You are currently browsing the tag archive for the ‘robert kubica’ tag.

No GP da Itália de 2006, correndo em casa. A Ferrari e Michael Schumacher brigavam com facas e dentes contra a Renault e Fernando Alonso na disputa pelo título. Depois de 53 voltas na veloz Monza, Michael Schumacher se sagrou vencedor da corrida e diminuiu para dois pontos a diferença dele para o líder do campeonato, Fernando Alonso. Mas uma revelação incrível estava por vir depois da corrida.

Na tradicional coletiva de imprensa depois da corrida, Michael Schumacher anunciou sua primeira aposentadoria. “Houve muita discussão sobre meu futuro. Sinto muito por não ter dito antes, mas tem um momento certo. Este é o exato momento. Será meu último GP na Itália. E irei me aposentar do automobilismo. Foi um tempo realmente excepcional. Realmente amei todo momento, os bons e ruins”, disse Schumacher.

A reação foi imediata. Vários e vários sites de automobilismo noticiaram a aposentadoria de Schumacher. Todos ficaram tristes. Michael Schumacher tinha na época, 36 anos, e tinha 7 títulos, 91 vitórias, 154 pódios, 64 poles, 22 hat-tricks e tinha vários outros recordes na pista. Além de vários fãs ao redor do mundo. Depois do anúncio da aposentadoria, Michael Schumacher ainda venceu no GP da China e assumiu a liderança do campeonato no desempate.

Ma o título escapou de Schumacher no Japão, quando o motor Ferrari não resistiu e ele teve de abandonar a corrida. Alonso venceu e abriu 10 pontos na liderança faltando apenas uma corrida.

No Brasil, a última etapa. Várias homenagens para Schumacher na sua despedida da F1, como essa da foto com a BMW escrevendo “Danke Michael” e “Thanks Michael” no aerofólio traseiro de seus carros. Apesar da enorme diferença para Alonso no campeonato, todos queriam que ele fosse o campeão.

Na corrida, Schumacher largou em décimo e teve um pneu furado  no começo da prova caindo para último. Mas Schumacher provou quem ele era e fez uma corrida admirável, fazendo ultrapassagens lindas como a ultrapassagem linda sobre Kimi Raikkonen pela quarta posição.

Por mais que a corrida do alemão fosse fantástica, para ser campeão precisava que Alonso não marcasse pontos e Schumacher vencesse a corrida. O que não se realizou. Alonso foi o segundo e Schumacher, o quarto. Depois de várias homenagens, Schumacher se despedia da F1. Em 2010, ele voltou para a F1 pela Mercedes. Esperava-se que ele voltasse aos bons tempos. Mas em 3 anos na Mercedes, foram apenas um pódio em Valência e uma pole em Mônaco, que lhe foi tirada por causa do incidente com Bruno Senna na Catalunya.

Mais uma vez, Michael Schumacher se despede da F1. Diferente de 2006, quando se despediu com glória e vitórias, hoje ele se despede de forma melancólica. Mas mesmo assim, ainda é e sempre será, apesar de polêmicas, um grande e um dos melhores pilotos do mundo.

Obrigado Michael e vá descansar.

Anúncios

O F1.07 foi um dos destaques da temporada de 2007, e marcava uma grande evolução da equipe BMW Sauber, logo em seu segundo ano. O carro foi apontado como surpresa da temporada nos testes da pré-temporada, e de fato que ele foi, batalhando com os carros das equipes grandes, Ferrari e McLaren.

O carro apresentava linhas fortes e agressivas, e era uma visível evolução de seu antecessor, o F1.06. Foi o primeiro carro totalmente construído pela BMW, que comprara a Sauber um ano antes. O carro se mostrou constante nas primeiras posições, incomodando as Ferrari e as McLaren, com Robert Kubica, que fazia seu primeiro ano completo de F1, e o experiente Nick Heidfeld.

Um fato interessante sobre este carro, foi o forte acidente de Kubica no GP do Canadá. O polonês destruiu totalmente o carro, em um dos acidentes mais graves daquela década. Porém, tudo acabou bem com Kubica saindo sem lesões, ainda que sendo substituído por Sebastian Vettel no próximo GP.

Acima a asa traseira usada no Canadá.

Por fim, o carro arrebatou bons 101 pontos, suficientes para levar a BMW Sauber ao 2° lugar dos Construtores, lembrando que a McLaren foi excluída do mesmo.

                                                           Asa traseira utilizada em Monza

Dados:

Equipe: BMW Sauber

Designers: Jorg Zander
————————
Dados técnicos:

Chassis: Moldado em fibra de carbono, monocoque

Suspensão: Feita de fibra de carbono e alumínio, sistema pushrod ativado, independente (Suspensões dianteira e traseira)

Distância entre-eixos: 3,110 mm

Motor: BMW P86/7 2.4 litros, 90°, V8. Aspirado naturalmente, montado logitudinalmente

Transmissão: BMW Sauber, 7 velocidades e uma reversa (marcha ré), sistema “Quick Shift Gearbox (QSG)”. Sequencial, semi automática

Peso: 605 kg

Combustível: Petronas

Pneus: Bridgstone
——————-

Pilotos:

Nick Heidfeld

Robert Kubica

Sebastian Vettel
—————–
Pontos: 101

Corridas: 17

Vitórias: 0

Poles: 0

Voltas mais rápidas: 0

Posição no Mundial de Construtores: 2°

Continuando com a série sobre os carros da temporada 2006 de Fórmula 1,agora com o BMW Sauber F1.06.

A BMW deixava de ser apenas fornecedora de motores para ter sua equipe oficial no ano de 2006, comprando a tradicional equipe suíça Sauber. O carro não foi construído inteiramente pelos alemães, uma vez que a Sauber já vinha desenvolvendo o bólido desde o ano anterior. A equipe construiu seu novo carro em torno das novas regras de motores para aquela temporada, e daí é vieram as mudanças no carro.

O F1.06 era consideravelmente diferente do seu antecessor. As mudanças mais visíveis, eram o bico do carro, mais curvado e perto do chão, e a nova asa dianteira, com um desenho não completamente novo, mas seguindo um padrão bem aceito nas temporadas anteriores. Como na maioria dos carros, por causa dos novos motores V8, as entradas de ar diminuíram, e isso beneficiava a aerodinâmica do modelo no geral. A parte traseira do carro também sofrera algumas mudanças, assim como as laterais, mais uma vez, como causa da troca dos motores. Outro aparato aerodinâmico que chamava atenção era o par de chifres como mostrado ao acima, introduzido originalmente pela McLaren na temporada de 2005, e também utilizada pela BMW em seu bólido.

As suspensões dianteira e traseira também mudaram bastante, e as mudanças eram basicamente para melhorar o fluxo aerodinâmico na dianteira, e para garantir também o melhor desempenho possível com os pneus Michelin na traseira.

Outro destaque do F1.06 era seu novo motor BMW. O V8 começara a ser desenvolvido em novembro de 2004, para que ele estivesse pronto a tempo para ser testado e melhorado antes da temporada de 2006 se iniciar.O motor obteve um bom desempenho, mas como todos os novos V8, atingia um alto nível de vibração em altas rotações.

O F1.06 surpreendeu a muitos, mostrando ter um bom desempenho, superior ao seu antecessor, e assim conseguindo marcar pontos com alguma frequência, e tendo seu ápice no final da temporada, quando os melhores resultados apareceram, com os terceiros lugares de Heidfeld e Kubica. Brigava constantemente no chamado Top 10, e ao final das contas, somou bons 36 pontos a nova equipe, ou seja, nada mal para uma nova equipe, sendo que eles também terminaram na 5° posição nos Construtores em seu primeiro ano. Foi um carro também de fato importante, pois foi o primeiro F1 que o polonês Robert Kubica guiou, chamando atenção pelos seus resultados bastante satisfatórios.

Dados:

Equipe: BMW Sauber F1

Designers: Willy Rampf
—————————
Dados técnicos:

Chassis: Monocoque moldado em fibra de carbono e alumínio

Suspensão: Feita de fibra de carbono, alumínio e outros componentes, independente, molas de torção, sistema pushrod ativado (suspensões dianteira e traseira)

Motor: BMW P86, V8, 2.4 litros, aspirado naturalmente, montado longitudinalmente, 90° de inclinação, 95 kg de peso

Transmissão: BMW Sauber, 7 velocidades e uma marcha reversa (marcha ré), montado longitudinalmente, feita de fibra de carbono

Peso: 600 kg incluindo piloto e fluídos

Combustível: Petronas, e lubrificantes Petronas Syntium

Pneus: Michelin, com rodas OZ

Comprimento: 4610 mm

Altura: 1000 mm

Largura: 1800 mm
——————————–
Pilotos:
16 Nick Heidfeld

17 Jacques Villeneuve

17 Robert Kubica (substituindo Villeneuve a partir do GP da Hungria)
———————————————————————-
Pontos: 36

Corridas: 18

Vitórias: 0

Poles: 0

Voltas mais rápidas: 0

Posição no Mundial de Construtores: 5° lugar

Nova categoria sobre disputas de posições interessantes na história da F1.
Última volta do Grande Prêmio do Japão de 2007.Kubica estava na sexta posição com Massa pressionando atrás.Os dois brigaram até o fim.Um passava o outro e o outro passava um.Sendo que quem levava a ultrapassagem acabava dando uma escapada para a fora da pista.Quer saber quem ganha?veja o vídeo abaixo.
 

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

outubro 2017
D S T Q Q S S
« maio    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 19 outros seguidores