You are currently browsing the tag archive for the ‘sepang’ tag.

Grand Prix Challenge é um jogo de F1 da temporada de 2002. É um jogo não muito lembrado por aí, mas que pode ser achado facilmente em alguns camelôs por aí.

Como o único jogo de F1 que eu tinha era um F1 2006 que vivia travando e não era muito emocionante, resolvi comprá-lo. 2 reais por uma cópia pirata. Na minha primeira corrida, foi em Interlagos a bordo do mítico KL Minardi pilotado por Alex Yoong. Mas não é dessa partida de que vou falar. A propósito, eu terminei em sexto nessa corrida. Vou falar da minha pior corrida de videogame da minha vida curta de 14 anos.

Há eras eu já havia falado sobre a minha fantástica corrida no GP3 (se virem para procurar o post nos arquivos do blog) quando heroicamente eu levei Ricardo Rosset a segurar meio mundo na última volta da corrida em Monza. Mas eras depois, aconteceu um revés com o jogo homônimo que tinha falado no começo do post.

No começo, eu achei o jogo complicado. Além de ele estar em espanhol, a dirigibilidade era muito sensível. Uma viradinha de leve para a esquerda no analógico do controle poderia levar o carro lá para puta que pariu. Por isso, escapava muitas vezes e perdia posições.

Os gráficos do jogo não são realísticos como os atuais jogos da F1 da Codemasters. Mas tem várias coisas boas, como a suspensão, o movimento das mãos e cabeça do piloto, a torcida que fica falando “óóóóó” quando algo acontece como uma ultrapassagem, um toque ou um acidente. Os patrocínios tabagistas dos carros são trocados por outras coisas escritas como a Renault que troca o nome “Mild Seven” por um “Blue World”.

Uma parte ruim do jogo, é que a gente começa com apenas 6 pistas desbloqueadas de 17. O resto a gente tinha que ir desbloqueando com pódios e vitórias. Decidi tentar desbloquear todas as pistas. Uma por uma, pistas iam sendo desbloqueadas. Uma coisa engraçada do jogo, ele no vídeo de apresentação, mostra todas as pistas do jogo. Quando chega na pista de Hockenheim, ele mostra o traçado antigo de 7 quilometros, quando na hora de jogar, a gente jogava no traçado atual que é uma bosta em relação ao outro. Nurburgring também aparece com o traçado antigo, com a chicane na curva 1, mas na hora da corrida, aparece o traçado atual.

Vamos para a hora de eu me fuder. Depois de destravar todas as pistas. Eu resolvi começar a correr em pistas onde nunca tinha corrido naquele jogo. Como piloto, escolho Giancarlo Fisichella e seu Jordan amarelado. Pista, a malaia pista de Sepang. Nível: Moderado (se meu espanhol estiver certo, é o mesmo que “médio” para nós brasileiros).

Como participar do qualify de um jogo de corridas é uma chatice e uma perda de tempo, resolvo pular essa parte e ir direto para a corrida. Largaria em último. Como o clima do jogo é aleatório, ia chover canivetes na corrida. Seriam 28 voltas muito loucas.

Não chovia muito na largada, então eu e o resto do grid escolhemos os pneus macios de pista seca para largar. Péssima escolha. Na largada, largo muito mal. Logo depois do caracol da primeira curva, percebo que foi um erro primário largar com os macios. No final da primeira volta, eu já havia rodado duas vezes , era o último a uns 15 segundos atrás do carro mais próximo e lutava para permanecer na parte cinza da pista. Depois de mais duas voltas rodando e rodando, resolvo ir parar nos boxes para calçar os pneus de chuva forte. Como parei antes que todo mundo, fiquei a uns 50 segundos do P21. Mas eu havia feito a coisa certa.

Com uma volta muito mais rápida do que os outros, na volta seguinte, alguns pilotos iam fazer suas paradas. E com uma volta a mais com os pneus de chuva, girei mais rápido nessa volta e já começava a angariar posições. Depois de todos pararem nos boxes, já estava num bom P17. Mas conforme as voltas iam acontecendo, eu e meus fantásticos poderes de pilotagem na chuva, ganhava posições a cada volta. Mas nem tudo ia bem.

A curva 14 normalmente é só mais uma curva que ninguem se importa, mesmo estando numa pista famosa. Mas no jogo, ela fazia diferença. Na chuva, ela fica encharcada e escorregadia e não é muito difícil rodar naquele ponto. Por esse motivo, a cada volta que ganhava 3 posições, eu perdia 2 naquela maldita curva.

Estava chovendo tipo assim no jogo

Eu até conseguia controlar um pouco o Jordan naquela curva, mas sempre o carro ficava de lado e eu perdia uns 2, 3 segundos preciosos naquela curva. Tanto que na volta 7, eu rodo de vez naquela curva e caio para a P19. Mas, mais uma vez meus fantásticos poderes de pilotagem na chuva me fizeram ganhar 4 posições na curva 15. Depois disso, parei de ficar rodando e fui ganhando posições. Tanto que na volta 12,  já me encontrava na P6.

Depois disso, decidi ir atrás dos carros que estavam a minha frente. Kimi Raikkonen, Ralf Schumacher e Juan Pablo Montoya. Ralf e Montoya estavam brigando entre si pela P4. Quando cheguei neles, rapidamente fiz a ultrapassagem e logo depois, passei Kimi também. Mas aquela maldita curva 14 me fez rodar e perder as três posições que havia ganhado. Fiquei discutindo a terceira posição com eles até a volta 16, quando fui fazer a minha segunda parada. Naquela altura estava em quinto, pois o Montoya havia perdido terreno depois de eu ter dado uma fechada violenta nele.

Foi na hora da parada nos boxes que tudo começou a desmoronar para mim. Na volta 15 mesmo, a chuva já estava diminuindo. No final da volta 16, a chuva já estava bem fraca. Mas não queria arriscar botar os macios e começar a cair horrores do céu logo depois. Por isso, botei os intermediários. Péssima escolha novamente.

Depois de uma volta lenta, eu comecei a estranhar tudo. Na volta 18, a chuva já estava mais fraca do que um Sansão careca. Mas ainda caía uma gotinha de vez em quando. Para confirmar o meu erro, emparelhei com um Jaguar na curva 15 e olhar para os pneus que estavam sendo usados. Eram pneus macios. Numa virada rápida para a direita segui para os boxes lamentando. A corrida já era. Calcei os pneus macios e fui em frente. A uns 35 segundos do carro mais próximo, meus fantásticos poderes de pilotagem na chuva não fariam o menor efeito numa pista seca.

Na chuva, conseguia ser uns 5 segundos mais rápido que qualquer um na pista, no seco era diferente. Eu girava ao mesmo tempo que o líder, Rubens Barrichello (!). Para piorar tudo, uma capotada prosaica na curva 1 (!) aconteceu. Perdi uns 10 segundos aí.

A essa altura já tinha jogado a tolha. Minha única chance ia ser se a chuva voltasse. Faltava 6 voltas para o final e a chuva volta a dar as caras na corrida. Era a minha chance. Se permanecesse na pista com os pneus macios eu poderia ganhar várias posições e me dar bem. Era só permanecer na parte cinza da pista e segurar os outros carros. É bem óbvio que essa estratégia não iria funcionar e resolvi não seguir essa estratégia.

Fui para os boxes na volta 23 e botei os pneus de chuva forte. Mas a chuva tinha voltado pior do que nunca. Passei duas voltas errando e escapando da pista, principalmente na maldita curva 14.

Estava a 18 segundos do carro mais próximo que era Allan McNish e seu Toyota, girava 5 segundos mais rápido do que os outros e faltavam 3 voltas para o final.

Graças aos meus fantásticos poderes de pilotagem na chuva, começava a tirar a diferença para McNish e Salo que ficavam brigando pela P20 da corrida. Com isso, ia tirando a diferença de modo fácil e rápido. Chegou a última volta. Meu Jordan amarelado pilotado por Giancarlo Fisichella passou por tanta coisa na corrida e estava em último. A 3,5 segundos do carro mais próximo, Mika Salo.

Mas a chuva novamente dá o ar da graça e resolve querer se mandar na última volta. Mesmo assim, consegui fazer uma ultrapassagem linda na curva 7 sobre Allan McNish e consigo deixar a última posição da corrida. Logo depois, na curva 10, a ultrapassagem sobre Mika Salo. Depois de uma quase escapada na droga da curva 14, vinha a última curva da corrida. Depois de várias escapadas, rodadas, capotagens, meus fantásticos poderes de pilotagem na chuva e erros de estratégia, a corrida estava acabando.

Cruzei a linha de chegada a 52 segundos do líder e vencedor da corrida, Rubens Barrichello (!). P20 a posição final na corrida. Já estava era aliviado por ter acabado a corrida depois de tanta coisa ruim acontecendo na corrida. Depois disso, o resultado e julgamento meu final, a minha pior corrida de videogame da história.

 

MDMalaysian

Poder Latino!

CORRIDA: Na largada, todos com os pneus intermediários, apenas a HRT apostou em pneus de chuva forte. Na largada, Grosjean largou muito bem aparecendo em primeiro após 2 curvas. Mas bota tudo a perder ao bater em Schumacher. Grosjean e Schumacher sobrevivem. Ao final da primeira volta, Sergio Perez e Bruno Senna entram no box.

A chuva começa a apertar na segunda volta. As câmera onboard dos carros mostravam que o negócio estava feio mesmo. Massa aparece em sexto ao final da terceira volta. Felipe Massa vai para o box porque os compostos intermediários já não aguentam mais. Alonso e Button também vão para o box. Romain Grosjean escapa sozinho e fica prso na brita. Pede para os “laranjinhas” o empurrarem para a pista, mas assim como no caso Alonso na Austrália, o pedido foi negado.

Lewis Hamilton e Mark Webber param na volta seguinte. A essa altura, já não dava para ver mais nada no circuito de Sepang. E vejam só, Narain Karthikeyan está em oitavo (!) . Felipe Massa e Nico Rosberg fazem a ultrapassagem sobre Karthikeyan uma volta depois e Karthikeyan cai para décimo (!) . Sergio Perez escapa para fora da pista. Vettel, Rosberg e Senna são outros que escapam da pista. Coincidentemente. Perez, Vettel, Rosberg e Senna escaparam todos na mesma curva. Como estava chovendo canivetes em Sepang, o safety-car entra na pista.

Os comissários dizem que não vai haver bandeira vermelha. Bruno Senna entra novamente nos boxes e cai para último, mas não perde muita coisa pois estava a frente apenas de Charles Pic na corrida. A essa altura, já se formam laguinho na maioria das curvas, principalmente as do setor 3 de Sepang.

E finalmente, após 3 voltas lentíssimas atrás do safety-car, os comissários decidem ativar a bandeira vermelha. Naquela altura, o tupiniquim brasileiro que acordou às 5 da madrugada solta um “POOOORRA!” . Ainda bem que eu vi a corrida no VT no SporTV hehe. Foram 51 minutos de bandeira vermelha. Foram 51 minutos que o tupiniquim brasileiro ficou vagando pelo quarto ou a sala feito um zumbi, esperando a corrida começar de novo, e como sempre bocejando e se aguentando para ficar acordado.

E o Lito Cavalcanti revelou seu lado torcedor e torcia a cada volta para a corrida ser cancelada para Narain Karthikeyan marcasse o primeiro ponto da história da HRT. Não seria tecnicamente um ponto, já que só valeriam a metade dos pontos. Ou seja, Karthikeyan ia marcar 0,5 ponto. Mas ponto é ponto.

Depois de algumas volta com safety-car, ele finalmente entra nos boxes. E Pedro de la Rosa é punido com um drive-trough porque os “inteligentes” dos mecânicos da HRT demoraram para sair da área de largada após a bandeira vermelha.

Na relargada, vários pilotos vão para os boxes. Apenas o pelotão da frente continua na pista. Mais alguns pilotos trocam os compostos de chuva forte pelos intermediários. Perez assume a liderança (!) . E incrivelmente, Charles Pic assume a quinta posição (!!!!) e Karthikeyan já é o sexto (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!) .

Numa tentativa de ultrapassagem, Jenson Button toca Karthikeyan e perde parte da asa dianteira. Incrivelmente, a batida não foi cupla de Narain. Button saiu de traseira e acabou tocando em Narain. Hamilton aproveita e passa Karthikeyan e Button. Button cai para vigésimo e Karthikeyan faz sua parada e cai para penúltimo, a frente apenas de seu companheiro, De La Rosa.

Alonso marca a melhor volta da prova. Bruno Senna que era um dos últimos, usa sua habilidade em pistas molhadas e começa a ganhar posições. Nesse momento da prova, a reta principal mais parecia uma piscina. Bruno Senna continua um foquete na pista e faz sua “revanche” de Brasil/2011 e faz linda ultrapassagem sobre Michael Schumacher. Felipe Massa escapa da pista e perde posição para Paul di Resta. Bruno Senna continua voando baixo em Sepang e já aparece em décimo depois de ficar em último em certo momento da prova.

Alonso continua na liderança com Sergio Perez em segundo (!) e Hamilton em terceiro. Senna parte para cima de Massa. Senna passa Felipe porque Massa foi trocar os pneus. Senna já aparece em nono.

A pista começa a secar, mas o rádio de Kobayashi diz que mais chuva está por vir. Depois de algumas disputas envolvendo pilotos fazendo ultrapassagens sobre Massa, Daniel Ricciardo resolve arriscar e calça os compostos médios.

Sergio Perez começa a se aproximar incrivelmente de Alonso, a diferença que chegou a ser de 7 segundos, já era de 1,5 segundos, e baixando, volta após volta. Felipe Massa também resolve arriscar nos pneus médios e acaba por perder uma volta de Alonso e Perez. Sergio Perez continua com sua aproximação sobre Alonso. Ele fazia volta mais rápida atrás de volta mais rápida. A diferença já erra de 0,7 segundos. Mark Webber, Jenson Button, Michael Schumacher e Bruno Senna colocam os compostos médios. Alonso também para nos boxes para colocar os pneus médios.

Sergio Perez assume a ponta outra vez (!) . Vários pilotos vão para os boxes calçar os pneus médios que eram os mais rápidos naquele momento. Sergio Perez vai para os boxes. E com isso, Alonso reassume a ponta. E a diferença entre Perez e Alonso volta a ser de 7 segundos. Senna põe pressão sobre Di Resta e Raikkonen. Não demora muito e Senna passa Di Resta. E Perez chega a tirar 2 segundos por volta (!) .

E Sebastian Vettel tocou em Narain Karthikeyan e teve o pneu traseiro estourado. E a culpa novamente não foi de Karthikeyan. Vettel fechou perigosamente Karthikeyan e os dois se tocaram. A diferença entre Alonso e Perez já era de 0,5 segundos. Lá vem Perez! Perez tenta usar a asa móvel e o KERS para tentar passar Alonso, mas o esforço é em vão. O rádio de Perez diz que eles precisam daquela posição. Um balde de água fria no mexicano.

Para felicidade de Alonso, Perez escapa em uma curva do terceiro setor e perde o ritmo que vinha antes. Maldonado e Vettel abandonam a corrida. Alonso vence a prova, com Sergio Perez em um fantástico (tão fantástico que o Peter Sauber soutou umas lágrimas logo após Perez receber a bandeirada) segunda posição. Lewis Hamilton foi o terceiro. Mark Webber ficou num discreto quarto lugar. Kimi Raikkonen terminou em quinto seguido de Bruno Senna, Paul di Resta, Jean-Éric Vergne, Nico Hulkenberg e Michael Schumacher. Felipe Massa terminou em décimo quinto.

DESTAQUES POSITIVOS DA CORRIDA:

Sergio Perez: Nem o mais otimista imaginava que esse pequeno mariachi ia chegar em segundo e ainda querer brigar pela vitória numa aproximação incrível sobre Alonso. Recebeu uma mesnsagem da equipe que lhe deu um balde de águar fria e logo depois escapou da pista e perdeu as chances de vitória. Mesmo assim, fez uma corrida fantástica.

Bruno Senna: Começou mal a corrida ao ser tocado por alguém e rodar. Parou cedo. Na mesma volta que Sergio Perez. Deu sorte de rolar a bandeira vermelha. Relargou em último, mas utilizou suas habilidades na chuva para passar todo mundo e chegar num brilhante sexto lugar. Ganha moral na equipe com isso.

Narain Karthikeyan: A equipe HRT acertou na estratégia em largar com os pneus de chuva forte com seus dois pilotos. Com isso, Narain Karthikeyan apareceu por boa parte da primeira metade da prova nos pontos. Chegou a estar em sexto (!) . Mas sua equipe lhe botou lá trás de novo ao fazer uma péssima troca de pneus e Karthikeyan voltou a frente apenas de Pedro de la Rosa. E ainda acabou com as corridas de Seb Vettel e Jenson Button! Uma de suas melhores corridas. Talvez até a melhor.

DESTAQUES NEGATIVOS DA CORRIDA:

Sebastian Vettel: Nunca esteve em uma posição melhor que o quarto lugar. Nunca esteve em batalha nenhuma. Não fez nada na corrida. Bateu em Karthikeyan e choramingou botando a culpa no coitado que não teve culpa nenhuma daquilo. E ainda deu o azar de abandonar a corrida na última volta. Nesse ritmo não vai ser tri.

Romain Grosjean: Provou ser um azarento, após fazer bela largada e acabar por bater em Schumacher. Tentou fazer corrida de recuperação, mas foi em vão. Porque ele rodou sozinho na curva 3. Até tentou voltar para a corrida, mas seu pedido foi negado. Tem que levar quatro trevos de quatro folhas e uma dúzia de moedas de um centavo se quiser ter sorte e melhorar nas corridas.

Felipe Massa: Ele foi o décimo quinto. Não preciso falar mais do que isso.

RESULTADO FINAL DA CORRIDA:

Posição Piloto Pais Equipe Pontos
Fernando Alonso Espanha Ferrari 25
Sergio Pérez México Sauber 18
Lewis Hamilton Inglaterra McLaren 15
Mark Webber Austrália Red Bull Racing 12
Kimi Raikkonen Finlândia Lotus 10
Bruno Senna Brasil Williams 8
Paul di Resta Escócia Force India 6
Jean-Éric Vergne França Toro Rosso 4
Nico Hulkenberg Alemanha Force India 2
10º Michael Schumacher Alemanha Mercedes 1
11º Sebastian Vettel Alemanha Red Bull Racing 0
12º Daniel Ricciardo Austrália Toro Rosso 0
13º Nico Rosberg Alemanha Mercedes 0
14º Jenson Button Inglaterra McLaren 0
15º Felipe Massa Brasil Ferrari 0
16º Vitaly Petrov Rússia Caterham 0
17º Timo Glock Alemanha Marussia 0
18º Heikki Kovalainen Finlândia Caterham 0
19º Pastor Maldonado Venezuela Williams 0
20º Charles Pic França Marussia 0
21º Narain Karthikeyan Índia HRT 0
22º Pedro de la Rosa Espanha HRT 0
RET Romain Grosjean França Lotus 0
RET Kamui Kobayashi Japão Sauber 0

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO:

PILOTOS:

País Piloto Pos. Pontos
Espanha Fernando Alonso 35
Inglaterra Lewis Hamilton 30
Inglaterra Jenson Button 25
Austrália Mark Webber 24
México Sergio Pérez 22
Alemanha Sebastian Vettel 18
Finlândia Kimi Raikkonen 16
Japão Kamui Kobayashi 8
Brasil Bruno Senna 8
Escócia Paul di Resta 10º 7
França Jean-Éric Vergne 11º 4
Alemanha Nico Hulkenberg 12º 2
Austrália Daniel Ricciardo 13º 2
Alemanha Michael Schumacher 14º 1
Finlândia Heikki Kovalainen 15º 0
Alemanha Timo Glock 16º 0
Alemanha Nico Rosberg 17º 0
Índia Narain Karthikeyan 18º 0
Venezuela Pastor Maldonado 19º 0
França Romain Grosjean 20º 0
Brasil Felipe Massa 21º 0
Rússia Vitaly Petrov 22º 0
França Charles Pic 23º 0
Espanha Pedro de la Rosa 24º 0

EQUIPES:

País Equipe Pos. Pontos
Inglaterra McLaren 55
Áustria Red Bull Racing 42
Itália Ferrari 35
Suíça Sauber 30
Inglaterra Lotus 16
Índia Force India 9
Inglaterra Williams 8
Itália Toro Rosso 6
Alemanha Mercedes 1
Rússia Marussia           10º   0           
Malásia Caterham         11º   0           
Espanha HRT                 12º   0           

 

 Na largada, Hamilton se manteve na pole
A coisa ficou feia depois da largada
E o safety-car entrou na pista
E acabou por rolar uma bandeira vermelha
E Narain Karthikeyan levou seu HRT para um impensável décimo posto
Mas depois da relargada, o tempo melhorou
E Jenson Button errou e acabou batendo em Karthikeyan em disputa por posições (isso mesmo, disputa por posições, nada de bandeira azul)
E Sebastian Vettel mostrando o dedo do meio para Karthikeyan após um toque entre eles. E a culpa não foi do indiano
Fernando Alonso recebendo a bandeirada. Detalhe: Felipe Massa estava no final da reta dos boxes nesse momento, será que o cara da quadriculada confundiu Alonso e deu a bandeirada para Massa? Não, acho que não
Sergio Perez comemorando o pódio dedicado a sua falecida cachorra Frida
Sergio Perez, Fernando Alonso e Lewis Hamilton no pódio. Detalhe: Hamilton não me parece feliz

No sábado,Massa conseguia a pole position seguido de Raikkonen e Kovalainen atrás.Depois da McLaren dominar numa corrida louca na Australia.A Ferrari voltava a dominar.Na largada,Massa continuava na frente,mas com pressão de Raikkonen.Na primeira volta,Bourdais roda e abandona e uma volta depois,Glock também abandona por causa de uma colisão com Rosberg.Depois,foi a vez de Sutil abandonar com problemas hidráulicos.

Na primeira rodada de pit-stops,Raikkonen fez uma parada melhor e voltou a frente de Massa,faltando 38 voltas para o fim.Depois,Massa não conseguia ter o mesmo redimento que tinha antes da sua parada e acabou perdendo o controle do carro e foi parar na caixa de brita e teve de abandonar.Pobre Massa.

massa

 

 

 

 

 

 

Depois disso,Raikkonen passeou pela pista,deu um oi para sua mulher e para a torcida.Vettel (ainda na Toro Rosso) abandona porque seu motor Ferrari lhe deixou na mão.

Enfim,diferente da prova australiana,a corrida foi chatinha.Raikkonen venceu com Kubica (uia!) em segundo e Kovalainen em terceiro.

Pódio em Sepang,lar de uma corrida chatinha,chatinha em 2008

Resultado final

 POS-PILOTO EQUIPE TEMPO PONTOS
1 Kimi Räikkönen Ferrari 1h31min18s555 10
2 Robert Kubica BMW a 19s570 8
3 Heikki Kovalainen McLaren a 38s450 6
4 Jarno Trulli Toyota a 45s832 5
5 Lewis Hamilton McLaren a 46s548 4
6 Nick Heidfeld BMW a 49s833 3
7 Mark Webber Red Bull a 1min08s130 2
8 Fernando Alonso Renault a 1min10s041 1
9 David Coulthard Red Bull a 1min16s220
10 Jenson Button Honda a 1min26s214
11 Nelson Ângelo Piquet Renault a 1min32s202
12 Giancarlo Fisichella Force India a uma volta
13 Rubens Barrichello Honda a uma volta
14 Nico Rosberg Williams a uma volta
15 Anthony Davidson Super Aguri a uma volta
16 Takuma Sato Super Aguri a duas voltas
17 Kazuki Nakajima Williams a duas voltas
18 Sebastian Vettel Toro Rosso  
19 Felipe Massa Ferrari  
20 Adrian Sutil Force India  
21 Timo Glock Toyota  
22 Sebastien Bourdais Toro Rosso  
Condições: Sol forte
Volta mais rápida: Nick Heidfeld (BMW) em 1min35s366

Lideraram:

Kimi Raikkonen:32 voltas lideradas

Felipe Massa:16 voltas lideradas

Robert Kubica:8 voltas lideradas

Classificação do campeonato:

Pilotos:

Pos Var Piloto Pontos
1 Straight Line Steady.svg Reino Unido Lewis Hamilton 14
2 ▲ 6 Finlândia Kimi Räikkönen 11
3 ▼ 1 Alemanha Nick Heidfeld 11
4 ▲ 1 Finlândia Heikki Kovalainen 10
5 ▲ 4 Polônia Robert Kubica 8

Equipes:

Pos Var Construtor Pontos
1 Straight Line Steady.svg Reino Unido McLarenMercedes 24
2 ▲ 1 Alemanha BMW Sauber 19
3 ▲ 3 Itália Ferrari 11
4 ▼ 2 Reino Unido WilliamsToyota 9
5 ▼ 1 França Renault 6

Quando botei esse nome para esta categoria,estava me referindo não só para acidentes sanguinolentos e estranguladores,mas para acidentes bizarros,nojentos e sobrenaturais.Então está esclarecido,o titulo desta categoria não quer dizer que só vai ter acidentes graves e essas coisas,tambem vai ter acidentes bizarros e essas coisas,tá legal?

No GP da Malásia de 2011,Liuzzi estava fazendo sua primeira corrida pela Hispania(na Austrália,ele não conseguiu um tempo para participar na corrida),até que na volta 46,a asa traseira resolve dar um faniquito e fazer com que Liuzzi abandona-se a prova.Aí os seguranças da prova foram recolher o carro,aí um zé-ruela resolve tropeçar e cair no chão,até aí a cena já era um pouco hilariante,mas o carro de Liuzzi resolve amassar o pobre segurança.

Se não entendeu,um vídeo vai explicar tudinho.

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

abril 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 18 outros seguidores