You are currently browsing the tag archive for the ‘williams’ tag.

Hoje, a Autosprint, uma revista italiana que adora colocar outras pesssoas no lugar de Felipe Massa em 2013, falou que a Ferrari havia deixado expirar na quinta-feira uma opção no atual contrato, que poderia fazer com que Felipe renovasse com os italianos por mais um ano.

E como fazem normalmente ao falar de Felipe, buscaram um possível substituto para Felipe. Falaram em Jenson Button, Nico Hulkenberg e até mesmo Heikki Kovalainen! Mas será mesmo? Felipe Massa vem de alguns resultados bons como em Silverstone onde quase conseguiu um pódio. Eu sei. Foi há umas duas ou três semanas. Em Hockenheim, vinha para outro bom resultado, mas o além não permitiu.

Ainda mais porque percebe-se que houve uma boa melhora desde o começo do ano. Dele e do carro. Hoje nos treinos de sexta em Hungaroring, Massa foi o sétimo, atrás 6 décimos de Alonso. No segundo treino livre, ele foi o quarto, logo a frente de Alonso. No começo do ano, era algo impensável Massa estar a menos de um segundo de Alonso.

Mas como os brasileiros são um povo que vive metendo pressão nos esportistas, isso não significa nada. Para a maioria, o que importa é que ele esteja brigando pelo topo. Onde você procurar sobre Felipe Massa, você vai ver algo como “Massa está pressionado” ou “Bruno está pressionado”. São uns idiotas.

Bruno Senna também andou bem hoje

O outro brasileiro na F1, Bruno Senna, também é apontado como fora da Williams em 2013. Com Valtteri Bottas andando bem nos treinos de sexta aonde atua, surgiram boatos de que Bottas fosse o segundo piloto da equipe de Grove em 2013. Tudo por causa que Christian “Toto” Wolff entrou na equipe como diretor-executivo da equipe. Toto teria uma simpatia por Bottas, e como o segundo mais poderoso na Williams, poderia muito bem mandar um dos pilotos atuais para a rua.

Pastor Maldonado tem MUITO dinheiro, anda rápido principalmente em circuitos de rua, mas bate muito. O venezuelano não chega nos dez primeiros na maioria das vezes, mas quando chega, ele sempre anda lá na frente. Bruno Senna tem dinheiro, é rápido principalmente na chuva, mas tem um pouco de azar. Chega na maioria das vezes entre os dez primeiros, mas sempre está brigando por um sétimo ou um oitavo.

Maldonado tem mais pontos, mas só pontuou em duas ocasiões e só tem mais pontos por causa de sua vitória em Barcelona. E Rafael já não marca pontos faz cinco finais de semana. Já Bruno Senna pontuou em cinco ocasiões, e poderia ter pontuado em mais corridas se não fosse o destino. Tem como melhor posição em Sepang na chuva, um sexto. E também tem um sétimo na China.

Se Felipe e Bruno não continuarem em 2013, alguém poderá representar o Brasil em 2013? Mas é claro que sim. Temos 3 brasileiros na GP2 em 2012.

Felipe Nasr tem talento. Tem três pódios esse ano em Sepang, Silverstone e Hockenheim. Mas ainda é um novato e inexperiente. Precisa de ao menos mais um ano na GP2 para sonhar com a F1. E precisará mostrar todo o seu talento o resto desse ano e ano que vem. Seria algo muito, muito surpreendente se alguma equipe da F1 o contratasse para ser um segundo piloto em 2013.

Victor Guerin saiu do kart faz uns 4 anos e é muito novo e ainda terá que fazer 1 ou 2 anos na GP2 para ter alguma chance de F1, apesar de estar mostrando boas passagens pela fraca Ocean Racing, demonstrando ser um bom piloto na chuva.

Mas o cara que tem mais chances de ir à F1 em 2013 é Luiz Razia. Razia já tem 4 vitórias na GP2 e nunca esteve em tão boa fase na GP2. É o líder do campeonato com 10 pontos de diferença para o segundo colocado, Davide Valsecchi. Se conseguir ser campeão da GP2, já tem 1 pé e meio na F1. Já que Bernie Ecclestone quase que obriga ter o campeão da GP2 na F1 no ano seguinte. Ele quase que obrigou a Toro Rosso ter uma vaga para Giorgio Pantano em 2009.

Mas se Razia for para uma equipe pequena, se não fizer milagre, praticamente tem sua carreira quase que acabada. Já que não poderá mostrar seu talento numa HRT ou numa Marussia. E poderá sofrer a mesma coisa que os brasileiros sofreram entre os anos de 1995 até 1999. Um desprezo por parte dos brasileiros que torcem para time que tá ganhando e mandam se lixar os times que vivem perdendo tanto quanto os New York Mets ou o Íbis de Pernambuco.

Se Massa e Senna continuam na F1, nínguem sabe. Se Razia poderá representar o Brasil em 2013, nínguem sabe também. O que podemos fazer é esperar o tempo passar e ver o que acontece.

Anúncios

Muito legal essa foto do Williams FW31 de 2009. Kazuki Nakajima bordo. 2009. Quando a Williams ainda tinha os belos patrocínios da Philips, da RBS, da Air Asia e da Reuters. Coincidentemente, os logos combinavam perfeitamente com a pintura azul e branca do Williams.

A propósito, não sabia que o Leandro Verde patrocinava a Williams em 2009. Boa noite a todos.

MDSpainR

Corrida legal num circuito de merda

CORRIDA: Na largada, Alonso levantou os torcedores espanhóis ao ultrapassar Maldonado antes da primeira curva. Massa largou bem como sempre nessa temporada. Sergio Perez acabou tendo um pneu furado num toque qualquer. Logo depois de sete voltas, já tinha pilotos fazendo paradas nos boxes.

Alonso para nos boxes e Maldonado lidera a corrida pela primeira vez na carreira, mas logo depois ele para nos boxes. Grande parte dos pilotos tentam durar na pista sem trocar pneus. Grosjean disputa posição com B.Senna. Bota por fora na curva 1 e faz a ultrapassagem na curva 2. Perde um pedaço da asa, mas seu desempenho não é afetado.

Michael Schumacher tenta passar Senna no retão. Mas comete uma idiotice e bate na traseira de Senna e os dois vão para a fora da pista. Schumacher xinga Senna de “Idiota” via rádio. Schumacher para na brita e Senna fica com um pneu traseiro furado. E acaba por abandonar.

Na segunda rodada de pit-stops, Maldonado para primeiro que Alonso. Alonso faz sua parada na volta seguinte e por algum motivo, volta atrás de Maldonado, que abre 7 segundos. Narain Karthikeyan abandona a corrida. Ali no meio, Felipe Massa disputa a nona posição com Lewis Hamilton. Hamilton tenta fazer a ultrapassagem sobre Massa no retão, mas Massa fecha. A disputa permanece por algumas voltas. Charles Pic é punido por ignorar as bandeiras azuis, foi ele quem atrapalhou Alonso e fez com que o espanhol voltasse atrás de Maldonado. Mesmo assim, Pic abandona. Uma volta depois, Sergio Perez abandona também depois de uma parada nos boxes problemática.

Vettel e Massa são punidos com um drive-trough por ignoraram uma bandeira amarela. Na terceira parada no pits, Maldonado enfrenta problemas e sua parada dura 6 segundos. Mas como tinha 5 segundos de vantagem para Alonso, Maldonado volta na frente de Alonso. Lewis Hamilton faz sua parada nos boxes. Mas acaba por passar por cima da pistola do mecânico. Isso prova que os mecânicos de Hamilton são piores que os do Massa em 2011.

Kimi Raikkonen para nos boxes, o Ice-Man estava na liderança. Alonso tenta esboçar uma tentativa de ultrapassagem sobre Maldonado, mas depois de algumas voltas, ele fica sem pneus e Maldonado abre diferença sobre ele. Kimi Raikkonen que estava a 12 segundos de Alonso e com pneus mais novos, começa a tirar um 1,5 por volta, chegando a tirar 2 segundos por volta.

Maldonado vence a corrida para a alegria de Sir Frank Williams e de Marcos Antônio Filho, do GP Séries. Logo ali atrás, Alonso consegue segurar a segunda posição de um amalucado Kimi Raikkonen. A diferença que era de 12 segundos entre os dois, se transformou em pouco mais de 10 voltas, em apenas 8 décimos.

Já foram 5 corridas, 5 vencedores diferentes em 5 equipes diferentes.

MDSpainR2

Depois da corrida, no box da Williams. Um problema no KERS do carro de Bruno Senna, fez com que o carro explodisse e causasse um grande incêndio. Foram 31 mecânicos atendidos e 7 hospitalizados.

Destaques positivos da corrida:

Pastor Maldonado: Fim de semana de ouro para o venezuelano. Provou que não é apenas um piloto pagante. Vitória merecida. E ainda salvou seu primo do incêndio. Foto do salvamento mais abaixo.

Kamui Kobayashi: Fez ultrapassagens ousadas durante boa parte da corrida que lhe premiou com um ótimo quinto lugar.

Destaques negativos da corrida:

Michael Schumacher: Batida ridícula com Bruno Senna e ainda xingou o brasileiro sem motivo algum. Está sentindo a pressão imposta por Nico Rosberg.

Nico Rosberg: Parece que sumiu da temporada depois da etapa da China. Perdeu todas as disputas por posições em que se intrometeu e não sei como terminou em sétimo.

Sérgio Perez: Sumiu depois da Malásia. Até conseguiu um quinto no grid, mas teve um pneu furado e não apareceu mais. Não parece mais o substituto de Massa em 2013.

Mark Webber: Nem apareceu de forma relevante na corrida.

CLASSIFICAÇÃO FINAL DA CORRIDA:

Pos No Piloto Equipe Tempo V VL Grid Pts
1 18 Venezuela Pastor Maldonado Reino Unido Williams 01:39:09.145 66 37 1 25
2 5 Espanha Fernando Alonso Itália Ferrari +3.195 66 27 2 18
3 9 Finlândia Kimi Raikkonen Reino Unido Lotus +3.884 66 2 4 15
4 10 França Romain Grosjean Reino Unido Lotus +14.799 66 0 3 12
5 14 Japão Kamui Kobayashi Suíça Sauber +1:04.641 66 0 9 10
6 1 Alemanha Sebastian Vettel Áustria Red Bull +1:07.576 66 0 7 8
7 8 Alemanha Nico Rosberg Alemanha Mercedes +1:17.919 66 0 6 6
8 4 Reino Unido Lewis Hamilton Reino Unido McLaren +1:18.140 66 0 24 4
9 3 Reino Unido Jenson Button Reino Unido McLaren +1:25.246 66 0 10 2
10 12 Alemanha Nico Hülkenberg Índia Force India +1 volta 65 0 13 1
11 2 Austrália Mark Webber Áustria Red Bull +1 volta 65 0 11 0
12 17 França Jean-Eric Vergne Itália Toro Rosso +1 volta 65 0 14 0
13 16 Austrália Daniel Ricciardo Itália Toro Rosso +1 volta 65 0 15 0
14 11 Reino Unido Paul di Resta Índia Force India +1 volta 65 0 12 0
15 6 Brasil Felipe Massa Itália Ferrari +1 volta 65 0 16 0
16 20 Finlândia Heikki Kovalainen Malásia Caterham +1 volta 65 0 19 0
17 21 Rússia Vitaly Petrov Malásia Caterham +1 volta 65 0 18 0
18 24 Alemanha Timo Glock Rússia Marussia +2 voltas 64 0 21 0
19 22 Espanha Pedro de la Rosa Espanha HRT +3 voltas 63 0 22 0
NC 15 México Sergio Pérez Suíça Sauber Abandono 37 0 5 0
NC 25 França Charles Pic Rússia Marussia Abandono 35 0 20 0
NC 23 Índia Narain Karthikeyan Espanha HRT Roda 22 0 23 0
NC 19 Brasil Bruno Senna Reino Unido Williams Batida 12 0 17 0
NC 7 Alemanha Michael Schumacher Alemanha Mercedes Batida 12 0 8 0

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO:

PILOTOS:

 
Pos Piloto Equipe Pts
1 Alemanha Sebastian Vettel Red Bull 61
2 Espanha Fernando Alonso Ferrari 61
3 Reino Unido Lewis Hamilton McLaren 53
4 Finlândia Kimi Raikkonen Lotus 49
5 Austrália Mark Webber Red Bull 48
6 Reino Unido Jenson Button McLaren 45
7 Alemanha Nico Rosberg Mercedes 41
8 França Romain Grosjean Lotus 35
9 Venezuela Pastor Maldonado Williams 29
10 México Sergio Pérez Sauber 22
11 Japão Kamui Kobayashi Sauber 19
12 Reino Unido Paul di Resta Force India 15
13 Brasil Bruno Senna Williams 14
14 França Jean-Eric Vergne Toro Rosso 4
15 Alemanha Nico Hülkenberg Force India 3
16 Austrália Daniel Ricciardo Toro Rosso 2
17 Brasil Felipe Massa Ferrari 2
18 Alemanha Michael Schumacher Mercedes 2
19 Alemanha Timo Glock Marussia 0
20 França Charles Pic Marussia 0
21 Rússia Vitaly Petrov Caterham 0
22 Finlândia Heikki Kovalainen Caterham 0
23 Espanha Pedro de la Rosa HRT 0
24 Índia Narain Karthikeyan HRT 0

EQUIPES:

Pos Equipe Motor Pts
1 Áustria Red Bull Renault 109
2 Reino Unido McLaren Mercedes 98
3 Reino Unido Lotus Renault 84
4 Itália Ferrari Ferrari 63
5 Alemanha Mercedes Mercedes 43
6 Reino Unido Williams Renault 43
7 Suíça Sauber Ferrari 41
8 Índia Force India Mercedes 18
9 Itália Toro Rosso Ferrari 6
10 Rússia Marussia Cosworth 0
11 Malásia Caterham Renault 0
12 Espanha HRT Cosworth 0

FOTOS DA CORRIDA:

 

Na largada, Alonso passou Maldonado antes da primeira curva

2012 Spanish Formula 1 Grand Prix, Formula 1

Fiscal tirando um pedaço a asa dianteira da Lotus de Romain Grosjean na curva 1

Michael Schumacher e Bruno Senna se tocaram e os dois abandonaram

 Michael Schumacher, Mercedes Grand Prix, 2012 Spanish Formula 1 Grand Prix, Formula 1

O pessoal levando o carro do Schumacher

Bruno Senna, Williams, 2012 Spanish Formula 1 Grand Prix, Formula 1

Bruno Senna abandonou um pouco depois

2012 Espanhol Formula 1 Grand Prix

A equipe da casa, HRT, fez feio e De La Rosa terminou em último e uma volta atrás do carro mais próximo e o Karthikeyan abandonou

Pastor Maldonado, Williams, 2012 Spanish Formula 1 Grand Prix, Formula 1

Pastor MalDomado cruzando a quadriculada

Pastor Maldonado ganhou o GP da Espanha e virou o 1º venezuelano a vencer na F-1

Maldonado sendo erguido no pódio por Fernando Alonso e Kimi Raikkonen

2012 Espanhol Formula 1 Grand Prix

Fumaceira danada nos boxes. Interessante é o cara da Lotus com um saquinho de amendoins e com a boca cheia enquanto todos estão preocupados com a fumaça.

Eis o culpado do incidente

Dia de herói para Maldonado

Estava querendo fazer a continuação da Novela das 7 da ATS, mas estou com preguiça. Então, vou fazer uma breve homenagem ao Rubinho. Ontem foi anunciado que Narain Karthikeyan vai ser o companheiro de equipe de Pedro de la Rosa na única equipe que tinha uma vaga disponível na F1 em 2012.

Karthikeyan e Barrichello disputando posições na China e em Montreal

Barrichello estava sem a vaga na Williams após Bruno Senna ser anunciado pela equipe de Grove. Barrichello só tinha como opção a HRT. Rubens só tinha encarado a posição de estar voltas atrás nos tempos da Honda em 2007 e 2008. Mas Barrichello tinha declarado no Twitter que ainda não tinha desistido da F1.

Tinha gente de olho naquela vaga da HRT. Não tinha muitos, mas era o que tinha. Na disputa tinha, Narain Karthikeyan, Vitantonio Liuzzi, Giedo Van Der Garde e Lucas di Grassi. Barrichello precisava de patrocinador, mas depois fez um teste com um carro de F-Indy no circuito de Sebring, as chances foram para o ralo.

Você que nasceu nos tempos de Senna, Prost, Piquet e Mansell. Deve se lembrar na primeira corrida de Rubens Barrichello no GP da África do Sul em Kyalami em 1993.

Rubens Barrichello na sua primeira corrida de F1

Barrichello abandonou na volta 31 com problemas no câmbio. O carro não era lá essas coisas, mas já dava para fazer uma estréia na F1. Com a Jordan, também dava para marcar seus primeiros pontos. E eles vieram no final daquele distante ano de 1993. Mais precisamente no GP do Japão no lendário circuito de Suzuka.

Barrichello conseguiu chegar em quinto e marcar dois pontos. Nada mal para um estreante. 94 veio e Barrichello começou muito bem com um quarto lugar no seu vizinho Interlagos e seu primeiro pódio em TI Aida. Com tamanhos resultados, 94 ia ser bom demais para Barrichello. Bom até demais. Barrichello conseguiu sua primeira pole em Spa-Francorchamps, mesmo com aquela chicane enfiada no meio da Eau Rouge.

Barrichello ponteando o GP da Bélgica de 1994, após passar pela estúpida chicane da Eau Rouge

94 foi o melhor ano de Barrichello até 1999. Com um Stewart SF-3. Barrichello marcou sua segunda pole-position em Magny-Cours. Barrichello marcou 21 pontos em 99.

França 1999: a segunda pole de Barrichello

No final de 1999, Barrichello foi contratado pela Ferrari como parte de uma troca feita pela equipe de Maranello com a Jaguar (que tinha comprado a Stewart) . Barrichello foi para a Ferrari e Eddie Irvine foi para a Jaguar Racing.

Alemanha 2000: a primeira vitória

Em 2000, Barrichello marcou 62 pontos e terminou em quarto no campeonato. Em 2001, Barrichello não conseguiu nenhuma vitória e nem mesmo uma pole para animar, mas apesar disso, Barrichello passou o ano todinho no pódio. Me recuso a falar de 2002 para Barrichello.

 

Espirrobergue 2002: sentimento de ódio de vários brasileiros

Indiana 2002: a devolução da macacada

2003 veio e desta vez, a Ferrari não fez um carro bom para Barrichello. Mas Barrichello conseguiu duas vitórias em Silverstone e em Suzuka. Barrichello terminou em quarto no campeonato.

Em 2004, foi um ano difícil para Barrichello e Barrichello só foi vencer no final do ano na Itália e na China. Mas mesmo com essas vitórias, a torcida brasileira ainda guardava mágoa da Austria 2002 e Barrichello veio desacreditado para o GP Brasil de 2004.

Passou 2004 e veio um péssimo 2005. A Ferrari não conseguiu fazer um bom carro e Barrichello teve de amargar ficar atrás das duas Toyotas na classificação geral. Barrichello não conseguiu nenhuma vitória e teve como melhor posição 2 segundos lugares na Austrália com o carro de 2004 e nos EUA com apenas seis carros correndo.

2005: ano difícil para Barrichello

Em 2006, Barrichello não ia mais correr pela Ferrari e migrou para a novata Honda. A Honda tinha um carro bom, mas o carro não era bom o suficiente para conseguir um pódio. Barrichello teve como melhor resultado um quarto lugar na Hungria e em Montecarlo. Mas esse quarto lugar foi ofuscado pela vitória de seu companheiro de equipe Jenson Button.

Hungria 2006: corrida boa, mas ofuscada pela vitória de seu companheiro

Após um bom 2006, Barrichello esperava um melhor ainda 2007. Mas foi o contrário. A Honda construiu um péssimo carro e Barrichello passou 2007 zerado, coisa que nunca tinha acontecido com Rubinho na F1. Tendo como melhor posição um nono em Silverstone. O carro era confiável, mas esse não era o problema. O problema era que o carro era muito lento.

 

2007: o pior ano de Barrichello

2008 veio e a Honda mais uma vez criou um carro ruim. Na Austrália, ele ainda conseguiu marcar seus primeiros pontos desde Brasil/2006. Mas ele foi desclassificado por motivos que esqueci qual eram. Mas ele consegue marcar 5 pontos, 3 em Mônaco e 2 em Montreal. Mas ele tirou leite de pedra mesmo na etapa de Silverstone ao conseguir um excelente terceiro lugar e ainda terminar na volta do líder. Tudo isso graças ao seu grande talento na chuva.

Inglaterra 2008: tirando leite de pedra

No fim de ano, a Honda faliu e Barrichello se viu sem emprego. Mas Ross Brawn apareceu e comprou o antigo espólio da Honda e Barrichello conseguiu continuar na F1. A Brawn GP criou um ótimo carro. Confiável e veloz. Isso lhe rendeu a vitória de número 100 do Brasil em Valência e a vitória 101 em Monza. Mas isso não foi o suficiente nem pra ficar em segundo no campeonato.

Valência 2009: homenagem e volta as vitórias

Itália 2009: a última vitória

Brasil 2009: a última pole

Em 2010, Barrichello realizou seu sonho de correr pela Williams. O carro não era bom, mas também não era ruim. Barrichello consegue como melhor resultado um quarto lugar em Valência, 47 pontos e o décimo lugar na classificação.

Valência 2010: A melhor corrida dele em 2010

Em 2011, mais tempos difíceis. A Williams não consegue fazer um carro bom e Barrichello passa o ano nas posições intermediárias. Mas o ano não foi só resultados ruins. Barrichello consegue marcar 4 pontos, 2 em Mônaco e 2 em Montreal.

Canadá 2011: corrida muito louca

Brasil 2011: a última corrida

Barrichello merecia continuar na F1, mas nessa F1 de hoje. Nem o talento vence o dinheiro.

A última parte do Especial tragédias de Imola 1994. A do funeral de Ayrton Senna no dia 5 de maio de 1994. São fotos comoventes de um grande piloto, talvez o mais completo de todos.

O funeral de Senna, em São Paulo, no dia 5 de maio, reuniu aproximadamente 500 mil pessoas que revestiram as ruas para assistir a passagem do caixão. O rival de Senna, Alain Prost, estava entre as pessoas que carregavam o caixão funerário. Além dele, ladearam o caixão do tricampeão: Emerson Fittipaldi, Damon Hill, Gerhard Berger, Christian Fittipaldi, Rubens Barrichello, Jackie Stewart, Raul Boesel, Roberto Pupo Moreno, Johnny Herbert, Derek Warwick, Pedro Lamy e Thierry Boutsen. A maior parte da comunidade da Fórmula 1 assistiu ao funeral de Senna; porém o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Max Mosley, assistiu ao funeral de Ratzenberger, que aconteceu no dia 7 de maio de 1994 em Salzburgo, na Áustria. Mosley disse depois em uma entrevista coletiva dez anos mais tarde, “Eu fui para o funeral dele porque todo o mundo foi no de Senna. Eu pensei que era importante que alguém fosse no dele“.

Termino esse especial com a célebre frase de Galvão Bueno quando Ayrton vencia:

“AYRTON, AYRTON, AYRTON, AYYYYYYYYYRTON…SENNA DO BRASIIIIIL!!!!!!”

Só resta montar.

Jaime Alguersuari. Um nome tão badalado pelos meados de 2009. Continuou sendo uma aposta para 2010. Não se deu bem em 2009 e em 2010. Em 2011, melhorou bastante com um carro que voava em retas, mas não era a mesma coisa em curvas. Mas não era o suficiente. Como disse Niki Lauda há alguns dias:

“Ele não tinha capacidade de substituir Webber ou Vettel, o que é o objetivo da Red Bull e da própria Toro Rosso”

Alguersuari foi chutado da Toro Rosso para dar lugar a Jean-Eric Vergne. Foi cotado a ser piloto da HRT, mas ele mesmo falou:

“Ir para a HRT, seria um retrocesso para a minha carreira”

Williams poderia ser uma possibilidade, mas não há chance nenhuma para que Alguersuari fosse para a Willians. Uma concorrência com B.Senna, Barrichello e Sutil, as chances são mínimas. Eliminemos a Williams e HRT, tem a Caterham e a Marussia.

Williams: sem chance

Caterham: outra chance nula. Há a possibilidade de Trulli não continuar na Caterham e há gente de olho na vaga do pescarense. Marussia: poderia entrar no lugar do Glock, mas seria a mesma coisa da HRT. Seria um retrocesso ainda maior para a carreira de Alguersuari. Mas e a Red Bull, Alguersuari negou seguir o mesmo caminho de Buemi de ser piloto reserva da Red Bull. Mas Alguersuari deve seguir o mesmo caminho de Buemi só que diferente.

Caterham: também não

Marussia: hummmm, não

Dizem na blogosfera que Alguersuari estaria conversando e tomando um cafézinho com as equipes Mercedes e McLaren para ser piloto de teste. Deve ser uma péssima escolha. Ele vai passar o ano parado e só deve correr na pré-temporada ou no desafio das estrelas de kart. Aonda que na McLaren ou Mercedes vão tirar um Schumacher, Button ou Hamilton para botar um DJ espanhol que poderia ser galã de novela das 7. E a antiga dupla da STR vai ficar de mãos abanando assim como foram outros vários test-drivers da Red Bull.

Normalmente eu não faria uma retrospectiva. Não sou dessas coisas. Apesar de adorar ver uma retrospectiva na TV Globo ou blog do Bandeira Verde. Vou dizer porque não gosto de fazer uma retrospectiva. Dá muito trabalho e eu teria de fazer um texto longuíssimo. Então vou aproveitar que essa é a última semana de 2011, para usar esses últimos 5 dias para fazer uma retrospectiva que usará esses cinco dias inteiros. Hoje falaremos das 12 equipes que se aventuraram durante essas 19 etapas de 2011.

Para melhorar mais, vou dar saldos para cada equipe. Veja os saldos que vou dar:

  • Saldo bastante positivo
  • Saldo positivo
  • Saldo mais ou menos
  • Saldo negativo
  • Saldo bastante negativo

Red Bull Racing

Mark Webber Sebastian Vettel of Germany and Red Bull Racing leads team mate Mark Webber of Australia and Red Bull Racing early in the Brazilian Formula One Grand Prix at the Autodromo Jose Carlos Pace on November 27, 2011 in Sao Paulo, Brazil.

A Red Bull realmente me surpreendeu em 2011. Esperava um campeonato disputado, mas apenas vi o domínio espetacular do pequeno alemão de Heppenheim. O carro não era lá essas coisas em retas, mas era o melhor nas curvas. Isso ficou bem claro na Índia com Vettel e Webber andando mal no primeiro setor, mas o mais rápido num segundo e terceiro setor dominado por curvas.

Vettel dominou, isso ficou bem claro. Quanto ao Webber, apenas foi um coadjuvante. No final, um saldo bastante positivo para a equipe das latinhas.

Vodafone McLaren Mercedes

 

Em 2011, a McLaren claramente foi a segunda melhor equipe de 2011. Apesar da equipe ser a segunda melhor, sempre quis dar uma beliscadinha ali na supremacia da Red Bull. Apesar de vários achaream que a dupla Hamilton-Button era a melhor da F1 atual. Essa dupla foi a mais diferente dessa temporada.

Hamilton era agressivo (até demais) e impulsivo. Já Button é um Elio de Angelis da atualidade, gentleman, estratégico e agressivo na hora certa. A única coisa igual nessa dupla foi que eles venceram 3 corridas cada. Saldo positivo e segunda melhor equipe com sobras em 2011 para a equipe de Woking.

Scuderia Ferrari

A equipe que deu inspiração ao nome desse blog não foi páreo para a McLaren e para a Red Bull. O carro foi pior do que o de 2010 e o de 2009 juntos. Pelo menos levaram uma vitória para casa em Silverstone após a McLaren e a Red Bull fazerem suas trapalhadas nos boxes. Na foto, a cena mais comum de 2011: Alonso na frente de Massa.

Massa sofreu com vários problemas e com a pressão imposta por idiotas que acham que brasileiro tem ganhar em todas. Alonso foi melhor, mas não foi o suficiente para parar a McLaren e Red Bull. Saldo negativo para a equipe de Maranello.

Mercedes GP Petronas F1 Team

A Mercedes novamente não surpreendeu como dizia em meados do início de 2010. Esse ano ficou ficou disputando posições com Forces India e Saubers. Mas esse ano foi pior do que de 2010. Schumacher não pode fazer muita coisa, apesar de fazer belas corridas de recuperação como na Bélgica. Rosberg novamente foi rápido, mas não o suficiente. Rosberg sempre esteve dando trabalho principalmente para Massa (na Alemanha, Massa demorou mais de 20 voltas para fazer a ultrapassar) .

Quarto lugar no campeonato com sobras. Mas mesmo assim, saldo negativo para a equipe que usa pasta de dente na lateral do carro.

Lotus Renault GP

A Lotus Renault tinha tudo para ser a quarta melhor equipe de 2011, mas declinou do segundo semestre pra cá. E ainda por cima, quase perdeu o posto de quinta melhor equipe para a Force India. A Lotus preta escapou por 3 pontos da Force India de Lego. A equipe começou 2011 com a dupla Kubica-Petrov, mas o acidente de Kubica fez com que a dupla mudasse para Heidfeld-Petrov. Mas Heidfeld andou mal e a dupla mudou-se para B.Senna-Petrov.

Bruno não andou mal no começo, mas declinou da Itália pra cá. Das duplas da Lotus Renault em 2011, apenas Petrov conseguiu de manter em todas as duplas em 2011. Saldo mais ou menos para a Lotus preta e dourada.

AT&T Williams

A Williams foi a maior decepção de 2011. Barrichello não conseguiu fazer milagre com a sua Williams e Maldonado tampouco. Barrichello salvou a equipe ao marcar 4 pontos (2 em Montecarlo e 2 em Montreal) . Maldonado conseguiu marcar 1 ponto em Spa, mas foi o segundo pior estreante com sobras.

No final, a Williams foi melhor só que as equipes nanicas que chamamos de Caterham, Marussia e HRT. Saldo bastante negativo para a equipe de Sir Frank.

Force India Formula One Team

A Force India conseguiu de vez ser a sexta melhor equipe da F1. E não conseguiu ser mehor por 3 pontos. Após não conseguir a sexta posição ano passado por 1 ponto, será que ano que vem a equipe não vai conseguir a quarta posição por 2 pontos e por aí vai. De olho na Force India ano que vem digo eu. Sutil começou o ano levando surra de Di Resta, mas depois mostrou quem é que manda naquela equipe. Quanto ao Di Resta, brigou o ano todo com Sergio Perez como o melhor rookie do ano e se saiu melhor.

Saldo bastante positivo para a equipe do Rio Ganges.

Sauber F1 Team

A Sauber tinha tudo para brigar duro com a Williams e Force India pelo sexto posto no campeonato. Comuçou o ano da melhor forma possível, mas viu a Force India evoluir e fazer uma ultrapassagem facílima. Restou a equipe de Peter Sauber brigar com a Toro Rosso pela sétima posição e usou a falta de retas longas de Interlagos para garantir a sétima posição sobre a rival taurina e paupérrima. Kobayashi não surpreendeu muito esse ano. Perez deu um susto ao bater de lado na Chicane do Porto. Voltou para o Canadá, mas não se sentiu bem e deu lugar a Pedro de la Rosa fazer o se sempre. Um café com leite normal do espanhol.

Eu não sei qual saldo eu dou, então eu vou dar um saldo mais ou menos para a equipe de Peter Sauber.

Scuderia Toro Rosso

A Toro Rosso evoluiu de 2010 para cá. A prima paupérrima da Red Bull era ao contrário da Red Bull, a mais rápida nas retas e não ser muito rápido nas curvas. Alguersuari foi um piloto bastante consistente durante o campeonato e Buemi sempre teve o azar do seu lado. Sempre esteve brigando com Force India e Sauber e perdeu para as duas, sendo que perdeu para a Sauber por 3 pontos.

Saldo mais ou menos para equipe prima da Red Bull, só que a Toro Rosso tem menos dinheiro.

Team Lotus

A Lotus esverdeada foi junto com a Force India, a que mais evoluiu de 2010 para 2011. Sempre esteve alcançando grandes feitos como ir a Q2 em algumas corridas com Kovalainen que foi um sinal de superação em 2011. Trulli superou seus problemas com os problemas hidraulicos em seu carro, mas a sorte não sorriu para o pescarense. E Trulli não correu em Nurburgring por problemas no seu contrato e foi substituido por Karun Chandhok. Chandhok reviveu Yuji Ide e não fez nada de relevante a não ser ficar rodando na pista e levar uma volta das duas HRT.

Saldo positivo para a Lotus esverdeada.

Hispania Racing Team F1 Team

Enfim, a HRT. É talvez a equipe mais simpática do fundão. Fez o de sempre que é ficar brigando com a Marussia pelo posto de décima primeira melhor equipe. A HRT começou com a dupla Liuzzi-Karthikeyan. Com um carro ruim, a dupla não se classificou para o GP da Austrália. Mas depois melhorou e nunca mais não se classificou. Karthikeyan foi sacado da equipe em Valência e Daniel Ricciardo entrou em seu lugar. Ricciardo andou muito bem durante o tempo em que andou pela HRT. Na Índia, Liuzzi foi trocado por Karthikeyan apenas por causa do marketing que conseguiria com um indiano no primeiro GP da Índia da F1.

Saldo mais ou menos para equipe mais adorada desse humilde blog.

Marussia Virgin Racing

A pior equipe da F1. A equipe tinha esperança de ter um carro bom com seu carro feito no computador, mas as esperanças foram aniquiladas com o pior carro de 2011. Glock parecia estar deprimido pro estar num carro tão ruim e não conseguiu fazer milagre com o MVR02. D’Ambrosio começou bem o ano, mas declinou desde quando eu falei que ele era um piloto que tinha futuro. D’Ambrosio recebeu o prêmio de pior rookie de 2011.

Saldo bastante negativo para a equipe da aeromoça Richard Branson.

Veja o ranking de saldos:

Saldo bastante positivo: Red Bull e Force India.

Saldo positivo: McLaren e Team Lotus.

Saldo mais ou menos: Lotus Renault, Toro Rosso, HRT e Sauber.

Saldo negativo: Ferrari e Mercedes.

Saldo bastante negativo: Williams e Marussia Virgin.

Uma coisa eu percebi nesse post: Toro Rosso significa Red Bull em italiano e Red Bull significa Touro Vermelho em inglês (dessa última eu já sabia) .

Sutil não vai correr a próxima temporada pela Force India e pode ir para a Williams

– Vai embora Sutil. Ah, a Williams é o logo ali do lado

A Force India anunciou hoje que Nico Hulkenberg e Paul di Resta serão os pilotos titulares ano que vem. Adrian Sutil se mandou e tem fortes chances de ir para a Williams. O que complicaria a vida de Bruno Senna e Rubens Barrichello. Bruno Senna poderia voltar a ser piloto reserva da Lotus e Rubinho teria de namorar a HRT (!) .

O alemão já tem conversado bastante com a Williams. Mas Rubinho tem sérios problemas pela frente. Jaime Alguersuari (cujo piloto que esqueci de botar no post de ontem) poderia ir para a HRT, já que a HRT quer se tornar a equipe mais espanhola que esse mundo já viu (já tenho até uma idéia de como seria o carro da HRT em 2012, vermelho e amarelo) . E Rubinho teria de se contentar em ser um piloto de testes ou migrar para a Stock Car ou um Trofeu Linea.

Esse poderia ser o futuro carro de Alguersuari, e o Rubinho se mandava da F1

E  Sutil poderia pilotar um desses carros

Então a disputa fica pela vaga na Williams ficaria Sutil, Barrichello e Bruno Senna, este último é o que tem menos chances. E correndo por fora, Van Der Garde, Petrov e Bianchi. E pela vaga na HRT, Alguersuari, Karthikeyan, Di Grassi, Liuzzi, Van Der Garde, D’ Ambrosio e Juncadella (ainda acho que Juncadella pode ser ao menos piloto de testes) . E se o Trulli vacilar, o Rubinho e o Bruno podem namorar a Caterham.

É bom o Barrichello e o Bruno Senna tratarem de fazer alguma coisa porque o Sutil é o grande favorito pela vaga na Williams e a vaga na simpática HRT não está tão fácil quanto eu imaginava.

E pra finalizar, Good bye, Sutil diz a FI. Welcome, Sutil diz o FW.

Largada do GP da Itália de 2011

Com o anúncio um pouco que surpreendente da dupla Ricciardo-Vergne na Toro Rosso, sobraram apenas quatro vagas para a temporada de 2012 de F1. São exatamente duas vagas em aberto na Force India, uma vaga na Williams e uma vaga na HRT. Vários pilotos estão disputando a tapa essa vagas. Veja os cambatentes no ring pelas quatros vagas restantes para 2012.

Paul di Resta

Paul di Resta está na briga pelas duas vagas na Force India. Foi o melhor novato nessa temporada e isso pode lhe garantir na equipe em 2012. Di Resta também conta um forte apoio da Mercedes e isso pode ajudá-lo a ficar na Force India em 2012. Tem fortes chances de permanecer na Force India ano que vem. A disputa maior na equipe indiana fica pela segunda vaga com Nico Hulkenberg e Adrian Sutil na disputa.

Nico Hulkenberg

Nico Hulkenberg está na briga pela vaga na Force India em 2012 e é um grande favorito na disputa contra Adrian Sutil. Hulkenberg disputou a temporada de 2010 pela Williams e não fez feio, e chegou a fazer a pole position botando 1 segundo em Sebastian Vettel em Interlagos. Hulkenberg já disse que se a Force India não lhe der uma chance em 2012, ele vai deixar a F1 para sempre.

Adrian Sutil

Adrian Sutil deve estar de saída da Force India, mas não é descartado a opção de continuar na equipe indiana. Ele conversa com a Williams pelo carro azul 18. Sutil fez um mal começo em 2011, mas começou a melhorar ao longo da temporada. Se o alemão ficar fora de 2012, vai ser a maior injustiça que a F1 já teve.

Bruno Senna

Bruno Senna estava na briga pela vaga na Lotus em 2012. Chegou a se reunir com a Lotus no domingo do Desafio das Estrelas de kart na República Tcheca (e não na Tchecoslováquia, segundo Reginaldo Leme) . Mas foi deixado de lado e perdeu sua vaga para Romain Grosjean. Ele conversa com a Williams, já que ele já falou que para a HRT, ele não volta. Se não der, ele já falou que aceitaria voltar a ser piloto de testes na Lotus.

Rubens Barrichello

Barrichello conversava com Lotus, mas também se deu mal. Barrichello está lutando para se manter na F1 em 2012. Nunca ele esteve em uma situação tão ruim. Os vários fãs de Rubinho continuam torcendo para que ele continue. Até os humoristas lançaram uma campanha para que Rubinho continue na F1. Espero que ele consiga uma vaga na F1  em 2012.

Vitaly Petrov

O primeiro russo na F1 também está na pindaíba. Foi deixado de lado pela Lotus pelos resultados ruins depois de um começo ótimo. Petrov chegou a conseguir um pódio na Austrália. Agora luta por uma vaga na Williams. E um detalhe: é incrível como uma equipe que está passando por maus bocados como a Williams está tão valorizada nesse final de ano.

Vitantonio Liuzzi

Vitantonio Liuzzi não é mais aquele cara que ganhou sete de dez etapas na F-3000. Foi abandonado pela Red Bull e foi resgatado pela Force India. Mas também foi abandonado pela equipe indiana e por incrível que pareça, ainda conseguiu ser regastado pela HRT. Teve como melhor atuação no Canadá ao conseguir um décimo terceiro posto na corrida e garantir a décima primeira posição para a HRT. Agora tenta renovar seu contrato com a HRT. O italiano também flerta com a Caterham para conseguir a vaga de Jarno Trulli, mas essa possibiliadade é remota.

Jerome d’Ambrosio

D’ Ambrosio foi sacado a pontapés da Marussia em 2011. Mas o belga ainda não desistiu. Ele está na briga pela vaga restante na HRT. Mas a coisa está muito difícil. D’ Ambrosio foi talvez o pior piloto de 2011. D’ Ambrosio conta com o apoio de patrocínios belgas que possui, mais a coisa está difícil para o Jeronimo.

Giedo van der Garde

Giedo van der Garde sempre chegou perto da F1, mas sempre morria na praia. Chegou a estar quase que certo na Marussia Virgin este ano. Van der Garde é um bom piloto e tem muita grana. O que pode lhe ajudar a conseguir uma vaga na Williams ou na HRT. No geral, tem alguma chance de estar na F1 em 2012.

Jules Bianchi

Jules Bianchi não fez nada na GP2 e só foi brilhar no Desafio das Estrelas de kart. Foi uma das maioreis decepções da GP2 este ano. Mas ele tem forte apoio da Ferrari e não fez feio no teste de jovens pilotos em Abu Dhabi. Ter talento e apoio é uma coisa rara no automobilismo atual.

Narain Karthikeyan

Karthikeyan foi talvez o pior piloto da temporada 2011 de F1. Perdeu sua vaga na HRT para Daniel Ricciardo, mas voltou na Índia e não fez feio. Tem apoio da Tata Motors e isso pode lhe ajudar a conseguir pelo menos uma vaga de piloto de testes, o que já seria uma vitória para Karthikeyan.

Karun Chandhok

Karun Chandhok é outro que vai fazer festa se conseguir ser ao menos ser piloto reserva. Chandhok foi piloto reserva na Caterham este ano e correu apenas na Alemanha no lugar de Jarno Trulli e decepcionou com escapadas e rodadas. Karun está correndo por fora e deve continuar sendo o que foi este ano. Um simples piloto reserva.

Lucas di Grassi

Di Grassi ficou testando os compostos da Pirelli o ano todo. Chegou a flertar com a Caterham para correr no GP Brasil este ano, mas não arranjou o patrocínio necessário para isso. Di Grassi tem alguma chance, mas deve continuar fazendo testes de pneus ano que vem.

Daniel Juncadella

Daniel Juncadella não tem nenhuma chance, você, leitor, diria. Juncadella é sobrinho do atual chefe de equipe da HRT, Luis Peres-Sala (o nome do Juncadella é, Daniel Juncadella Perez-Sala) e tem alguma chance. Foi vencedor do GP do Macau de F-3 este ano e isso pode lhe ajudar.

Tuíter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.

Calendário

setembro 2017
D S T Q Q S S
« maio    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 18 outros seguidores