You are currently browsing the tag archive for the ‘red bull’ tag.

O que dizer dele?

O que dizer de um cara que não participou de 1/4 de um campeonato e mesmo assim brigou pelo título até a penúltima rodada dupla da World Series by Renault, e ainda conseguiu brigar pelo título de outro campeonato de acesso da F1, a GP3, até a penúltima rodada dupla em Spa?. O que dizer de Antonio Felix da Costa?

Antonio Felix da Costa é mais um daqueles pilotos vindos daquela península de Cristiano Ronaldo e Adrian Campos. Apenas nasceu do lado, digamos, menos famoso. Nasceu em Lisboa, 1991. Deixou os karts a menos de 5 anos e debutou pela World Series por esse meio tempo. Na GP3 deste ano, conseguiu este ano três segundos lugares em Mônaco e nas duas corridas de Spa e três vitórias em Silverstone e nas duas corridas de Hungaroring, e terminou a temporada em terceiro com 132 pontos.

Graças às péssimas corridas de Lewis Williamson na World Series by Renault neste ano, a Red Bull o descartou e Felix da Costa entrou no seu lugar pelo resto da temporada. Não decepcionou e conseguiu quatro vitórias nas etapas de Hungaroring, Paul Ricard e nas duas corridas de Barcelona, e terminou na quarta posição na temporada com 166 pontos.

Felix da Costa tem muito talento e é jovem, o que chama muito a atenção. O que lhe rendeu um teste de jovens pilotos pela poderosa Red Bull em Abu Dhabi, algo bastante relevante.

Os portugueses não alguém relevante para torcer faz algum tempo. Tipo, quais foram os últimos talentos portugueses? Tivemos Alvaro Parente que fez algumas boas corridas na GP2 há uns 2 anos e Tiago Vagaroso Monteiro.

Quando Alvaro Parente ainda era desejado pela F1

Alvaro Parente foi um piloto que não teve tanto talento quanto Felix da Costa, mas tem mais talento que Pedro Matos Chaves. E teve dois títulos bastante relevantes na carreira, a World Series by Renault em 2008 e a F3 Inglesa em 2005. Correu na GP2 e teve algumas vitórias e recebeu grande ajuda de Tiago Monteiro pela Ocean Racing.

Em 2010, chegou mais perto de chegar na F1. Chegou a ser um dos mais cotados pra ser o segundo piloto na Campos Meta junto com pilotos como Vitaly Petrov e Pastor Maldonado. Mas acabou sendo anunciado no final de 2009, como o piloto reserva da Virgin Racing. O que não se concretizou pois o seu patrocinador, o Instituto de Turismo de Portugal, retirou o seu patrocínio que praticamente lhe segurava no time virgem.

Como forma de protesto, 2000 fãs portugueses de Parente assinaram uma petição protestando contra a decisão do patrocinador. O protesto não resultou em nada e Andy Soucek tomou o posto de piloto de testes da equipe inglesa. Parente voltou para a GP2 onde nunca mais reprisou sua boas atuações de antigamente. Hoje participa da FIA GT1 pela Hexis Racing, pilotando uma McLaren ao lado de Grégoire Demoustier. Conseguiu dois segundos lugares na qualificação de Navarra e na corrida de Moscow Raceway, e conseguiu dois terceiros lugares na qualificação e corrida de Donington Park.

Talvez, o momento mais feliz de Tiago Monteiro

Tiago Monteiro foi um dos pilotos mais legais e simpáticos da história da F1. Antes de chegar a F1, teve uma carreira de várias vitórias e quase títulos, como vices na F3 Francesa (duas vezes), F3 Européia, Korea Superprix e a World Series. Conseguiu a vaga de piloto de testes na Minardi em 2004. Logo depois, conseguiu a vaga de piloto titular na Jordan, onde conseguiu o primeiro pódio português na F1 no conturbado GP dos EUA de 2005. Em 2006, conseguiu uma vaga na desarrumada Midland e não conseguiu nada além de nenhum ponto marcado naquele ano.

No ano seguinte, migrou para o WTCC aonde está até hoje. Em vários anos, já conseguiu 2 vitórias na etapa do México e de Portugal em 2008, e duas na etapa de Portugal e da Espanha. Mas não estava satisfeito. Com a BCN Competicion à venda na GP2, Tiago Monteiro e José Guedes, compraram juntos a BCN e mudaram o nome para Ocean Racing Technology. Em toda a sua história, a Ocean conseguiu duas vitórias com Alvaro Parente (2009) e Fabio Leimer (2010), uma pole com Alvaro Parente em 2009 e duas voltas mais rápidas com Parente e Leimer. Hoje, a Ocean corre simultaneamente na GP2 e na GP3.

Um dia desses, conversei com a pessoa mais portuguesa que conheço, Paulo Alexandre Teixeira e toquei no assunto do pódio de Monteiro naquele ano. Paulo me disse que não gostou daquele pódio e me disse que se comemorou muito o pódio de Monteiro em Portugal.

Felix da Costa tem talento e tem forte apoio da Red Bull

Também perguntei a ele o que ele achava da maioria dos pilotos portugueses fazerem carreira nos mundiais de Endurance em vez de tentarem uma carreira na F1. Paulo me disse o que já sabia e que é muito preciso na F1 de hoje: dinheiro. Felix da Costa tem forte apoio  da Red Bull e por isso não migrou para Le Mans Series, FIA GT ou WEC. Ao contrário de Alvaro Parente e Tiago Monteiro (não acreditam na desculpa de ir atrás de um campeonato competitivo) que não tiveram dinheiro para prosseguirem a sua carreira nos monopostos.

Hoje em dia, vários pilotos talentosos não conseguem vaga na F1 de hoje, porque simplesmente não tem dinheiro suficiente para conseguir uma vaga numa das HRTs da vida. Felix da Costa já é outro caso porque tem o milionário apoio da Red Bull e tem um talento incrível. Algo só comparado a Robin Frijns e Carlos Sainz Jr. que também tem o apoio da Red Bull e acho que são igualmente talentosos.

Se Felix da Costa chegar na F1, provavelmente conseguirá muito sucesso por ter talento e pelo apoio da Red Bull, não será mais um dos Alvaros Parentes ou Tiagos Monteiros da vida.

Jaime Alguersuari. Um nome tão badalado pelos meados de 2009. Continuou sendo uma aposta para 2010. Não se deu bem em 2009 e em 2010. Em 2011, melhorou bastante com um carro que voava em retas, mas não era a mesma coisa em curvas. Mas não era o suficiente. Como disse Niki Lauda há alguns dias:

“Ele não tinha capacidade de substituir Webber ou Vettel, o que é o objetivo da Red Bull e da própria Toro Rosso”

Alguersuari foi chutado da Toro Rosso para dar lugar a Jean-Eric Vergne. Foi cotado a ser piloto da HRT, mas ele mesmo falou:

“Ir para a HRT, seria um retrocesso para a minha carreira”

Williams poderia ser uma possibilidade, mas não há chance nenhuma para que Alguersuari fosse para a Willians. Uma concorrência com B.Senna, Barrichello e Sutil, as chances são mínimas. Eliminemos a Williams e HRT, tem a Caterham e a Marussia.

Williams: sem chance

Caterham: outra chance nula. Há a possibilidade de Trulli não continuar na Caterham e há gente de olho na vaga do pescarense. Marussia: poderia entrar no lugar do Glock, mas seria a mesma coisa da HRT. Seria um retrocesso ainda maior para a carreira de Alguersuari. Mas e a Red Bull, Alguersuari negou seguir o mesmo caminho de Buemi de ser piloto reserva da Red Bull. Mas Alguersuari deve seguir o mesmo caminho de Buemi só que diferente.

Caterham: também não

Marussia: hummmm, não

Dizem na blogosfera que Alguersuari estaria conversando e tomando um cafézinho com as equipes Mercedes e McLaren para ser piloto de teste. Deve ser uma péssima escolha. Ele vai passar o ano parado e só deve correr na pré-temporada ou no desafio das estrelas de kart. Aonda que na McLaren ou Mercedes vão tirar um Schumacher, Button ou Hamilton para botar um DJ espanhol que poderia ser galã de novela das 7. E a antiga dupla da STR vai ficar de mãos abanando assim como foram outros vários test-drivers da Red Bull.

Normalmente eu não faria uma retrospectiva. Não sou dessas coisas. Apesar de adorar ver uma retrospectiva na TV Globo ou blog do Bandeira Verde. Vou dizer porque não gosto de fazer uma retrospectiva. Dá muito trabalho e eu teria de fazer um texto longuíssimo. Então vou aproveitar que essa é a última semana de 2011, para usar esses últimos 5 dias para fazer uma retrospectiva que usará esses cinco dias inteiros. Hoje falaremos das 12 equipes que se aventuraram durante essas 19 etapas de 2011.

Para melhorar mais, vou dar saldos para cada equipe. Veja os saldos que vou dar:

  • Saldo bastante positivo
  • Saldo positivo
  • Saldo mais ou menos
  • Saldo negativo
  • Saldo bastante negativo

Red Bull Racing

Mark Webber Sebastian Vettel of Germany and Red Bull Racing leads team mate Mark Webber of Australia and Red Bull Racing early in the Brazilian Formula One Grand Prix at the Autodromo Jose Carlos Pace on November 27, 2011 in Sao Paulo, Brazil.

A Red Bull realmente me surpreendeu em 2011. Esperava um campeonato disputado, mas apenas vi o domínio espetacular do pequeno alemão de Heppenheim. O carro não era lá essas coisas em retas, mas era o melhor nas curvas. Isso ficou bem claro na Índia com Vettel e Webber andando mal no primeiro setor, mas o mais rápido num segundo e terceiro setor dominado por curvas.

Vettel dominou, isso ficou bem claro. Quanto ao Webber, apenas foi um coadjuvante. No final, um saldo bastante positivo para a equipe das latinhas.

Vodafone McLaren Mercedes

 

Em 2011, a McLaren claramente foi a segunda melhor equipe de 2011. Apesar da equipe ser a segunda melhor, sempre quis dar uma beliscadinha ali na supremacia da Red Bull. Apesar de vários achaream que a dupla Hamilton-Button era a melhor da F1 atual. Essa dupla foi a mais diferente dessa temporada.

Hamilton era agressivo (até demais) e impulsivo. Já Button é um Elio de Angelis da atualidade, gentleman, estratégico e agressivo na hora certa. A única coisa igual nessa dupla foi que eles venceram 3 corridas cada. Saldo positivo e segunda melhor equipe com sobras em 2011 para a equipe de Woking.

Scuderia Ferrari

A equipe que deu inspiração ao nome desse blog não foi páreo para a McLaren e para a Red Bull. O carro foi pior do que o de 2010 e o de 2009 juntos. Pelo menos levaram uma vitória para casa em Silverstone após a McLaren e a Red Bull fazerem suas trapalhadas nos boxes. Na foto, a cena mais comum de 2011: Alonso na frente de Massa.

Massa sofreu com vários problemas e com a pressão imposta por idiotas que acham que brasileiro tem ganhar em todas. Alonso foi melhor, mas não foi o suficiente para parar a McLaren e Red Bull. Saldo negativo para a equipe de Maranello.

Mercedes GP Petronas F1 Team

A Mercedes novamente não surpreendeu como dizia em meados do início de 2010. Esse ano ficou ficou disputando posições com Forces India e Saubers. Mas esse ano foi pior do que de 2010. Schumacher não pode fazer muita coisa, apesar de fazer belas corridas de recuperação como na Bélgica. Rosberg novamente foi rápido, mas não o suficiente. Rosberg sempre esteve dando trabalho principalmente para Massa (na Alemanha, Massa demorou mais de 20 voltas para fazer a ultrapassar) .

Quarto lugar no campeonato com sobras. Mas mesmo assim, saldo negativo para a equipe que usa pasta de dente na lateral do carro.

Lotus Renault GP

A Lotus Renault tinha tudo para ser a quarta melhor equipe de 2011, mas declinou do segundo semestre pra cá. E ainda por cima, quase perdeu o posto de quinta melhor equipe para a Force India. A Lotus preta escapou por 3 pontos da Force India de Lego. A equipe começou 2011 com a dupla Kubica-Petrov, mas o acidente de Kubica fez com que a dupla mudasse para Heidfeld-Petrov. Mas Heidfeld andou mal e a dupla mudou-se para B.Senna-Petrov.

Bruno não andou mal no começo, mas declinou da Itália pra cá. Das duplas da Lotus Renault em 2011, apenas Petrov conseguiu de manter em todas as duplas em 2011. Saldo mais ou menos para a Lotus preta e dourada.

AT&T Williams

A Williams foi a maior decepção de 2011. Barrichello não conseguiu fazer milagre com a sua Williams e Maldonado tampouco. Barrichello salvou a equipe ao marcar 4 pontos (2 em Montecarlo e 2 em Montreal) . Maldonado conseguiu marcar 1 ponto em Spa, mas foi o segundo pior estreante com sobras.

No final, a Williams foi melhor só que as equipes nanicas que chamamos de Caterham, Marussia e HRT. Saldo bastante negativo para a equipe de Sir Frank.

Force India Formula One Team

A Force India conseguiu de vez ser a sexta melhor equipe da F1. E não conseguiu ser mehor por 3 pontos. Após não conseguir a sexta posição ano passado por 1 ponto, será que ano que vem a equipe não vai conseguir a quarta posição por 2 pontos e por aí vai. De olho na Force India ano que vem digo eu. Sutil começou o ano levando surra de Di Resta, mas depois mostrou quem é que manda naquela equipe. Quanto ao Di Resta, brigou o ano todo com Sergio Perez como o melhor rookie do ano e se saiu melhor.

Saldo bastante positivo para a equipe do Rio Ganges.

Sauber F1 Team

A Sauber tinha tudo para brigar duro com a Williams e Force India pelo sexto posto no campeonato. Comuçou o ano da melhor forma possível, mas viu a Force India evoluir e fazer uma ultrapassagem facílima. Restou a equipe de Peter Sauber brigar com a Toro Rosso pela sétima posição e usou a falta de retas longas de Interlagos para garantir a sétima posição sobre a rival taurina e paupérrima. Kobayashi não surpreendeu muito esse ano. Perez deu um susto ao bater de lado na Chicane do Porto. Voltou para o Canadá, mas não se sentiu bem e deu lugar a Pedro de la Rosa fazer o se sempre. Um café com leite normal do espanhol.

Eu não sei qual saldo eu dou, então eu vou dar um saldo mais ou menos para a equipe de Peter Sauber.

Scuderia Toro Rosso

A Toro Rosso evoluiu de 2010 para cá. A prima paupérrima da Red Bull era ao contrário da Red Bull, a mais rápida nas retas e não ser muito rápido nas curvas. Alguersuari foi um piloto bastante consistente durante o campeonato e Buemi sempre teve o azar do seu lado. Sempre esteve brigando com Force India e Sauber e perdeu para as duas, sendo que perdeu para a Sauber por 3 pontos.

Saldo mais ou menos para equipe prima da Red Bull, só que a Toro Rosso tem menos dinheiro.

Team Lotus

A Lotus esverdeada foi junto com a Force India, a que mais evoluiu de 2010 para 2011. Sempre esteve alcançando grandes feitos como ir a Q2 em algumas corridas com Kovalainen que foi um sinal de superação em 2011. Trulli superou seus problemas com os problemas hidraulicos em seu carro, mas a sorte não sorriu para o pescarense. E Trulli não correu em Nurburgring por problemas no seu contrato e foi substituido por Karun Chandhok. Chandhok reviveu Yuji Ide e não fez nada de relevante a não ser ficar rodando na pista e levar uma volta das duas HRT.

Saldo positivo para a Lotus esverdeada.

Hispania Racing Team F1 Team

Enfim, a HRT. É talvez a equipe mais simpática do fundão. Fez o de sempre que é ficar brigando com a Marussia pelo posto de décima primeira melhor equipe. A HRT começou com a dupla Liuzzi-Karthikeyan. Com um carro ruim, a dupla não se classificou para o GP da Austrália. Mas depois melhorou e nunca mais não se classificou. Karthikeyan foi sacado da equipe em Valência e Daniel Ricciardo entrou em seu lugar. Ricciardo andou muito bem durante o tempo em que andou pela HRT. Na Índia, Liuzzi foi trocado por Karthikeyan apenas por causa do marketing que conseguiria com um indiano no primeiro GP da Índia da F1.

Saldo mais ou menos para equipe mais adorada desse humilde blog.

Marussia Virgin Racing

A pior equipe da F1. A equipe tinha esperança de ter um carro bom com seu carro feito no computador, mas as esperanças foram aniquiladas com o pior carro de 2011. Glock parecia estar deprimido pro estar num carro tão ruim e não conseguiu fazer milagre com o MVR02. D’Ambrosio começou bem o ano, mas declinou desde quando eu falei que ele era um piloto que tinha futuro. D’Ambrosio recebeu o prêmio de pior rookie de 2011.

Saldo bastante negativo para a equipe da aeromoça Richard Branson.

Veja o ranking de saldos:

Saldo bastante positivo: Red Bull e Force India.

Saldo positivo: McLaren e Team Lotus.

Saldo mais ou menos: Lotus Renault, Toro Rosso, HRT e Sauber.

Saldo negativo: Ferrari e Mercedes.

Saldo bastante negativo: Williams e Marussia Virgin.

Uma coisa eu percebi nesse post: Toro Rosso significa Red Bull em italiano e Red Bull significa Touro Vermelho em inglês (dessa última eu já sabia) .

Veja fotos de carros de F1 patrocinados por marcas de cervejas:

Belle-Vue na March em 77

Löwenbräu na numa McLaren em 78

Michelob no carro de Keke Rosberg em 79

Skol e Pilsen na Fittipaldi-Copersucar

Warsteirner na ARROWS

Guiness no carro de Derek Daly em 1981

Labbats na Williams em 1990

Kronenbourg na Larrousse em 1994

Tourtel na Larrousse em 1994

Bitborger na Benetton em 1995

Kaiser na Forti Corse em 1995

Veltins na Williams em 1999

Beck’s na Jaguar Racing

Budweiser na Williams em 2004 e 2006

Kingfisher na Force India

Red Bull na Red Bull Racing e na Scuderia Toro Rosso

Dessa vocês já sabiam de longe.

Itaipava e TNT na Brawn GP no Brasil em 2009

Valeu!

 

 
 


 


O carrou causou muitas discussões no circo da F1, pois o carro utilizado pela “equipe irmã” da Red Bull, a Toro Rosso, era idêntico ao RB3. Mesmo com tantas similaridades, a Red Bull conseguiu correr com os dois carros. Olhando a parte aerodinâmica, o desenho mudara um bocado em comparação ao seu antecessor, e assumindo ares de McLaren, isso sendo explicado mais uma vez pelo projetista do carro, Adrian Newey, que por muito tempo integrou o time de Woking.

O RB3 conseguiu bons resultados, com Coulthard chegando a liderar sessões de testes na pré-temporada, e com sucessivas participações no Q3 pelas mãos de Mark Webber. O carro, assim como outros, sempre estava frequentando posições intermediárias, ainda que marcando bons pontos algumas vezes, com um terceiro lugar de Webber como o melhor resultado. Ao final da temporada, o time austríaco melhorou seu desempenho em relação ao ano de 2006, e marcando 24 pontos, conquistando a 5° posição no Mundial de Construtores.

O primeiro carro inteiramente projetado por Adrian Newey na Red Bull, conseguiu bons resultados na temporada na qual participou. O carro, além de ser marcado como projeto do renomado Newey, andava agora com motores Renault, substituindo os Ferrari utilizados em 2006, estes que agora equipavam a Toro Rosso.

Dados:

Equipe: Red Bull Racing

Designers: Adrian Newey
————————-
Dados técnicos:

Chassis: Moldado em fibra de carbono, monocoque

Suspensão: Feita de fibra de carbono e alumínio, sistema push rod, independente (suspensões dianteira e traseira)

Motor: Renault RS27, 2.4 litros, V8, aspirado naturalmente, montado longitudinalmente

Transmissão: 7 velocidades e uma marcha reversa (marcha ré), câmbio sequencial, semi automática

Combustível: Elf

Pneus: Bridgstone
——————
Pilotos:

14 David Coulthard

15 Mark Webber
—————–
Pontos: 24

Corridas: 17

Vitórias: 0

Poles: 0

Voltas mais rápidas: 0

Posição no Mundial de Construtores: 5°

Assunto nulo outra vez,mas tenho outros posts na minha caixola mirabolante.Envolvem a França e a Apple.

O segundo carro da Toro Rosso na F1 pode ser chamado no mínimo de polêmico. Este carro, possuía a mesma base do Red Bull RB3, o carro da equipe irmã” da STR. Algumas equipes se manifsteram contra isto, como a Williams e a Spyker, mas mesmo assim, ficou provado que eram carros diferentes, e o STR2 correu do mesmo jeito.

 

 

 

Apesar das semelhanças, os upgrades para os dois carro foram diferentes, assim como o desempenho. A STR agora corria com os motores fornecidos pela Ferrari, substituindo os Cosworth anteriores. Desenvolvido pelo famoso Adrian Newey, o carro não conseguiu tudo que era esperado, com várias quebras relacionadas ao câmbio. Para a segunda metade do campeonato o carro adquiriu uma maior confiabilidade, chegando ao melhor resultado do time, e também os únicos pontos: um 4° lugar de Vettel e um 6° de Liuzzi.

 

Temporada de 2008:

 

 

A STR ainda usou o STR2 para o início da temporada de 2008, enquanto terminava de desenvolver seu novo bólido. Porém este STR2 era chamado de STR2B, pois apresentava mudanças para optimizar o desempenho, ainda que com a mesma base do carro de 2007.
Dados:

 

Equipe: Scuderia Toro Rosso

 

Designers: Adrian Newey
————————–
Dados técnicos:

 

Chassis: Monocoque moldado em fibra de carbono

 

Suspensão: Feita de alumínio, titânio, e fibra de carbono, sistema pushrod, independente (suspensões dianteira e traseira)

 

Motor: Ferrari 056, 2.4 litros, V8, limitado a 19.000 RPM, aspirado naturalmente, montado logitudinalmente

 

Transmissão: 7 velocidades, e uma marcha reversa (marcha ré), sequencial, semi automática, montada longitudinalmente
 

Pneus: Bridgstone

Rodas: AVUS Racing
———————
Pilotos:

2007

18 Vitantonio Liuzzi

19 Scott Speed

19 Sebastian Vettel (substituiu Speed no 11° GP)
——

2008

14 Sébastien Bourdais

15 Sebastian Vettel
——————–
Pontos: 2007 – 8 pontos

2008 – 2 pontos

Corridas: 18 GPs em 2007

4 GPs em 2008

Vitórias: 0

Poles: 0

Voltas mais rápidas: 0

Posição no Mundial de Construtores: 7°(2007)

Talvez a temporada de 2008 de F1 foi a mais emocionante da história.Sem assunto eu vou fazer uma série falando sobre a temporada inteirinha.Hoje vamos ver as equipes de 2008.

SCUDERIA FERRARI MARLBORO

A equipe italiana vinha de um ano de 2007 muito bom.A equipe tinha em mãos um Ferrari F2008,Kimi Raikkonen e Felipe Massa.O carro era bom e bonito,todo vermelho e com uns códigos de barra.Raikkonen ficou com o título de 2007 e Massa ficou apenas em quarto em 2007.

BMW SAUBER F1 TEAM

A BMW Sauber foi uma das surpresas de 2007 com pilotos ótimos como Kubica e Heidfeld.O carro era em si ótimo.O BMW Sauber F1.08 era uma obra de arte.Rápido,elegante e bonito.Pilotos eram os melhores.Com uma dupla Kubica-Heidfeld,o sucesso seria alcançado facilmente.

ING RENAULT F1 TEAM

A Renault contava com a volta de Fernando Alonso e o filho do tricampeão Nelson Piquet.O carro era em si bonitas.A dupla Alonso-Piquet até que era razoável,mas aquela ordem de equipe no Cingapuragate botou má fama na equipe,mas isso já é história para outro dia.

AT&T WILLIAMS

A equipe de Frank Williams vinha de um ano razoável em 2007.Com a saída de Alexander Wurz da equipe,Kazuki Nakajima,pupilo da Toyota,entra no lugar do astríaco.Rosberg continuava na equipe.O carro,FW30,era patrocinado pela Petrobrás e tinha clássica pintura azul e branca.

RED BULL RACING

A equipe das latinhas continuava com as mesmas coisas de 2007.Mesmo estilo de pintura,mesmos pilotos,mesmos motores,etc.David Coulthard se preparava para sua aposentadoria dos F1 no final do ano e Mark Webber continuava como piloto da equipe.O carro trazia uma nova mudança que era a barbatana de tubarão que ajudava na velocidade.

PANASONIC TOYOTA RACING

A marca japonesa que gastava milhões anualmente vinha de um decepcionante temporada de 2007.Os pilotos seriam Ralf Schumacher e Jarno Trulli.O carro mantinha o esquema de pintura tradicional da equipe.A foto acima foi de um evento onde um Toyota TF108 aposta uma corrida com um batmóvel do filme Cavaleiro das trevas.

SCUDERIA TORO ROSSO

A equipe B da marca das latinhas trazia duas revelações:Sebastian Vettel e o multi-campeão da CART,Sebastien Bourdais.O carro era em si bonito,assim como os capacetes dos pilotos.Vettel dava show em chuva como no GP da Itália daquele ano,mas deixa esse assunto pra outro dia.

HONDA RACING F1 TEAM

A Honda tentava apagar a péssima temporada de 2007.A equipe seguia com os pilotos Jenson Button e Rubens Barrichello.O Honda RA108 mantinha algumas partes do carro com a pintura do globo terrestre.Eu não sei vocês,mas eu achei esse carro muito bonito.Rubinho era outro que queria apagar a temporada de 2007.Barrichello não marcou sequer um ponto.

SUPER AGURI F1

A equipe B da Honda vinha de um bom ano de 2007,mas a equipe passava por graves problemas finaceiros e nem a própria Honda queria ajudar a equipe.Takuma Sato era o xodó da equipe e Anthony Davidson era apenas um coadjuvante da equipe.O SA08 não era lá essas coisas,mas ficava na frente dos Force India facinho.

FORCE INDIA FORMULA ONE TEAM

A equipe indiana estreava na F1 depois de comprar a holandesa Spyker.O carro era o mesmo Spyker F8-VII do ano passado.Os pilotos seriam o pianista nas horas vagas Adrian Sutil e o experiente italiano Giancarlo Fisichella.Outro carro bonito,mas os capacetes dos pilotos eram uma “coisa” .

VODAFONE MCLAREN MERCEDES

A equipe tentava apagar o escandalo de espionagem que desclassificou a equipe em 2007.Alonso estava de saída,então chamaram Heikki Kovalainen para o lugar do asturiano.Hamilton continuava na equipe.O carro tinha o arco e os chifres de touro na parte dianteira e uma espécie de lâmina na parte lateral do carro.

No próximo capítulo do Review 2008 teremos o GP da Austrália de 2008.

Hoje em dia os patrocinadores tem feito parte da vida automobilistica.A Red Bull patrocina várias equipes de várias categorias.

São a F1,NASCAR,F-3 Britânica,World Series,Truck Series,Stock Car e um monte de outras categorias.Até na Indy ela já esteve,como a extinta Red Bull Cheever.

A Red Bull na NASCAR Sprint Cup

Na NASCAR,a Red Bull Racing Team disse que já vai dar adeus ano que vem,já que os resultados não estão sendo convincentes.Os pilotos eram Brian Vickers e Scott Speed em 2010.Speed já foi pro olho da rua e Vickers ficou com um derrame.Chamaram um bocado de gente:Matias Ekstrom e Cole Whitt se deram melhor,mas não levaram a vaga como piloto de 2011.Ekstrom voltou para a DTM e Whitt está na Truck Series na equipe da própria Red Bull.Com Vickers de volta e Kasey Kahne como novo piloto podia-se esperar resultados bons,mas eles não vieram.

O Futuro é Agora: Whitt Lança Para Pontos NASCAR Truck chumbo

Whitt pilotando a Red Bull da Truck Series

Na Fórmula 1 já é aquela coisa que você já sabe.Na Stock Car,a sua equipe conta com Cacá Bueno(o filho do Galvão) e Daniel Serra(o filho do grande Chico Serra).Os dois pilotos são bons,mas vivem dando umas vaciladas ali e aqui e acabaram por deixar Thiago Camilo ficar na frente no campeonato.

A Red Bull na Stock Car

Não vou ficar falando só da Red Bull não.Existe também a Escuderia Telmex.A Escuderia Telmex gosta do automobilismo.As categorias em que está presente são a American Le Mans Series,Rolex Sport Car Series,GP2,F1,NASCAR Corona Series e etc.

A Escuderia Telmex na ALMS

Na ALMS(a American Le Mans Series),A Ganassi/Telmex domina assim como na Rolex Sports Car Series.Com Memo Rojas e Scott Pruett a equipe é sempre uma favorita a ganhar as etapas das categorias.Como a equipe é mexicana.Ela sempre dá uma força aos pilotos mexicanos.Entre eles,Esteban Gutierrez e Sergio Perez.

A Escuderia Telmex na GP2…

na F1,lá na asa dianteira…

e na Corona Series.

Outra que gosta de estar em todas é a Lotus.São a F1,GP2,F-Indy,GP3 e ainda quer mais.Na Fórmula 1 já é aquilo que você já sabe.Na GP2,a Lotus tem a Lotus-ART e a Caterham Team Air Asia.Na Indy,a Lotus patrocina Tony Kanaan,E.J. Viso,Takuma Sato e todo o resto da equipe KV Racing.

A Lotus na Indy…

…e na GP2

Na GP2,a Lotus patrocina a Lotus-ART que tem como pilotos Jules Bianchi e Esteban Gutierrez.Não é só a Lotus-ART não,a Lotus também tem a Team Air Asia que conta com Davide Valsecchi e Luiz Razia,ambos são pilotos de teste da Lotus da F1.

Um post rapidinho,estava sem internet.Não sei se amanhã vai ter post.E se tiver,vai ser um Altos e Baixos.

O segundo carro da Red Bull na F1 não foi tão bem sucedido como seu antecessor. A equipe novata embarcava em seu segundo ano na F1, e prometia com os resultados de seu primeiro ano de competição.
O RB2 era uma visível evolução de seu antecessor, e isto é provado pelas linhas do modelo. É bem possível ver as mudanças neste carro, como as asas, e principalmente as entradas de ar, e a parte traseira, como as áreas que sofreram mais mudanças, consequências dos novos motores e do avanço da aerodinâmica.

A Red Bull também introduziu uma nova suspensão em seu  novo carro, inspirada na suspensão do carro vencedor do ano anterior, o Renault R25. Porém a temporada começou um tanto difícil para o time dos energéticos, com problemas de superaquecimento, o que não é nada bom quando se estreia um novo carro. Estes problemas por exemplo, acabaram por dificultar o desenvolvimento do carro em relação com outras equipes.

Felizmente, os problemas foram logo sanados, e o RB2 conseguiu correr as primeiras corridas. Este segundo ano de F1 era muito importante para a Red Bull, pois serveria como consolidação do time na categoria. A equipe trocou os motores Cosworth pelos Ferrari, e esperava assim conseguir um desempenho melhor em termos de potência.

Ao longo da temporada, o projeto do RB2 não vingou como esperado, e o desempenho estava abaixo do ano anterior. O carro conseguiu também o primeiro pódio da Red Bull na F1, pelas mãos do experiente Coulthard, nas ruas de Mônaco. E com o desempenho abaixo da média, e também com a grande concorrência das outras equipes rivais, a Red Bull acabou por abandonar o projeto RB2 para se focar na próxima temporada.

O carro firmou a Red Bull como uma equipe média, e batalhava para estar entre os dez primeiros, as vezes beliscando alguns pontos. Vale ressaltar que a equipe contratara o renomado Adrian Newey, o que contribuiu o desenvolvimento do carro, ainda que ele não tenha participado completamente do projeto do RB2. A equipe marcou razoáveis 16 pontos em sua segunda temporada, e terminou na mesma posição do ano anterior, no 7° lugar.

Dados:

Equipe: Red Bull Racing

Designers: Adrian Newey
————————–
Dados técnicos:

Chassis: Monocoque moldado em fibra de carbono

Suspensão: Independente, feita de fibra de carbono e outros componentes, molas de torção, barra estabilizadora, sistema push rod

Motor: Ferrari 056, V8 com 32 válvulas,2.4 litros, 90° de inclinação, montado longitudinalmente, aspirado naturalmente, peso de 95 kg, bloco do motor feito de alumínio

Transmissão: Red Bull, 7 velocidades, e uma marcha reversa (marcha ré), montada longitudinalmente, sequencial, semi automática

Combustível: Shell

Pneus: Michelin, com rodas AVUS Racing
——————————————-
Pilotos:
14 David Coulthard

15 Christian Klien

15 Robert Doornbos (substituindo Klien após o GP da Itália)
————————————————————–
Pontos: 16

Corridas: 18

Vitórias: 0

Pole Positions: 0

Voltas mais rápidas: 0

Posição no Mundial de Construtores: 7° lugar

 

Divulgação/Site oficial do Tom Cruise

Tom Cruise num Red Bull

Pra ver como qualquer um pode pilotar um Fórmula 1.Tom Cruise pilotou um carro da Red Bull num teste privado no sul da Califórnia.E pensar que eu não consigo nem pilotar de kart(é meu sonho virar piloto de corridas).

Acompanhado por David Coulthard, ex-piloto de Fórmula 1 e embaixador da equipe, Cruise deu algumas voltas no circuito de Willow Springs. O evento fez parte de uma excursão da escuderia aos EUA, com o intuito de promover a categoria.

“Tom realmente sabe o que faz. Fiquei surpreso ao ver como ele pegou rápido o jeito do carro e se mostrou talentoso. Sua habilidade é incrível, considerando a complexidade em se guiar um carro de Fórmula 1. Ele é um cara que também faz coisas impressionantes na vida real. Ele me impressionou” disse o ex-Red Bull e McLaren,David Coulthard.

O teste durou sete horas, e segundo os dados da telemetria, Cruise conseguiu melhorar os seus tempos nums impressionantes… onze segundos. E toda a gente ficou impressionado com as suas capacidades de pilotagem. Pena ser velho demais para conseguir uma segunda carreira na Formula 1, não é? Sempre pode tentar as 24 Horas de Le Mans, como fez Paul Newman,por exemplo.

O ator, de 49 anos, completou 24 voltas no circuito e atingiu a velocidade de 291 km/h.

Se considerarmos que talvez 90 ou 95% de pessoas mal conseguiriam largar com um F1.

Pra ver como qualquer um pode correr de F1.Eu não consigo nem andar de kart.

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

junho 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 18 outros seguidores