma favorita a ganhar as etapas das categorias.Como a equipe é mexicana.Ela sempre dá uma força aos pilotos mexicanos.Entre eles,Esteban Gutierrez e Sergio Perez.

A Escuderia Telmex na GP2…

na F1,lá na asa dianteira…

e na Corona Series.

Outra que gosta de estar em todas é a Lotus.São a F1,GP2,F-Indy,GP3 e ainda quer mais.Na Fórmula 1 já é aquilo que você já sabe.Na GP2,a Lotus tem a Lotus-ART e a Caterham Team Air Asia.Na Indy,a Lotus patrocina Tony Kanaan,E.J. Viso,Takuma Sato e todo o resto da equipe KV Racing.

A Lotus na Indy…

…e na GP2

Na GP2,a Lotus patrocina a Lotus-ART que tem como pilotos Jules Bianchi e Esteban Gutierrez.Não é só a Lotus-ART não,a Lotus também tem a Team Air Asia que conta com Davide Valsecchi e Luiz Razia,ambos são pilotos de teste da Lotus da F1.

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

novembro 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 19 outros seguidores